sábado, 12 de setembro de 2015

Corbyn


A eleição de Jeremy Corbyn para a liderança do Partido Trabalhista britânico é uma excelente notícia para o PS português.

Pelo radicalismo insensato do seu programa, que infelizmente vai condenar o "Labour" a uma penosa via sacra até conseguir voltar ao poder, será bem mais fácil avaliar o realismo e a moderação das propostas que António Costa titula com o seu programa, que não coloca em causa os compromissos europeus do país e desenha uma linha "possibilista" responsável para uma governação eficaz. 

E se alguém da maioria cessante vier por aí com o argumento "corbynário", espero que o PS lembre que o partido em cuja iniciativa o novo líder trabalhista esteve presente em Portugal, foi o Bloco de Esquerda. Por que será que isto não é mais divulgado?

Recordo que, sobre Corbyn, já aqui tinha escrito isto há dias.

20 comentários:

Anónimo disse...

Tony Blair, foi um dos principais responsáveis pelo desvirtuar da Social Democracia e Socialismo Democrático na Europa. Desculpe que lhe diga mas a Social Democracia tem que se diferenciar do Neoliberalismo e não continuar a "misturar-se na paisagem com ele". Sei que o senhor sabe que Orwell no final do "Triunfo dos Porcos", dá a uma visão de que já não existia distinção entre os Porcos e os Homens.

Jaime Santos disse...

A sua posta denota uma ponta de cinismo, mas o Sr. Embaixador tem razão. Num País dominado pelo voto conservador da 'Middle England', o Labour só tem conseguido ganhar eleições ao Centro, com uma estratégia dita fabiana (da 'Fabian Society', que vai buscar o seu nome ao célebre general romano). Portanto, coloca-se a pergunta: quem é mais radical (no sentido dos fundamentos)? Aqueles que se enclausuram nos puros princípios ou aqueles que constroem pontes e aceitam soluções de compromisso? O fabiano Costa é nesse sentido mais radical que Corbyn. Mas a eleição de Corbyn, embora provavelmente represente uma travessia do deserto para o Labour, talvez permita fazer de novo do debate sobre a desigualdade o elemento central da luta política no Reino Unido, cujos ventos políticos normalmente sopram na direcção do Continente. Espero por isso que Corbyn faça como Costa, prometa pouco e vá conquistando o terreno pouco a pouco. Talvez ele possa plantar sementes que serão colhidas por futuros líderes do Labour...

Antonio Antunes disse...

Quem tem medo dos verdadeiros ideais dos socialistas antes da terceira via Blairista? Eu não! mas parece que alguns têm

Anónimo disse...

Francisco (e pedindo desculpas antecipadas pela falta de acentuacao, mas estou por terras de sua majestade, como se consignou dizer),

Claro que Corbyn e' insensato, claro que sera' uma via sacra.

Mas e', hoje, o politico que mais esperanca traz para a ribalta. Melhor: o unico politico que o consegue fazer (no UK, claro esta').

Antonio Costa (bem longe de qualquer ribalta) parece-se muito com o Red Ed. Muitas boas ideias, mas nao as consegue transmitir - e perde-se naquele mau discurso, "pxa, pa', pa, p'a.. - diz-se "para", Ant'onio, "para"... ".

Corbyn vai perder as eleicoes? Provavelmente. Mas que as perca com estrondo, e que consiga que o seu fim seja um novo inicio - porque de toni blairs, guterres, barrosos, socrates e passitos todos estamos fartos.

Venha a politica, venham as ideias...

LF

Anónimo disse...

Mas também é uma boa notícia para quem teve de aturar essa coisa pré-congelada, pré-cozinhada, plastificada, oca por dentro e doce por fora, essa mão cheia de nada e de coisa nenhuma, esse vácuo que foi a "terceira via", via certamente aberta para as disfunções que se vivem atualmente na Europa.

Digo, antes um Corbyn que um Blair.

Anónimo disse...

Como pessoa de esquerda e socialista que sempre me afirmei, quando digo socilaista, obviamente que não sou do PS, porque ele não é há muitos anos nem de squerda e muito menos socialista. Mas dizia sendo socialista é para mim uma grande alegria que depois de muitos anos ver um Socialista finalmente a liderar o Socialismo em Inglaterra. Será que um dia o PS em Portugal terá algum socialista que também o possa liderar? para já acho dificil porque apenas se vem por lá neoliberais á cabeça. Há muito que os verdadeiros socialistas foram sendo proscritos dentro do PS.

Anónimo disse...

Há muito que desconfiava disto, em Portugal muitos PS não gostam de Socialismo, gostam é de poder a todo o custo, nem que para isso tenham que matar o próprio socialismo.

Anónimo disse...

Como fazer oposição a sério sem ser como Corbyn? Se me explicarem eu agradeço. Também eu gostava que parecesse mais moderno mas os mais modernos deram no que deram e o resultado está à vista.

JPGarcia

Anónimo disse...

Bom, bom foi aquele secretário-geral do Labour que esteve presente numa iniciativa do PSD/CDS-PP e do Tea Party na base das Lajes.

Anónimo disse...

O individuo pensa criar carruagens de metro só para mulheres ou homens....já agora também para indefinidos...

Francisco Seixas da Costa disse...

Ao Anónimo das 00.18. Leu o que vem no link que deixei no fim do texto?

Anónimo disse...

Li sim. Já tinha lido, aliás. Esse e outros escritos. E com atenção. Mantenho. A quase totalidade do seu discurso é sobre poder, não sobre ideias e princípios. E fora do MNE já nem tinha de ser assim.

Anónimo disse...

Enquanto socialista, espero que a eleição de Corbyn represente o regresso do "Labour" à tradição social-democrata, e que o desvio direitista do "blairismo", definitivamente, descanse em paz.

Anónimo disse...

è um jihiadista.

Anónimo disse...

Corbyn representa melhor o socialismo que todos os lideres que o PS teve desde que foi criado. O PS é tudo menos um partido socialista com ideias socialistas.

Anónimo disse...

Corbyn vem na tradição do Michael Foot e do Neil Kinnock, mais um irrealista a levar o Labour à derrota.

Anónimo disse...

é melhor levar o Labour á derrota, aliás quase sempre foi derrotado, mesmo com a alma vendida ao diabo. Por isso é melhor ser derrotado do que ser um partido travesti, tipo o PS em Portugal.

Anónimo disse...

Se o Labour precisa do Blair para vencer se calhar era melhor fundirem-se com o partido da Tatcher e da Cameron.

Anónimo disse...

Acho imprudente classificar o programa de Corbyn como sendo de um "radicalismo insensato" quando obteve mais de 125.000 votos de militantes do Partido,(entre os quais me incluo), que somados aos dos aderentes inscritos e dos membros dos Sindicatos com direito a voto por inerencia,representaram práticamente 60% da votação final.
Recebido com escárnio, admitido à votação para compor o "ramalhete" dos outros três candidatos pertencentes à ala direita do Labour,meros carreiristas com principios tão maleaveis que lembram a frase de Marx, (não desse, do Grouxo): "Eu tenho os meus principios. Mas se não gostarem deles então tenho outros!"

Já agora, e para que medite, aqui fica a frase que se atribui a Gandhi :
" Primeiro ignoram-te, depois riem-se de ti, depois combatem-te, depois tú ganhas."

E, sem querer abusar do seu tempo tão ocupado a tratar das coisas do Mundo, não fica mal acabar citando o Socialista Americano Eugene Debbs:

"É melhor votar no que se deseja e não o conseguir, do que votar no que se não quer e obte-lo."

Cheers !!

Anónimo disse...

Já não mais suporto socialistas sem ideais...
Para que elegê-los então?