terça-feira, 4 de agosto de 2015

Dirceu


Se há alguém a quem Lula deva muito na sua ascensão ao poder essa pessoa chama-se José Dirceu. Líder estudantil durante a ditadura brasileira, foi preso, esteve exilado em Cuba, regressou clandestinamente ao Brasil e viria a ser um dos grandes organizadores do Partido dos Trabalhadores, a frente ideológica que teve Lula da Silva como figura de proa.

Com a chegada de Lula à Presidência, Dirceu foi, clara e naturalmente, o número dois da nova administração. Sem surpresas, Lula confiou-lhe a poderosa chefia da Casa Civil, um lugar que, numa certa medida, pode ser equiparado ao de primeiro-ministro. 

No Brasil, o governo, sendo dirigido formalmente pelo presidente, é uma entidade cuja dimensão (são bem mais de trinta ministérios) não permite reuniões coletivas regulares. Durante os cerca de quatro anos em que fui embaixador em Brasília, recordo-me de ter havido uma meia dúzia de reuniões completas do governo. Por esse modo peculiar de funcionamento, o papel do chefe da Casa Civil torna-se vital. É ele quem cria e coordena grupos sectoriais de trabalho que, de certo modo, e no seu somatório, substituem as reuniões plenárias dos ministros.

José Dirceu foi um chefe da Casa Civil com força e visibilidade. Hoje, parece provado que, em paralelo, esteve no centro do chamado "mensalão", um esquema de financiamento de deputados que permitia ao governo assegurar a aprovação das suas medidas. As verbas para esse mecanismo provinham, ao que ficou provado, da sobrefaturação de certos contratos. Dirceu acabou por ser um dos condenados nesse famoso processo, que abalou fortemente o prestígio de Lula. Teve de abandonar a Casa Civil, sendo substituído por Dilma Rousseff.

Conheci José Dirceu em 2005, poucos dias após a minha chegada a Brasília, num jantar que me foi oferecido em casa de um amigo comum, onde também estavam figuras como o antigo presidente José Sarney, o presidente do Supremo Tribunal, Nelson Jobim, ou o então como agora de novo presidente do Senado, Renan Calheiros. Dirceu era então um homem confiante, que emanava poder, bastante cordial e simpático para comigo e para Portugal, embora projetasse sempre uma aura de mistério, talvez fruto do facto de o olharmos conhecendo o seu complexo passado político.

Dirceu volta agora a ser detido, curiosamente quando cumpria uma pena em prisão domiciliária. Em escassos anos, de figura hiper-poderosa e temida, tornou-se numa das personalidades mais detestadas do Brasil. Ainda antes da sua condenação, sabia-se que tinha dificuldade em viajar de avião, porque era regularmente insultado nas salas de espera dos aeroportos. Com o seu alegado envolvimento na nova operação que investiga a corrupção na Petrobras, Dirceu entra agora num outro calvário. 

Na leitura de muitos brasileiros, esta nova detenção de José Dirceu faz aproximar cada vez mais o atual processo judicial de Lula da Silva. Embora quem conheça a situação no seio do PT, e as relações internas que a estruturam, não deva ter dúvidas que o entendimento entre Dirceu e Lula já há muitos anos que estava bem longe desse dia longínquo de início de 2003, em que ambos entraram no Palácio do Planalto, com uma agenda em que os brasileiros colocaram então uma forte esperança.

10 comentários:

Anónimo disse...

Parece impossível! Um homem de esquerda, lutador antifascista, admirador de Cuba...

José Sousa e Silva disse...

Bom dia, Senhor Embaixador !
Também conheço, desde há muitos anos, José Dirceu a quem reconheço muitos méritos. Mas acompanhei de perto todo o processo da sua ascensão e o seu percurso corrupto. Enfim, fraquezas que também temos por cá e que (ainda) estão impunes.
Pois o que mais me admira é que a Justiça no Brasil está funcionando, coisa impensável até há pouco tempo. Oxalá se propague a Portugal numa espécie de colonização ás avessas.

Anónimo disse...

Sr. Embaixador,

Falta um F em Rousseff (não publique isto sff).

Majo disse...

~~~
~~ Lembrei-me, imediatamente, de António Guterres ter contado, numa entrevista via tv , que todos os dias praticava uma breve meditação, com o objetivo de se controlar, assegurando que o poder podia exercer uma real deformação de personalidade.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~ Nunca esqueci pela originalidade, mas os media nem valorizaram.
~ Continuam a achar graça à tal distração no cálculo mental.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Anónimo disse...

Se calhar por cá, após as eleições teremos algo parecido com Passos e Cavaco. Não me surpreenderia.

Anónimo disse...

Sou de esquerda, mas realmente tudo isto que se tem vindo a passar no Brasil com o PT é a desgraça total. Em 2005, aquando do mensalão já era bem claro para quem não tem uma pala nos olhos como a esmagadora maioria dos servidores dos partidos e dos regimes em geral tem, que Lula não teria jamais condições para se candidatar em 2006. Não me venham cá com essa teoria que os maus são os que gravitam á volta do lider. Isso é falso, Lula sabia muito bem o que se passava. Sou portugu~es, trabalho no Brasil, mas o PT ´´e um cancro. Como comecei por dizer sou de esquerda, mas para mim o PT não é esquerda é tipo o PS em Portugal uma organização sinistra, para quem tem duvidas basta ver que tem o antigo chefe mor na choldra de évora.

Anónimo disse...

Anónimo das 12:36, isso tudo é verdade para quem acha que a corrupção no Brasil começou com o PT. Ironicamente, essa percepção é motivada pelo facto de se dar agora, estando o Brasil a ser governado pelo PT, essa coisa inédita no Brasil de os politicos começarem a ser investigados e presos, com ampla cobertura noticiosa.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Anónimo das 15.08. Claro que a corrupção no Brasil não começou com o PT. Mas muita gente votou no PT convencido de que, com ele no poder, a corrupção acabaria. E enganou-se.

Anónimo disse...

Senhor embaixador, eu apenas comentava o outro comentador. Quando ele diz que "O Brasil com o PT é a desgraça total", apaga séculos de história do Brasil. A desgraça do Brasil com a corrupção é uma coisa antiga, ou não tivesse sido o Brasil uma colónia portuguesa. Mas, já agora, não me parece que muita gente tenha votado no PT convencida de que a corrupção acabaria, até porque a indignação popular e mediática com a corrupção é coisa recente. As pessoas votaram PT pela razão mais prosaica de que estavam convencidos de que assim teriam melhor vida. E assim foi para muitos, de facto. "Apesar dos pesares", como dizia o poetinha, o Brasil é hoje um país melhor do que era há vinte anos. É só uma questão de proporção e perspectivas. Quando o meu avô foi lá emigrante, nos anos cinquenta, morria-se de fome no Brasil. Desgraça total, é isso.

patricio branco disse...

de facto o cerco estreita-se à volta de lula da silva. está interessante esta novela de suspense...