terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Pedro Álvares (1934-2014)

Ao folhear um jornal, dei-me conta, há dias, da morte de Pedro Álvares, aos 80 anos. 
 
Pedro Álvares foi um economista que dedicou a sua vida à questão europeia. Devem-se-lhe sínteses da maior importância sobre o processo negocial que conduziu à adesão, manuais de interpretação da realidade comunitária na perspetiva portuguesa, em todas as suas dimensões, e até um estudo mais recente sobre o Tratado de Lisboa. Era um trabalhador incansável, um divulgador nato e prestou um forte contributo à nossa Representação Permanente em Bruxelas, onde esteve colocado. O meu antecessor no cargo de secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Vitor Martins, tinha-o por consultor próximo e eu próprio ouvi-o diversas vezes, em momentos complexos da negociação comunitária.
 
O nome de Pedro Álvares dirá pouco às novas gerações, nomeadamente àqueles que hoje, no quadro técnico-diplomático do Ministério dos Negócios Estrangeiros, em Lisboa ou em Bruxelas, têm a seu cargo a condução da nossa política europeia. É pena. Se Portugal foi capaz de ter uma prestação eficaz na grande aventura que foi a sua integração europeia deve-o muito a pessoas como Pedro Álvares.  

1 comentário:

Anónimo disse...

Não posso estar mais de acordo. acm