domingo, 11 de janeiro de 2015

Uma certa ideia da Europa

A França sempre deixou claro que tinha "une certaine idée de l'Europe". Hoje, em Paris, à margem da manifestação contra o terrorismo, o ministro francês do Interior convocou uma reunião com colegas europeus. No final, com pompa e circunstância, foi anunciada a disposição de avançar para medidas de reforço dos controlos no espaço europeu, por forma a evitar eventos como os que agora tanto preocupam as pessoas.

Quem eram os países representados na reunião de Paris? Apenas os "grandes" e alguns que se esforçam por parecer sê-lo. A senhora ministra da Administração Interna portuguesa foi convidada? Não creio. Manifestou o seu desagrado? Estamos ainda para saber, mas eu apostaria dobrado contra singelo em como não o fez. A lógica do "diretório" é hoje aceite sob o silêncio de Lisboa.

Esta é a Europa que alguns andam a "construir".

8 comentários:

Graça Sampaio disse...

A Europa alemã... (vingança dos dois desastres que sofreram no século XX)

Abraham Studebaker disse...

Nataniau com Hollande na sinagoga? Ça vaut bien un dessin! Pensam que enganam a quem?

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chico

... e o que é que ela lá fazer? Esticar o braço e als Graçamiga "ist die deutsche Europa!" Heil! Unt nichts.

Abç

Eduardo Saraiva disse...

A MAI foi convidada? Não sabemos ... e o senhor Embaixador, que conhece bem a actual realidade político-diplomática, concordará que, neste caso, o melhor é aguardar e,com serenidade e tolerância, serem tomadas (ou não) certas decisões.

Anónimo disse...

Oportuno, como de costume.
a)Rilvas

Anónimo disse...

Já o escrevi aqui uma vez: o directório dantes andava pelos corredores, discreto e sem alarde, ora em Paris, ora "elsewhere".
Hoje, com o Tratado de Lisboa, está legitimada a informação prévia aos "media" de que o directório se vai reunir( na versão restrita, ou mais longa do regime de Alicante )e quais os pontos da agenda
Não sei porque é que ainda há gente surpreendida com isto.
Nós não deduzimos no IRS despesas com a educação dos filhos porque a lei nos permite? E alguém fica espantado?

Anónimo disse...

Após uma manifestação pela liberdade, os ministros reúnem-se para adoptar restrições à liberdade...

Fernando Neves

JF Moraes Cabral disse...

Meu caro Francisco,
só para que conste: protestamos, insistimos, pedimos esclarecimentos sobre os critérios. Infelizmente não conseguimos o resultado que pretendíamos. Mas as explicações que nos deram foram sinceras e creio que de boa fé.
Em boa verdade, para além das possíveis tentações directoriais, houve sobretudo aqui uma grande confusão e uma necessidade de improvisação próprias a momentos como estes.
Abraço
Zé Filipe