terça-feira, 16 de junho de 2015

Nazis

 
Para quantos acham que o "flirt" entre o salazarismo e o nazismo foi um mito, aqui deixo uma fotografia de 1938, da autoria do fotógrafo setubalense Américo Ribeiro, numa fábrica de conservas de Setúbal. Só ontem reencontrei esta foto, num livro que tinha perdido há uns anos.

Veja-se o pormenor das mesas postas em forma de suástica, o retrato de Hitler ladeado dos de Salazar e de Carmona, bem como as bandeiras nazi e da organização nazi "Força pela Alegria".

Resta esperar que não apareça por aí um fabiano qualquer a dizer que tudo isto se passou à revelia das orientações do regime...

(Como era expectável, apareceu mesmo nos comentários um fabiano a atribuir ao chefe nacional-sindicalista Rolão Preto a provável organização do jantar.  Acontece que a fotografia foi tirada em 1938 e Rolão Preto, que havia sido detido pelo regime em 1935, estava, à época da foto, exilado em Espanha. Não passa pela cabeça de ninguém - ou melhor, passa por quem quiser absolver Salazar - que, do exílio, ele tivesse organizado o repasto. Falsificar a História dá jeito, exceto quando se dá conta...) 

37 comentários:

Anónimo disse...

Certamente foi Rolão Preto que organizou está cerimónia: à revelia do regime como qualquer historiador pouco encartado sabe.
João Vieira

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro João Vieira: eu sabia que Salazar estava inocente...

Francisco Seixas da Costa disse...

Na minha página do Facebook, uma nota de Alberto Ferreira:

"KdF - Kraft durch Freude, (Força pela Alegria) criada em 1933, foi uma das grandes organizações estatais do Terceiro Reich, era responsável por promover atividades culturais, recreativas e lazer para os operários alemães. A KdF fazia parte da Deutsche Arbeiterfront (DAF) , a “Frente de Trabalho Alemã”. O navio alemão "Wilhelm Gustloff" propriedade da KdF, parte de Hamburgo no dia 21 de Abri de 1938, com destino à Madeira com passagem em Lisboa."

Mas é claro que tudo isto não passou de uma montagem de Rolão Preto, à revelia de Salazar, não é? A absolvição forçada do fascismo tem de recorrer a todos os argumentos. Mas, de futuro, se quiser fazê-lo escolhe as suas próprias tribunas, "João Vieira".

michael disse...

Muito Obrigado pelo registo, nao conhecia este movimento. Uma pesquisa rápida levou-me ao vídeo:
http://www.cinemateca.pt/Cinemateca-Digital/Ficha.aspx?obraid=7489&type=Video

tempos sinistros e com tanto em comum aos de Hoje.

Cumprimentos,
Miguel Andrade

Francisco Seixas da Costa disse...

Já agora: esta fotografia foi tirada em 1938. Rolão Preto foi detido pelo regime em 1935 e, à época da foto, estava exilado em Espanha. Não passa pela cabeça de ninguém - ou melhor, passa por quem quiser absolver Salazar - que, do exílio, o antigo chefe nacional-sindicalista tivesse organizado o repasto.

Anónimo disse...

Fotografia repetida aqui, já.

E, então? Qual é o problema? É alguma novidade que a política do Salazar passava por agradar a Gregos e Troianos? Qual é o problema do flirt? Não lhes vendemos volfrâmio até ao fim? Com a complacência dos Aliados? Esta imagem serve para quê? Tentar passar a ideia de que o Salazar defendia o III Reich e gostava do cheiro das câmaras de gás?

É impressionante como alguém - diplomata!!! -, por vezes cai nestas simplificações demagógicas! E fotos de convívios com gente dos Aliados? Não há? Éramos neutrais, catano!!!

Joaquim de Freitas disse...

Na linha do ministro da propaganda de Hitler, Joseph Goeebels, o Senhor João Vieira utiliza a técnica nazi conhecida : "mentir, mentir, mentir sempre, porque a mentira acabará por se impor como verdade"! Um jeitinho, e para certos indivíduos, Auschwitz e a Shoa não existiram! Um detalhe, como diz Le Pen.

Anónimo disse...

é por causa deste "bullying" que a esquerda faz à direita (sempre querendo colá-la ao fascismo e nazismo) que a representação política não é uma curva de Gauss (distribuição normal) com extremos, dos dois lados do "sino", com peso análogo. Uma distribuição normal das intenções ideológicas de voto é que mais se aproximaria da fotografia ideal duma democracia representativa ...

Anónimo disse...

Em 1938 a Alemanha era - apenas -, um país que estava na berra e com o qual tínhamos relações diplomáticas e económicas. Em 1938 não havia "nazis", havia "alemães". Não havia guerra, nem Holocausto, nem chacinas, nem nada do que, depois, veio a tornar a Alemanha de então num monstro.

Este tipo de coisa é de uma perfeita desonestidade intelectual. Ou facciosismo político (o que vai dar ao mesmo).

Francisco Seixas da Costa disse...

Está claro que "em 1938 não havia nazis"! O anonimato ajuda a esconder muita coisa!

Anónimo disse...

A memoria as vezes e curta ou encurta-se...Lembram-se do programa radiofonico "Alegria no Trabalho" produzido pela Fundacao Nacional para a Alegria no Trabalho (Hoje INATEL)? Nao traz a mente a KdF? E tambem a entrada de Auschwitz "Arbeit Macht Frei"? Nao esquecer, nao lavar com omo tide ou o que for, por favour.

Bom dia com sol

F. Crabtree


Anónimo disse...

Mon chere ambassador, j'avais que dire a vous, aprés 50 ans on voit la vie en rose:

osteópo rose, arth rose, néc rose, név rose, artérosclé rose, fib rose… Et vous voyez aussi tout “rose” ...

Reaça disse...

Para quando o panteão em Santa Comba?
O homem foi um gigante superior a suásticas, foices e martelos, compassos e aventais.
E até superior a sotainas!
Só não era superior à Pátria.

Anónimo disse...

Magistral Post! E com tantos saudosos salazaristas hoje em dia ainda é mais oportuno.

Joaquim de Freitas disse...

Incrível a falta de memória dos fascistas e nazis! Então em 1938 "não havia nazis", só alemães !
Em 1933 abertura do campo de concentração de Dachau. Campo de férias, talvez.

Em 1935, as leis nazis de Nuremberga.

Em 1938 , próximo de Weimar, cidade de Goethe, Schiller, Liszt e Bach, abertura dum campo de repouso nazi : Buchenwald!

Ao ler aqui neste blogue que ainda existem admiradores daqueles que metiam nos fornos a gás outros homens que ,sob o pretexto que a forma do nariz ou a secção do prepúcio os tornava indignos de viver, demonstra que os carrascos de amanhã já existem entre nós , prontos a servir os mesmos ideais.

Por causa deles, a imagem do homem é agora inseparável duma câmara de gás.

Anónimo disse...

Caro anónimo das 9:00,
Os primeiros campos de concentração abriram pouco depois de 1933. Já era o começo do Holocausto.
Salazar sabia do Holocausto, conhecia bem o caracter do regime Nazi de Hitler e todavia apoio-o até ao fim. Até só lhe veio a declarar guerra já a Alemnha Nazi caminhava para a rendição, estava destroçada.
A política de neutralidade de Salazar foi uma necessidade. Caso contrário teríamos as tropas Aliadas cá dentro. Não foi uma opção de coração ou ideológica. Salazar era intrínsecamente Nazi. Quem apoia um regime como o de Hitler´faz parte da escória da História. Que é onde a memória de Salazar deve estar e - ficar para sempre.
a)Gonçalo Campos

Anónimo disse...

Só dá para rir!

A falta de argumentos para a via rosa, vai em desespero intelectual, buscar os monstros do passado faltando como é óbvio os comunistas de Staline uns amorosos e santos camaradas!

Anónimo disse...

"é por causa deste "bullying" que a esquerda faz à direita (sempre querendo colá-la ao fascismo e nazismo) que a representação política não é uma curva de Gauss (distribuição normal) com extremos, dos dois lados do "sino", com peso análogo. Uma distribuição normal das intenções ideológicas de voto é que mais se aproximaria da fotografia ideal duma democracia representativa ..."

oh intelectual de chinelo e unha do polegar explica la porque é que a representacao politica corresponde aos numeros reais? a extrema esquerda é o -infinito e a extrema direita o +infinito? deve ser especies de carrapato...

e achas mesmo, tartaruga ninja, que existe uma relacao entre teorema do limite central e os girondistes e os montagnards?


toma la meu filho para que te nao falte nada! vai com deus e nao voltes!


https://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_de_vota%C3%A7%C3%A3o
https://fr.wikipedia.org/wiki/Syst%C3%A8me_%C3%A9lectoral
https://en.wikipedia.org/wiki/Voting_system




ECD disse...

Um pergunta prosaica: como se chamava a fábrica?

Anónimo disse...

Creio que não deve deixar de se salientar que Salazar conseguiu manter Portugal neutral, longe das desgraças da guerra.

Isso é algo que deve ser sempre relembrado de forma positiva e por vezes anda muito esquecido ou é desvalorizado.

Anónimo disse...

De que fábrica se trata? Não seria uma recepção a um investidor alemão, razão por que a hospitalidade impunha bandeira dos 2 países e protocolo de acordo com o regime vigente no seu país?

Embora tal circunstância chegue para explicar as mesas decoradas da foto e os símbolos alemães, cabe perguntar: quem sabia, então, da política de eliminação de Judeus que só foi decidida na Conferência de Wannsee em 1942 (Solução Final)?

https://en.wikipedia.org/wiki/Wannsee_Conference

Por que motivo se aproveita uma foto destas para achincalhar o salazarismo? Quem tem medo das análises sobre o que foi essa época e os ensinamentos que dela poderíamos retirar, não fora a cegueira ideológica que tudo tinge?

Anónimo disse...

Envergonhados no início, mas encorajados pelos fofos que nos governam (no governo e, sobretudo, fora dele), uns meninos tentam sair do armário. Alegres, de barbinha por fazer, muito crentes e muito chegados à família, pululam por tudo o que é rede social: "o Salazar fez coisas boas"; "o regime não era fascista"; "endireitou o país" (foi isso que ouvi o papá e a mamã dizerem).

Este Papa inspira-lhes grandes reservas (mas não o dizem), são amigos de grandes empreendedores (geralmente saídos de um Gabinete ou recorrendo, uma vez mais, aos bolsos do papá ou do amigo (do papá) que é banqueiro ou quase) e, claro, acreditam que o futuro do país (de todos os países) passa pela exportação (vender ao ET) e que todos os grandes avanços na saúde e na tecnologia são exclusivos do privado (que, como se sabe, adora gastar em I&D para recolher os frutos passados 30 anos).

Concordam com tudo o que este governo faz, mas dizem que poderiam ter ido um bocadinho mais longe. Não concordam com o direito à greve (mas isto é pior que o 3º segredo de Fátima, apenas se sussurra), nem com contratos de trabalho. Adoram as sociedades de advogados e as sociedades financeiras (Contribuinte - Estado - sociedade de advogados/financeira - amigo).

(acredito que existam fotografias dessa época com mesas na forma da foice e do martelo (sei lá, por exemplo, no Fundão) só que os comunas esconderam-nas muito bem)

Anónimo disse...

"cabe perguntar: quem sabia, então, da política de eliminação de Judeus que só foi decidida na Conferência de Wannsee em 1942 (Solução Final)?"


o unico problema do regime nazi foi evidentemente a morte de judeus, o resto ainda vai que nao vai...

o adolfo tras la a sopa, homem, estou com fome


Carlos Fonseca disse...

Parece que as "viúvas" de Salazar se juntaram e vieram desaguar na caixa de comentários deste blogue.

E, como é de regra entre os corajosos defensores do braço estendido e do S no cinto, esquecem-se do seu próprio nome.

Anónimo disse...

Dizer que a posição de Salazar sobre o nazismo foi imutável durante todo a sua existência é uma verdadeira edição da história, no minimo, ou no máximo uma valente especulação.

Anónimo disse...

Este Post ajudou, ou teve o mérito, de revelar o que muita desta Direita ainda hoje pensa sobre questões fundamentais, como o Nazismo e a colaboração de Salazar com esse hediondo regime. Convém sublinhar que esta malta, que quer aqui neste excelente Blogue, ao manifestar-se como o fez, quer no próximo acto eleitoral, vai votar - sem hesitação - na tal Coligação de (extrema-direita) Passos Coelho e Paulo Portas, ou seja, PSDS/CDS. Que alegremente receberão os votos destes saudosos Salazaristas e pró-nazis.

Limpa-Comunas disse...

Francisco Seixas da Costa, não passas de um traidor e de um mentiroso que passou os últimos 41 anos a viver às custas dos contribuintes.

Chulo! Chulo! Chulo! É o que tu és, um chulo de esquerda e só mereces é levar bofetada nessa cara de esquerdóide mimado.

Lê e aprende burro:

http://novoadamastor.blogspot.pt/2015/06/no-rescaldo-do-10-de-junho-de-2015.html

Joaquim de Freitas disse...

A fronteira entre as várias "nuances" da direita conservadora e a extrema direita fascista e nazi é assim tão ténue, que a promiscuidade existe. E passar dum voto ao outro é uma fataliade!

Anónimo disse...

Ó Joaquim e Freitas e Carlos Fonseca: vão ler livros, vão ler livros! Mas antes tirem a venda dos olhos, para ficarem mais receptivos ao conhecimento.

Leiam Filosofia Política, meus caros, leiam! Mas deixem em casa essas cartilhas já velhas e cansadas.

Coitados, sempre tão dados à mistificação, ao lançamento de areia para os olhinhos alheios. A direita do Governo, que nem direita é, é um terror apavorante... ai, ai.

A quem serve este tipo de estratégias de revisionismo histórico? Aos de sempre. E depois chamam a quem estuda o período da II República "viúvas de Salazar"... ah, ah. Vão ver as fontes, meus caros. Não se fiem nos intermediários que vos contam histórias...

Francisco Gomes Cabral

Reaça disse...

O gigante estadista a nível europeu e mundial que foi Salazar, ao salvar Portugal de uma guerra mundial e de uma anexação inglesa ou espanhola, e ao tentar alertar na ONU para África não cair nesta desgraça em que está há 50 anos (ingovernável),Salazar tem que ser estudado mundialmente e respeitado por todos os portugueses.

Salazar só via a Pátria, e ao que a ela dizia respeito.

A História está sendo escrita lentamente e far-lhe-à justiça!

Anónimo disse...

Não esquecer...o que se passou com os judeus...o que só por si ...classifica o regime Alemão..!!! É necessário.. não olhar para o lado..!!

Anónimo disse...

Oh Limpa-Comunas,
És um asco fascistóide, meu! Olha, vota Paulo Portas e Passos nestas eleições. Salazar dava-te um prémio, o de prsidente de uma Junta de Freguesia.

Limpa-Comunas disse...

Quero pedir desculpas ao Embaixador Seixas da Costa pelo meu comentário anterior. Temos ponto de vista diferentes e eu num momento de irritação excedi-me. Peço desculpa, mas continuo firme na minha convicção de que o Embaixador está errado.

Cumprimentos,
Limpa-Comunas

Francisco Seixas da Costa disse...

O grande "drama" deste mundo do anonimato é que tudo isto se torna num jogo de sombras, em que não sabemos o que é real e o que é teatro. É bastante triste

Anónimo disse...

http://www.publico.pt/culturaipsilon/jornal/portugal-ficou-de-luto-pelo-ditador-alemao-16711

Anónimo disse...

O que entristece e revolta é continuarem a discutir Salazar e os nazis, que já não têm discussão, e esquecerem o interior do País no post seguinte. Bem se vê o que querem fazer do interior: Entregá-lo as donos disto tudo e fazer umas reservas naturais com uns autóctones disfarçados para inglês ver.
Como estão a fazer?: precisamente esquecendo e disfarçando quando não podem esquecer, para continuarem bem juntinho ao orçamento que “verte” pelas ruas aí em Lisboa, como dizia ontem o Marinho.
O Duriense

Anónimo disse...

Não foi Fereira Leite a primeira a alertar. No final do calamitoso governo Guterres, o ministro Pina Moura fez um célebre plano para controlar as já então incontrloláveis contas públicas.
João Vieira