quinta-feira, 12 de março de 2015

Do blogue para o facebook

Tenho aprendido muito com as redes sociais. E uma das conclusões a que cheguei é a de que o humor e a ironia, tal como acontece a alguns vinhos, "viajam mal" nessas redes. Venho a constatar ser quase impossível tratar de forma leve e bem disposta alguns temas sem que isso desencadeie, de imediato, um cerrar de sobrolho por parte de alguns moralistas de sofá. Alguns leitores, embora poucos, em lugar de olharem despreocupados para as historietas simples que por aqui se relatam, partem de imediato para um policiamento dos episódios, insistindo em retirar deles ilações supostamente éticas, muitas vezes descontextualizando os factos, no lugar e no tempo.
 
Todas as três historietas diplomáticas que até agora aqui transcrevi foram imediatamente pasto para comentários de "rightouseness", de apontar acusador de vícios de comportamento, subjacentes aos factos relatados, as mais das vezes com uma crítica acerba ao comportamento dos agentes do serviço público neles envolvidos. Imagino que isso possa vir a agravar-se com outros episódios que aí vêm. Alguns desses comentários roçaram mesmo o insultuoso, o que também levo à conta dos tempos de confrontação que por aí já se vivem. E, por isso, não foram acolhidos, porque o masoquismo não é uma qualidade de que me orgulhe. 
 
Nestes dias em que parece estar na moda não sermos "perfeitos", quero dizer que assumo para mim esse estatuto, sem a menor dificuldade. Imagino que alguns leitores sejam irrepreensíveis modelos das virtudes, com que todos os outros não fomos abençoados. Só lhe posso desejar que lhes faça bom proveito.

10 comentários:

Bartolomeu disse...

Cabe-me agora a vez de lhe retribuir, caro embaixador: não leve as coisas tão a peito homem, aproveite o sol (hoje não), descontraia e ria (há quem garanta que o riso é um bálsamo para a vesícula). Mas agora num registo mais sério. Estou de acordo quando refere que o vento virtual ao qual, autores e comentadores lançam as suas palavras, é propício a maus entendimentos; mas isso, apesar de ingrato quando se percebe a gratuitidade das opiniões e ainda a implicância renitente. Da minha parte e porque estou incluido na lista dos críticos, espero não me ter colocado na dos críticos ofensivos porque não foi de todo a minha intenção, ofende-lo. Mas a crítica que fiz naquela história de Marrocos, tenha paciência mas, mantenho-a. Aquilo que comentei acerca do cozinheiro da embaixada do Irão, não foi uma crítica, se assim entendeu, olhe... temos pena, lá volta ao decima a história do mal entendido. Agora, que o Senhor escreve de forma muito agradável, que dá gosto ler, independentemente da forma como vê os critérios isso é inegável. Não lhe vou dizer que se borrife para os comentários e que não deixe de escrever... isso é uma decisão pessoal, fora da minha competência. ;);)

Unknown disse...

Agora sinto-me obrigado a comentar, o que mais gosto deste blog são precisamente estas histórias, podem até vir com menos frequência, mas que venham muitas delas... Adorei todas! Keep going!

Cumprimentos,

ignatz disse...

a minha sorte é não me chamar simba senão já tinha levado um ensaio de flaubert.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caríssimo Chico

Por algum motivo apenas fui ao Facebook por mor do "nosso" Crónicas das minhas teclas, pois não sou "amante" das chamadas redes sociais.

Por isso não faço a mínima intenção de cantar o fado da ceguinha sobre a minha perna esquerda que felizmente parece que está melhor.

Isto porque abomino (abomino ou detesto, escolha-se o termo melhor) a exposição pública dos males que deviam ficar salvaguardados a comentários menos edificantes.E às críticas depauperadas e maledicentes que surgem ali como cogumelos.

Prefiro os blogues. Ponto.

Abç

Graça Sampaio disse...

Fina ironia no seu último parágrafo... muito bem!

Anónimo disse...

Ah ganda Bartolomeu.

Anónimo disse...

Ó ANTUNES FERREIRA, só? Ou também, porém, ou....vamos ver no que isto dá?
Filosofia da feira da ladra ?

Anónimo disse...

Sr. Embaixador, os "virtuosos" andam por aqui para expiar pecados.... e a nós, isso pouco ou nada interessa.
Continue com as suas histórias que a blogosfera não seria a mesma sem o senhor.
Sofia

Anónimo disse...

Bartolomeu, se este blog não está do seu total agrado, tem sempre "A Pipoca Mais Doce" para ler. É um bom blog.

Bartolomeu disse...

Anónimo,
Gosto do nome, soa como António... Antonino, ou coisa que o valha.
Não estou preso ao blog "duas ou três coisas" conheço pessoalmente o embaixador, apesar de ele não fazer a mínima de quem eu possa ser. Mas esse facto não me obriga a qualquer tipo de fidelização.
De resto, satisfaz-me saber que aprecia ler os post do "A Pipoca Mais Doce".