sábado, 5 de setembro de 2015

"O Cantinho do Abade"

Há iniciativas empresariais que estiolam por anos, incapazes de darem um salto e de se projetarem no mercado, alargando, com criatividade, os seus potenciais consumidores. No comércio, isso é muito evidente e todos somos testemunhas de casas comerciais que se foram degradando, conformadas com a modéstia de um nível de procura que, por não ter grande exigência, se acomodou à mediocridade da oferta. E esta deixou de ter estímulos para evoluir, num círculo vicioso sem remédio. A rutura com esta monotonia, que, a prolongar-se, é meio caminho andado para um fracasso anunciado, para um futuro trespasse, para uma eventual mudança de ramo, pode ser feita por via de duas motivações. Uma delas, por uma reformulação do conceito, eventualmente assente em algum investimento suplementar, procurando explorar segmentos sociais novos, através do recurso a fórmulas de empreendedorismo mais imaginativas, associadas, muitas vezes, a mudanças drásticas ou evolutivas no "layout", a novos serviços e a campanhas promocionais inovadoras, não necessariamente muito onerosas. Uma outra evolução é, em si, menos dinâmica, mais reativa, porque se baseia, no essencial, no aproveitamento de uma conjuntura pontual que, nem por ser por definição breve, deixa de ser potencialmente explorável e pode vir a revelar-se rentável. O ideal é um modelo poder vir a complementar o outro, mas isso, como se torna evidente, depende sempre muito da massa crítica, em matéria de gestão, que possa ser mobilizada para o empreendimento.

Devo dizer que estou com uma certa curiosidade em perceber qual vai ser a estratégia do "Cantinho do Abade".

3 comentários:

Anónimo disse...

Quando em Marrocos antigamente se via um homem sentado na rua, meio adormecido, a vender 3 laranjas colocadas num pano, ao fim do dia de ' negocio' poderia come-las caso falhasse.
Vida porca esta em que temos de vender tudo!

Anónimo disse...

Abade Faria 35 A

Anónimo disse...

Aproveitar as sinergias "positivas" do modelo de circulação de transferências bancarias instalando alguns filtros adequados a eliminar a eventual putrefacção através de redes adaptadas aos trajectos da circulação, obtendo assim proveitos para prestadores de serviços e clientes.