segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Ronaldo, claro!

Sou um "ronaldista" tardio. Sei que alguns não me perdoarão a confissão, mas, durante anos, apreciei muito mais o rendilhado mágico de Messi do que a "fúria" de Ronaldo. Por muito tempo, consegui ver por ali uma força servida por uma técnica excecional, mas Ronaldo não me convencia por completo. Era apenas um Figo em melhor. Além disso, como sou um "reaça" que não aprecia os brinquinhos, o gel a fazer cristas de galo em cabeças reluzentes e os modos estilosos a puxar ao galã serôdio, achava que havia por ali muita saloiíce deslumbrada. Messi, pelo contrário, parecia-me uma estimável "formiga", com aquele íman que lhe prende a bola à chuteira, para depois procurar o buraco da agulha por onde ia sacando os três pontos que o transformavam no "abono de família" do Barcelona. E Messi destilava timidez e aparente modéstia, coisas a que sou sensível.

Porque não tenho nunca a certeza de estar certo, e porque a unanimidade em seu torno se acentuava, passei a olhar com mais atenção para o jogo de Ronaldo. E fui-me, pouco a pouco, convencendo de que aquilo era bem mais do que um jogador de "repentes", ele era um ser raro que já estava no "olimpo" onde eu emprateleirara, ao longo da vida, figuras como Puskas, Cruyft, Pélé, Best, Beckenbauer, Platini e muito poucos outros (e Eusébio não está lá, sorry!). Ver Ronaldo com uma humildade imensa prestar-se a servir uma seleção que não presta (isso mesmo, a seleção portuguesa), que só o (des)ajuda a deslustrar-lhe o currículo, foi para mim uma lição. E Ronaldo tem "crescido' em campo, em visão tática, em descobrir o tempo certo, em ter a frieza quente dos grandes momentos, que dão a volta a um resultado. Vê-lo jogar dá-me prazer e esse é o meu grande e único critério, como amante de futebol.

Ronaldo ensinou-me outra coisa: que se pode ser um ambicioso são. Embora perceba que, em sociedades e áreas competitivas, a ambição é "the name of the game", não a valorizo. Por natureza, detesto ambiciosos. (Eu sei: é geracional, é Maio 68, "é por essas e por outras que isto não anda!" e essas coisas. Mas sou assim, pronto!). Por isso, ao ouvir Ronaldo repetir que queria "ser o melhor do mundo", isso irritava-me supinamente. Agora, depois de o ter ouvido e lido mais em entrevistas, julgo ter percebido que está ali uma boa pessoa, um rapaz simples, com um sonho, a que a sua qualidade lhe confere direito. Ao vê-lo chorar na entrega do prémio do ano passado (não vi a cerimónia de há pouco) percebi, definitivamente, que estava enganado no meu juízo sobre ele. Desde há uns tempos, tornei-me num "ronaldista" convicto. E embora não ache que Portugal deva viver necessariamente concentrado neste tipo de "heróis", c'os diabos!, se o êxito de Ronaldo pode fazer feliz, ainda que por umas horas, um povo que tem estado condenado a tempos tristes, viva Ronaldo! Ele é o melhor do mundo!

21 comentários:

Anónimo disse...

Vieira acaba de me dizer que Ronaldo vai ser jogador do Benfica na próxima época, graças a Isabel dos Santos, à REN, à EDP e à OI. Rita Blanco será a relações públicas. Volta assim a juntar-se a dupla que tão bons resultados deu no BES.
a) Jaime Graça

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chico

Vivó Ronaldo! Vivó! Só de ver a entrevista que ele ofereceu à Judite de Sousa, no meio da tristeza e da saudade dela, Vivó Ronaldo. Vivó! Ecce homo!

Abç

Isabel Seixas disse...

Subscrevo .

Também seria interessante uma gala que agraciasse os políticos anualmente pela sua obra e há tantas divisões e tão bons jogadores.

Estava a pensar em vez de Óscar talvez Zé...

Correia da Silva disse...


O "nosso herói", cr7, deu em grunhir um grito de "guerra".
Foi-lhe atribuída a bola de ouro, ou a... bala de ouro?

patricio branco disse...

"Ver Ronaldo com uma humildade imensa prestar-se a servir uma seleção que não presta (isso mesmo, a seleção portuguesa), que só o (des)ajuda a deslustrar-lhe o currículo, foi para mim uma lição" é a verdade.
ronaldo é o produto do seu esforço, trabalho, inteligência, ambição, profissionalismo

Anónimo disse...

está o platini e não está o eusébio? que raio de prateleira essa...

Anónimo disse...

Cristiano Ronaldo é mais conhecido do que Portugal.
Eu sei que isto dói, mas é a verdade.
Por esse mundo fora Ronaldo leva aos pés o nome do nosso pais ( quantos não terão aprendido num jogo de futebol que CR7 era português, de um país chamado Portugal, que fica onde???,)e ajuda à divulgação da nossa língua, quando discursa em galas da UEFA, ou outras ( quantos não terão ouvido falar português aí, pela primeira vez? ).
A primeira coisa de que nos falam a nós portugueses, quando vamos ao estrangeiro é de CR7.
E, claro, CR7 fala muito mal português, menos mal inglês e espanhol.
Paciência: poucos perceberão nas suas alocuções na nossa língua-mãe que se trata de um português defeituoso.
Quando CR passa na TV, dezenas, centenas de milhões de pessoas estão nesse momento sintonizadas num jogo de que ele é um dos protagonistas.
"Aqui e além-mar", falar-se-á de Portugal nesse momento.
Que Embaixador, por mais genial que fosse, conseguiria esta proeza?
O maior Embaixador de Portugal hoje é Cristiano Ronaldo.
Eu sei que isto dói aos diplomatas, mas é a verdade.

Anónimo disse...

Sr. Embaixador,

Concordo com a substância. Só não percebo é porque Eusébio não tem lugar na sua prateleira, sobretudo, sendo um defensor do binómio humildade - genealidade. Haverá por aí alguma clubite que lhe tolda a coerência?

Manuel Mendes

Anónimo disse...


Ronaldíssimo!!!

Manuel do Edmundo-Filho disse...

Sr. Embaixador,

É difícil não "emprateleirar" Eusébio ao lado de figuras como Puskas, Cruyft, Pélé, Best, Beckenbauer ou Platini. Só mesmo para quem sofre de clubite aguda...

Francisco Seixas da Costa disse...

Não foi por "anti-benfiquismo" que não coloquei Eusébio, um jogador que me deu algumas das maiores alegrias futebolísticas da minha vida (nas jornadas europeias do Benfica e na seleção) e que sempre tive por um homem de grande simplicidade e modéstia, na tal "prateleira". Fi-lo por mero direito à apreciação de valor relativo. Posso estar errado, mas esta é a minha opinião. E dela não precindo, era o que mais faltava! Ah! E fiz parte dos apoiantes da sua ida para o Panteão.

Anónimo disse...

...mas porquê o platini? se o eusébio não era melhor que o platini, vou ali já venho!

Manuel do Edmundo-Filho disse...

Caro Embaixador,

Não tenho razão nenhuma para duvidar da razão que invoca para afastar o Eusébio dessa sua galeria. Era o que mais faltava! Mas, claro, discordo da apreciação que faz. Está a ver como são as coisas? Eu, Benfiquista que sou, já não partilho da ideia do Panteão. Por este andar, daqui há uns anos, lá teremos o Figo, o Ronaldo, o Mourinho... e outros que, entretanto, aparecerem. E teremos o Panteão transformado numa "prateleira" de craques da bola (ainda que d´ouro).

PS.: Tem notícias da nossa "Voz de Trás-os-Montes"? Já reapareceu nas bancas?

Francisco Seixas da Costa disse...

O Platini é uma personalidade detestável, mas achava-o um excelente jogador. Gostos... que, claro, se discutem.

Anónimo disse...

Que tipo ganancioso, a primeira coisa que fez foi olhar para o Messi, como quem diz hei-de chegar às tuas quatro bolas. Até pode ser o melhor jogador do mundo mas como pessoa, tem uma personalidade muito «poucochinha»!
É português, mas teve a desfeita de dizer SIN, em espanhol e não SIM, em português. Parece o sapo da fábula, que ego tão insuflado. Cospe para o ar Ronaldinho, que qualquer dia te há-de aterrar nas ventas, perdão, cara.
Viva o Messi!

Anónimo disse...

Ao anónimo das 12.44: o Ronaldo não fala bem português ? Quantos ilhéus com muito maior escolaridade falam como ele ? Sabe que uma das coisas que ele fazia ,com 12 anos sózinho em Lisboa e numa escola onde troçavam do seu sotaque madeirense ? Treinava ,com a ajuda de um gravador todos os dias , muitas vezes a chorar de solidão e ... de raiva, para falar como os outros . Acabou por falar muito melhor do que muiiiitos originários da Madeira e do Continente e por ser o actual melhor jogador do mundo . E só o facto de ele ontem ter falado emortuguês, diz muito do Homem que ele é .

Anónimo disse...

Se o grito é do Real Madrid, porque razão ele iria gritá -lo em português ?

ARPires disse...

Foi com Cristiano Ronaldo que eu aprendi a gostar de futebol.
Foi com Cristiano Ronaldo que eu aprendi que para se ser o melhor, muito tem que se trabalhar.
É com Cristiano Ronaldo que muitos jovens se identificam e dele fazem seu modelo.
É com Cristiano Ronaldo que o turismo ganha.
É com Cristiano Ronaldo que o mundo sabe da existência de Portugal.
Eu sou CR7 do coração.
Eu gosto do Real Madrid, enquanto lá andar o CR7.
Eu gostarei do Barça, se o CR7 se mudar para lá.
E eu também gosto muito de mim e só não aprecio mesmo nada os comentários que tentam denegrir e retirar prestígio ao português que mais faz pela nossa imagem no mundo.
Fossemos todos um pouco mais ao jeito de Cristiano Ronaldo e o país não estava no estado em que está.
Tenho dito

Anónimo disse...

Caro anónimo das 21.38: "o Ronaldo não fala bem português?" Não. Infelizmente, mas não.
Não conhece uma única concordância, não utiliza os verbos no tempo apropriado, adjectiva erradamente, mas nada disso lhe tira o mérito de que fala.
Aliás, CR fala um muito razoável ESP e ING, atendendo a que foram línguas que, presumo, nunca estudou.
Concordo consigo quando diz que ele é " o actual melhor jogador do mundo . E só o facto de ele ontem ter falado em português, diz muito do Homem que ele é". mas nada disso retira uma linha ao que afirmei: CR7 fal mal português. E joga à bola como ninguém.

Anónimo disse...

Messi rato de sacristia.
Ronaldo cavalo na pradaria.
Dadas as circunstâncias Ronaldo é o melhor jogador de sempre.
Enquanto formos vivos.

Respeitosos cumprimentos e Leosaudações.

Anónimo disse...

Fiz colégio "^`a inglesa" no Funchal. Fiz todo o liceu com aqueles que ao liceu tinham acesso na década de 60... Depois, chegou a hora da viagem para a "cidade universitária" em Lisboa. Naquela altura 1970/71, falávamos "bem" para o meio intelectual do Funchal, mas muito mal para os "lisboetas" que pronunciavam um Luís ou um Filipa(a) que nos deixava a rir tanto ou mais como eles se riam de nós... Quando me lembro, que vontade de rir ainda hoje! E, os que chegavam de Cabo Verde, Guiné, etc, etc; não eram portugueses? Lindley Cintra provou-nos que o objetivo de uma língua é o de nos comunicarmos: galatrixa é tão português como lagartixa. Ambas as formas estão no Sistema da língua portuguesa; uma das formas está na NORMA PADRÃO, que passa por ser a moda de um determinado momento. SÓ ISSO UMA CONVENÇÃO dos "intelectuais" de Lisboa/Coimbra/Porto. Por sinal o Funchal já ultrapassou há algum tempo alguns destes espaços "das convenções"; em cosmopolitismo, facilidade de adaptação e em exemplos de vidas construídas a pulso, sem ajuda moral de ninguém. Os ingleses com quem convivemos durante anos, não eram tão metediços como os nossos irmãos do Continente, mas sem terem a frieza que os portugueses em geral dão como característica inglesa, são bem mais respeitadores das diferenças entre as pessoas e valorizam mais o trabalho individual do que o coletivo: O chamado "trabalho de grupo" à moda dos portugueses do continente. Trabalho de grupo: uma ova! Aquilo é oportunismo à conta do labrego que marra verdadeiramente no trabalho... e, medo de fazer ou assumir as coisas sozinho: Têm medo de falhar sós, têm medo do ridículo, das críticas... Os madeirenses não são medrosos. Aprendem sempre com os erros, porque não são grandes ases nos "trabalhos de grupo". Podem gabar-se de ter um Ronaldo e um Alberto João Jardim. Esqueceram-se das vezes em que o ex-Presidente foi temido por poder vir a deixar os governantes da República ficarem mal nas instâncias internacionais? Tomara que tivessem seguido o exemplo dele nessas instâncias, em vez de se refugiarem na Regionalização por exemplo. O Ronaldo é o que é; bom madeirense, sem disfarces e pronto para continuar nas suas ambições e manias. Muito bom está ele, para quem conhece as dificuldades do meio de onde vem. É uma alegria reconhecer que ELE é melhor em tudo o que ambiciona, comparando connosco (os do Liceu) que fizemos muito menos do que ele. Um HOMEM, que nunca se queixa. Um exemplar perfeito do madeirense, que tem a serra nas costas e o mar pela frente!