quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O bom e o mau da fita

Até agora, no tocante ao BES, havia o "banco bom" e o "banco mau". Hoje, ao ler com calma toda a nossa imprensa, numa espera longa de aeroporto, dei-me conta de que já está definido o Espírito Santo "bom" (Ricciardi) e o ES "mau" (Salgado).

O mundo anseia por explicações fáceis, adotando as que se adequam às ideias pré-concebidas (os franceses utilizam o conceito de "idées reçues", o que indica melhor que alguém as enviou). Não tivesse Ricciardi, para além do sorriso nervoso, um toque de arrogância de classe que facilmente o aproxima do primo (embora sem o inigualável "stiff upper lip" deste), estaria criado um "bom da fita". Os poderes de turno preferem Ricciardi, o "arrependido", que defende o regulador, que denuncia quem já é tido como o "CDT" (culpado disto tudo). E ainda não chegou o "contabilista do Luxemburgo", um conceito que soa a título de Le Carré...

Não tenho a certeza de que esta personalização da culpa ajude muito a desenrolar o novelo BES. Mas esperemos.

10 comentários:

Anónimo disse...

O CDT não é para aqui chamado.
É o Clube Desportivo de Tondela!

opjj disse...

Neste momento o resultado é de 2 para 1.Veremos a prova dos nove pelo contabilista do Luxemburgo.Empatará? Não creio, pela rapidez que pretende ser ouvido.
Afinal isto é um problema velho desde os anos 2002 com a ESI. Ao que parece,foi fácil enganar os governadores e outros.
Veio-me à ideia, que há uns anos, um qualificado revisor oficial de contas,para não apresentar prejuízos, somava os depósitos a prazo.A coisa foi descoberta, por acaso, por um estudante de economia.
Cumps.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chico

Esperemos - mas deitados...

Abç

Anónimo disse...

From Luxemburgo with love...

Pró Cavaco bolsista disse...

Acha mesmo que aquele ar do Dr. Ricciardi é mesmo um toque de arrogância de classe? Cá por mim iria por um ar un petit peu trolha...Já ao abacial primo, pouco faltou para dar a benção apostólica aos deputados, em Nome do Pai,do Filho e do Espírito Santo

Anónimo disse...

O "bom da fita" é amigo de passos coelho, tout court.
MCarmoMarcos

Anónimo disse...

Ex-presidente do BES foi um dos vários banqueiros a contribuir para a campanha do atual Presidente da República em 2011. Total de donativos a Cavaco ascendeu a quase um milhão e meio de euros.

É Obra, e muita campanha.

Não acha sr. Embaixador

Anónimo disse...

Ai as malas de "cartão" do Oriente !

Anónimo disse...

Anónimo das 21:53
É obra! Então, em troca, teria que dizer que investir no BES não era aconselhável? Valha-nos Deus!
Farinha do mesmo saco!

Antonio Cristovao disse...

como dizia o presidente do Sporting quando apresentou o Riikard como treinador"está tudo tratado, agora só falta encontrar o dinheiro" No GES também já está decidido quem é o bom e o mau , so falta encontrar o dinheiro; vão dizer os investigadores e juízes no fim do imbróglio.