domingo, 21 de junho de 2015

Vida megalítica


O ambiente, e em particular a animação, que se viveu hoje, dia do solstício de verão, no Cromeleque dos Almendres e em Stonehenge não se pode comparar.

Mas a visita ao monumento alentejano, neste que foi o dia mais longo do ano, valeu a pena.


4 comentários:

Anónimo disse...

Percebo!

São disse...

Nunca estive no monumento inglês, mas já visitei duas vezes o de Almendres.Espero que o caminho para lá esteja agora bem melhor e devidamente sinalizado.

Bom Verão

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caríssimo Chico

Depois de cinco dias no Alto Alentejo, desde Portalegre a Estremoz, do Crato à Flor da Rosa, de Vila Viçosa a Arraiolos e Montemor o Novo, para completar o périplo faltaram-me Elvas e Évora; mas não se pode ter tudo. Mas Almendres não falhei. Claro que Stonehenge (que também conheço) teve mais animação, de acordo com a gravura...

O cromeleque de Almendres não a teve; mas continua a ter os seus 95 monólitos. Vidas...

Abç

Portugalredecouvertes disse...


Sr. Embaixador
li se não me engano em inglês, que foram os arquitetos dos Almendres que seguiram para norte com partida do oeste da península Ibérica, caminhando para cima para ocupar novos territórios, (o hábito é antigo), e que caminhando pelas Astúrias e França chegaram a Inglaterra.
Levaram na viagem salvo seja, uns mil ou dois mil anos...
mas quando lá chegaram a Stonehenge, já tinham aprendido a colocar a pedras na horizontal em cima das outras