terça-feira, 27 de outubro de 2015

O recado ibérico e a Europa

O senhor Mariano Rajoy, presidente do governo espanhol, afirmou: "O que estou a ver em Portugal também não me agrada".

Como português, entendo que quem de direito deveria dizer ao senhor Rajoy que deve meter-se mais na sua vida política interna, onde tem bastante para resolver, e deixar-se de comentários desta natureza, que legitimam que, um destes dias, alguém por cá possa ser tentado a dizer que lhe agrada, por exemplo, a pulsão independentista da Catalunha.

A Europa é uma constelação de nações unida por um projeto comum. Se comentários como os do senhor Rajoy sobre Portugal - que recordam os de Passos Coelho sobre a Grécia - se multiplicam, arriscamo-nos a legitimar uma espécie de "droit de regard' de uns países europeus sobre a vida política interna dos outros, o que é, no mínimo, uma perversão do modelo de convívio em diversidade que União Europeia pretende representar.

A mim também me não agrada a escolha política que a Polónia ontem fez. Mas a última coisa que gostaria era ver um chefe de governo português a emitir "bitaites" sobre o novo poder em Varsóvia. Mas disso parece estarmos livres: trata-se de um governo de direita e, tal como perante as diatribes anti-democráticas do senhor Órban na Hungria, nem o senhor Rajoy nem Passos Coelho parecem interessados em pronunciarem-se.

4 comentários:

Antonio Cristovao disse...

então o Rajoy está a ver as barbaras a arder. PSO+podemos+ciudadanos dá mais de 50%

Joaquim de Freitas disse...

Muito bem.A Polónia, país católico, entre os mais católicos do mundo, pátria do Papa João Paulo II, visceralmente anti comunista, como o dirigente de Solidarnosc, Lech Walesa, grande católico e visceralmente anti comunista e anti semita, repito, que a Polónia venha de se dotar dum governo eurofobo , xénofobo e racista, recusando acolher refugiados fugidos às guerras do Médio Oriente, em cujas guerras a Polonia participa no quadro da NATO (!), eles, os Polacos, que a Europa tanto ajudou a desenvolver nestes últimos anos com investimentos de vulto e acolhendo vagas de emigrantes polacos desde sempre , aos milhares, recusam agora a mesma ajuda aos cristãos do oriente e outras religiões! Incompreensível!

Isabel Figueira disse...

O Dom Rajoy que se meta na "vida" dele que já tem lá muito prurido para se coçar.

Isabel Figueira disse...

"droit de regarde" = cusquice.