terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Tempo de antena

Surgem sempre em Dezembro, com a regularidade sazonal do Natal dos Hospitais. São os tempos de antena de instituições de cuja existência só nesse momento ouvimos falar. Aparentemente, os interesses que defendem só são urgentes nesta época, como os PPR para abater no IRS. Antes do telejornal das oito, obrigando Fernando Mendes a despachar o Preço Certo, ei-los que surgem, sempre por escassos segundos, representados por cavalheiros ou damas cujas duvidosas qualidades de comunicação são agravadas por uma realização estática, fundos de cenário foleiros, textos proclamatórios corporativos que, não raramente, terminam com um "junta-te a nós" ou um "junte-se a nós", dependendo da confiança que nos querem dar. São os representantes dos Amigos dos Linces Listados da Malcata e Zonas Confinantes, da Associação Profissional dos Porteiros de Discotecas "Bruno Pidá", do Sindicato dos Doceiros e Ofícios Correlativos do Sul e ilhas, dos Amigos das Borboletas Monocromáticas da Tapada de Mafra e coisas assim. Nunca percebi como se ingressa nessas listas tão representativas da sociedade civil, caso contrário já lá teria colocado a Associação Enolúdica dos Utentes da Mesa Dois do Procópio, a qual, talvez não por acaso, organiza na sexta-feira próxima a sua assembleia geral anual, travestida de um jantar. Gosto dos tempos de antena associativos. Tal como a aletria, anunciam o Natal.

5 comentários:

Anónimo disse...

O Fernando Mendes despacha o "Preço Certo" e não a "Roda da Sorte"....

Anónimo disse...

O Lince da Malcata era suposto ser hoje solto, ou seja, antes de José Sócrates, embora o Lince, ao que leio, venha a ter uma liberdade mais condicionada, pois durante uns tempos permanecerá numa área confinada, se bem que com razoável dimensão, antes de finalmente o deixarem ir à vida. Já o ex-PM, se tudo correr bem, ou seja, se o recurso para a Relação tiver provimento (e, sinceramente, não vejo porque não haverá de ter, tendo em conta alguma falta de fundamento jurídico em, pelo menos, duas das acusações (ou melhor, suspeições), só deverá voltar à liberdade, embora com os condicionalismos próprios da sua situação judicial, um pouco depois, mas terá um espaço muito maior para se movimentar.
Desejo a maior das sortes ao Lince e felicidades ao José Sócrates, nesta época natalícia. Numa altura destas não se deve desejar mal a ninguém. É de bom cristão, dir-se-á.
Com a devida vénia,
Américo Santos (zoólogo)

Anónimo disse...

Mas onde é que o anónimo das 9:49 leu "Roda da Sorte"? Tenho consulta marcada no Oftalmologista e gostaria de saber se estou a ler bem. Se não, aproveitava a dita consulta para indicar mais esse pormenor...

Anónimo disse...

Caro Anónimo das 15:15

Onde agora se encontra Preço Certo estava Roda da Sorte quando o post foi escrito.

Anónimo das 9:49

Anónimo disse...

Quanto à "Roda da Sorte"/"Preço Certo" estou esclarecido... vou desmarcar a consulta no oftalmologista...