quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Santana Lopes

De há muito, Pedro Santana Lopes criou uma imagem que, por razões que não vêm aqui para o caso nem vou agora discutir, se afasta bastante da ideia que ele mantém e quer projetar de si próprio.

Porém, após a decisão de se afastar da corrida presidencial, Santana Lopes tem agora uma oportunidade de ouro para fazer com que o país acabe por aproximá-lo do retrato que ele pretende deixar no imaginário coletivo.

Esse ensejo é a crise dos refugiados. Santana Lopes é provedor da Santa Casa da Misericórdia, uma instituição com muitos meios e experiência em situações de emergência humanitária. Uma boa gestão por parte da Santa Casa desta questão, com sentido político e sensibilidade social, pode trazer a Santana Lopes um amplo reconhecimento nacional.

Saberá ele aproveitar esta oportunidade?

6 comentários:

Jaime Santos disse...

A pergunta que faço e a desproposito, mas o que e que distingue Santana Lopes de Marcelo Rebelo de Sousa? Santana Lopes ja teve por varias vezes a coragem de se candidatar a lugares cimeiros da vida política portuguesa, ja perdeu eleições, ja cometeu todos os erros dos manuais da política, sobretudo enquanto PM, enquanto que Marcelo, para alem das homilias semanais e de uma passagem pela liderança do PSD que a indiscrição de Portas se encarregou de desfazer em mil bocadinhos, qual foi a sua maior contribuição para a Res Publica? Apanhar hepatite por causa do famoso mergulho no Tejo? Posto isto, porque e que Santana Lopes tem que desistir enquanto o Pais olha derretidinho para a caminhada triunfal do Professor em direção a Belém, sem que ele tivesse feito nada para o merecer? Pelo menos nisto eu concordo com Passos Coelho. E isso diz muito do Pais que somos.

Anónimo disse...

Deixo aqui o meu sincero testemunho da SORTE GRANDE da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, de ter nos dias que correm um Provedor que é um Ex-Primeiro-Ministro. A lotaria ficou na SANTA mais uma vez, com a desistência do Provedor - a Belém. Parabéns à Santa Casa de Lisboa. Faço votos para que o próximo Governo que sair das eleições de outubro próximo deixem o Provedor continuar o seu mandato. Faço questão de registar que nunca pertenci ao partido do Senhor Provedor, nem sou alguém próxima dos seus amigos. Só temos, mesmo em comum, o verde do Sporting!

Anónimo disse...

A imagem que Portugal tem de Santana Lopes é muito simples:

- Secretário de Estado da Cultura - barrete em Sagres
- Presidente da Câmara de Lisboa - Buraco do Marquês e buraco nas contas
- Presidente da Câmara da Figueira da Foz - Mundialitos e buraco nas contas
- Presidente do SCP - Flop à semelhança de outros
- Primeiro Ministro - Despedido

Que mais quer ele? Porque não coser meias em casa?

Jose Martins disse...

Senhor Embaixador,
Pedro Santana Lopes é "pau para toda a colher". Homem de estações que umas lhe sopram bom e outras mau vento.
Para o Pedro vida boa vai ela e belezas femininas mesmo estas de segunda mão! Sempre vi o Pedro como um oportunista sem nunca se lhe conhecer obra alguma!
Saudações de Banguecoque

Anónimo disse...

o 44 e o Vara de porcos com o que gamaram podiam acolher uns quantos nas suas pomposas casas de Lisboa e Paris e sabemos nós lá mais onde

Jose Martins disse...

Comentário a Jaime dos Santos
Felizmente não vejo e ouço as "bombas", semanais, do Marcelo!
O Marcelinho, o nome que lhe dava o jornalista Guilherme de Melo, quando seguia, de férias, para Moçambique e seu pai Dr. Baltazar Rebelo de Sousa era o Governador de Moçambique.
O Marcelinho é homem, catavento, que vira o leme para a direcção do vento lhe bate.
Aqui há uns anos, alguém me contou, que o Prof. Oliveira Salazar gostava de conversar com o "catraio" Marcelinho e de quando em quando lá ia o Marcelinho cavaquear com o Prof. Salazar.
Na praça pública o Marcelinho contava as conversas havidas.
Ora o Marcelinho vai governando a vidinha e na terra dos cegos quem tem um olho é rei!!!
Saudações de Banguecoque