domingo, 29 de março de 2015

Memorabilia diplomatica (XVIII) - Sexo literário

Foi no Maputo, há já uns anos.

A lista dos condecorados era longa e o respectivo leitor, de nacionalidade portuguesa, era, manifestamente, uma pessoa pouco sensível às letras moçambicanas. Assim, sem hesitação, anunciou a certa altura da solenidade: "E agora, vai receber a ordem X a Senhora Dona Mia Couto".

Um frémito de embaraço e riso sacudiu a audiência. Mia Couto, o excelente escritor de Moçambique, afivelou um sorriso por detrás dos óculos e da barba, encaminhando-se para o palco onde o presidente português o aguardava, também este um pouco incomodado com a inesperada feminização do agraciado.

Um colega meu, de graça rápida, logo deixou cair, baixo: "Ainda bem que hoje não é condecorada a Senhora Dona Sara ... Mago!".


(Reedição de historietas da diplomacia por aqui já publicadas)

2 comentários:

Anónimo disse...

Mia Couto tambem teve de esperar imenso tempo em certos aeroportos porque as pessoas que o vinham buscr pensavam que Mia era uma senhora negra.

Anónimo disse...

Santa ignorância!