segunda-feira, 26 de outubro de 2015

"A tarde de S. Lourenço"

Passaram 50 anos e eu estava lá. No estádio da Luz, nesse dia 17 de outubro de 1965. De visita a Lisboa, fui ver o jogo a convite dos meus primos Augusto e Luis Filipe, benfiquistas "de carteirinha", como dizem os brasileiros, que tinham estado na final gloriosa de Berna, em 1962. Nessa tarde - os jogos eram então sempre à tarde, às 15 horas, em todos os estádios - chovia "que deus a dava".

O Sporting jogava contra o Benfica. Lourenço, "avançado-centro", como à época se dizia, marcou quatro golos a Melo, que substituíra um lesionado Costa Pereira, naquele seu jeito simples mas eficaz de jogar, num ataque onde havia outro homem-golo, o Figueiredo, o "Altafini de Cernache". Eu integrava una bancada quase 100% benfiquista, pelo que foram 90 minutos de contenção no contentamento.

Foi a famosa "tarde de S. Lourenço", gravada na memória dos sportinguistas e, com certeza, de forma impressiva, na do próprio jogador, que injustamente Manuel da Luz Afonso não iria convocar, no ano seguinte, para os "Magriços", que disputaram o Mundial de Inglaterra.

Ontem, no termo da vitória do Sporting sobre o Benfica, lembrei-me de Lourenço e dos seus quatro golos na Luz. E recordei a cara fechada dos meus primos, no autocarro da viagem de regresso, comigo numa alegria educadamente contida, nesse ano que acabaria com a conquista do título pelo Sporting.

Duas décadas depois, em 14 de dezembro de 1986, também ao lado de outro benfiquista triste, o meu amigo António Massano, testemunhei os famosos 7-1 ao Benfica em Alvalade, com Manuel Fernandes a marcar também quatro golos.

O Sporting das últimas décadas é mais parco em vitórias? É um facto, mas, não se preocupem os que não gostam de nós: vai havendo suficientes alegrias. Como foi o caso de ontem. 

4 comentários:

Santiago Macias disse...

Bons tempos em que os adeptos de um clube podiam ver jogos junto aos do adversário.

Nuno Andrade disse...

As notícias de ontem num canal tv diziam que o scp não conseguia um resultado acima dos dois golos há mais de 65 anos na luz
Enfim é a habitual competência dos comentadores encarnados

Manuel do Edmundo-Filho disse...

... de onde se prova aquela velha e relha máxima que vencer o Benfica é a maior coroa de glória do Sporting. Repare-se: nesse ano foram campeões nacionais, mas a efeméride que comemoram é a vitória sobre o Melo (suplente do grande Costa Pereira)... Mas, também aqui, o confronto é desfavorável ao Sporting: 107 vitórias (incluindo esta última) para 128 do SLB!

João P Seixas disse...

Eu também lá estive nessa tarde no estádio da Luz. Para a história desse jogo, para além do Melo e do Lourenço, ficou também o Germano.