sexta-feira, 30 de outubro de 2015

O otimismo

Desde há umas semanas que faço um esforço hercúleo para ser otimista. Os mais benévolos dentre os meus amigos políticos acham-me, por estes dias, uma insuportável Cassandra. Outros já me olham como um "direitolas", conivente objetivo (quando não subjetivo) com o(s) governo(s) que mais detestei desde 1980. Não os posso ajudar: digo apenas que penso.

O meu esforço para ser otimista vai agora ter de ser redobrado. Porquê? Porque caí na asneira de ouvir ontem o que disse Jerónimo de Sousa na SIC Notícias e estou ainda a "digerir" a decisão da CGTP de se manifestar, em frente do parlamento, na data prevista para a queda do governo hoje empossado.

9 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro Francisco
Será que o país tem cura?!

António Azevedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaime Santos disse...

Eu também acalento muitas dúvidas relativamente à capacidade de o PCP e o BE abandonarem a sua postura de Partidos de Protesto e engolirem uns quantos sapos que nos serão necessariamente impostos pela UE. Para esses Partidos, e estão no seu direito, a disciplina orçamental é um colete de forças que constrange a nossa Economia (eu também concordo que o Tratado Orçamental essencialmente ilegalizou o keynesianismo na Europa) e consequentemente a nossa Soberania (o que é um facto, porque na UE essa Soberania é partilhada, mas quem está do lado fraco da corda e é pequeno como Portugal normalmente não tem grande sorte). No entanto, penso que quer o BE quer o PCP reconhecem que uma mudança deste estado de coisas não poderá ser conseguida recorrendo a estratégias de rutura (o eleitorado rejeita-as e insistir nelas trará de novo a Direita ao Poder). Mas, claro, não o podem admitir abertamente, porque isso implicaria meter o Socialismo na gaveta até às calendas gregas. Ou seja, há na Esquerda da Esquerda um conflito entre a ética dos Princípios e a da Responsabilidade. Mas, para quem pensar que eu estou a ser paternalista com esses Partidos, eu faço lembrar que quer os Partidos Social-Democratas quer sobretudo a Direita na Europa há muito que abandonaram os Princípios que eram caros respetivamente à Social-Democracia e à Democracia-Cristã... We are all haykeans now...

Isabel Seixas disse...

Bem Bem com estas hesitações e o mau olhado do casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão, os aprendizes de feiticeiros vão-se escapulindo pelos caminhos da promoção do obscurantismo com os olhinhos de carneiros mal mortos de censura e moralidades no é preferível morrer à míngua do que sofrer ou padecer de banca rota...

louvemos nas faltas o vinte e cinco de Abril.

Portugalredecouvertes disse...


Parecem cenas de alguma tragédia de William Shakespeare

Felizmente quero acreditar que todo esse pessoal se junta à volta de uma mesa para comer uns deliciosos camarõezinhos e bom cozido à portuguesa

Catinga disse...

Eu gostei foi de ver o PCP em reunião com a Fenprof! - como se esta tivesse vontade própria e o seu chefe não fosse uma simples marioneta dos comunas :)

aamgvieira disse...

No Expresso da meia-noite ficámos a saber que só o PS é que pode ser Governo.

aamgvieira disse...

"Alianças"

PCP leva avante rejeição autónoma.

PS e BE têm de votar moção do PCP.

Quem ia efectivamente liderar o Governo?

PS/BE/PCP enviam orçamento para EU.

EU não aceita.

Continuaria a frente trabalhadora (PS/BE/PCP)?

Antonio Cristovao disse...

E concordo que deva estar preocupado: lembre-se que as 3 bancarotas surgiram pela mão amiga do PS. E que se veja, as camaras comunistas têm um registo digno de nota, mas pela boa gestão, e cumprimento do que foi acordado.Eu também estou levemente preocupado; temos sempre a troika ali â mão e já estamos habituados.