quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Horas extraordinárias

Confesso que não entendo! Por que diabo as audições nas Comissões parlamentares de inquérito não ocorrem com a normalidade dos horários das pessoas comuns? Por que é que não começam às 9.00 ou 9.30 e encerram às 13.00, recomeçando às 14.30 ou 15.00 e encerram às 17.30 ou 18.00? O que é que é que leva - será a necessidade de dramatização? - os nossos deputados a entrarem com as suas reuniões pela noite dentro? Não é a pressa, com certeza, caso contrário já há semanas que podiam ter começado. O que é que se ganha com deputados e convocados exaustos, em maratonas patéticas? Responda quem souber, porque eu não sei.

8 comentários:

Um Jeito Manso disse...

Eu não sei mas a minha ignorância é ainda mais profunda: aquilo serve para quê? Para alimentar fofocas? Para haver matéria para as televisões por cabo? A sério: serve para quê?

Ainda agora acabei de escrever sobre isso.

Aquilo parece-me uma seca bestial que se vai arrastar durante meses para, daí por outros tantos meses, sair um relatório que também não vai servir para nada.

Ou então está a escapar-me qualquer coisa o que também não seria de espantar.

Teo Dias disse...

muito ego e pouco ergo.

as dificuldades de produção neste país depois ressentem-se.

Anónimo disse...

Exaustos?????

Luís Lavoura disse...

É o mesmo que as reuniões do Conselho de Estado, que começam às 5 da tarde e acabam à meia-noite.
É por causa deste tipo de coisas que as mulheres não querem estar na política (nem no topo do mundo empresarial, onde se praticam coisas semelhantes): porque não há horários que respeitem a família.

Anónimo disse...

Estas declarações na A.R não têm qualquer relevância jurídica (ainda por cima o cavalheiro, o Salgado, se deu ao luxo de ir consultando o seu TLM – o que era impensável num inquérito judicial). Perante os magistrados, quer o do MP, quer do Juiz de Instrução, devidamente acompanhado (s) dos respectivos advogados, é que tem valor judicial. Enfim, por muito respeito que nos devam merecer aqueles deputados – e merecem, com certeza – este show reveste sobretudo um carácter mediático.
Tem o condão de agora desviar as atenções de Sócrates. Os “media” estão agora entretidos com isto.
P.

Anónimo disse...

E será, mesmo, que os deputados não recebem horas extraordinárias por isto? É que, se receberem, deve ser quantia bonita de contar...

Correia da Silva disse...

Bardamerda para os corruptos!!!!!

Anónimo disse...

a de horas!Já agora não percebo por que é que a inspecção do trabalho não actua e multa os deputados por estarem a laborar for