quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Boas festas !


8 comentários:

iseixas disse...

Bem o duas ou três coisas Ganhou corpo e a arquitetura da sua personalidade motivadora e estimulante vai desde o pacifismo romântico, passando pelo perfecionismo confrontador até ao estado de pensador de mar alto flutuando num barco à vela com a bússola do conhecimento e saber dos sentidos.

Para mim é uma honra e um privilégio poder deixar o meu testemunho e contributo nos discursos ora quotidianos e acessíveis, ora específicos e de expert que me deixam muda por ignorância e sensatez.

leio diariamente já como hábito de higiene, ou como um espaço onde tomo café com pessoas interessantes.

Daí que desejo com muita ternura Boas Festas a todos os frequentadores deste espaço incluindo o criativo e admirável autor do blogue a quem dedico também a minha gratidão pela partilha das vivências.

Portugalredecouvertes disse...



Em Louvor das Crianças

Se há na terra um reino que nos seja familiar e ao mesmo tempo estranho, fechado nos seus limites e simultaneamente sem fronteiras, esse reino é o da infância. A esse país inocente, donde se é expulso sempre demasiado cedo, apenas se regressa em momentos privilegiados — a tais regressos se chama, às vezes, poesia. Essa espécie de terra mítica é habitada por seres de uma tão grande formosura que os anjos tiveram neles o seu modelo, e foi às crianças, como todos sabem pelos evangelhos, que foi prometido o Paraíso.
A sedução das crianças provém, antes de mais, da sua proximidade com os animais — a sua relação com o mundo não é a da utilidade, mas a do prazer. Elas não conhecem ainda os dois grandes inimigos da alma, que são, como disse Saint-Exupéry, o dinheiro e a vaidade. Estas frágeis criaturas, as únicas desde a origem destinadas à imortalidade, são também as mais vulneráveis — elas têm o peito aberto às maravilhas do mundo, mas estão sem defesa para a bestialidade humana que, apesar de tanta tecnologia de ponta, não diminui nem se extingue.
O sofrimento de uma criança é de uma ordem tão monstruosa que, frequentemente, é usado como argumento para a negação da bondade divina. Não, não há salvação para quem faça sofrer uma criança, que isto se grave indelevelmente nos vossos espíritos. O simples facto de consentirmos que milhões e milhões de crianças padeçam fome, e reguem com as suas lágrimas a terra onde terão ainda de lutar um dia pela justiça e pela liberdade, prova bem que não somos filhos de Deus.

Eugénio de Andrade, in 'Rosto Precário'





Anónimo disse...

Boas Festas e um Ano Novo de bons e alegres momentos para o Senhor Embaixador!!!

Abraham Studebaker disse...

Boas Festas,melhor ano 2015 !

opjj disse...

Boas Festas e um Bom Ano Novo.E assim, continuaremos a tê-lo nesta sua página que em boa verdade é sempre interessante.
Cumps.

Anónimo disse...

Boas Festas e que em 2015 Pinto da Costa e Bruno de Carvalho continuem a dar vitórias ao Benfica.
a) Jaime Graça

Defreitas disse...

Ontem, numa crèche provençal, durante a missa do galo, via-se pela primeira vez "santons" palestinianos, ao lado do Cristo, ao lado dos seus. A missa em dialecto provençal recordava-me por vezes, a missa em Português.
Boas Festas ao autor do blogue e a todos aqueles ,leitores e comentadores, que o animam. Bom Ano Novo, onde a paz ganhe
a batalha!

Anónimo disse...

Senhor Embaixador
Agradeço e retribúo, com muito gosto, os seus desejos de Boas Festas. Permita-me fazer extensivos estes meus desejos a todos os visitantes deste "nosso" Duas ou Três Coisas.
Francisco F. Teixeira