terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A um amigo

Este post é dedicado a um amigo com o qual, ao longo do último ano, pensei várias vezes ir almoçar mas nunca o fiz, a quem, em mais de uma ocasião, pensei telefonar e acabei por não o fazer, junto de cuja casa passei num sábado à tarde e não toquei à porta, para irmos tomar um café e charlar um pouco. Um amigo que, entretanto, soube que esteve adoentado mas que acabei por não contactar, a quem sucederam alguns problemas familiares mas a quem eu, convencido de que não lhe poderia ser útil, acabei por não dizer nada. Ah! e a quem me esqueci de telefonar no aniversário.

Não vou dizer aqui o nome desse amigo - ou dessa amiga - que deve estar um pouco desiludido comigo. Tem muitos nomes esse amigo ou essa amiga. Só eles sabem quem são. Para eles e para elas, aqui fica a minha lembrança amiga neste Natal.

5 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Francisco
A minha avó Joana que era uma santa, dizia-me sempre" não morras com palavras por dizer ou gestos por fazer".
Quando sou acometida de preguicite aguda, lembro-me dela e, ups, "ala que se faz tarde", trato da palavra e do gesto...

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chico

Amigo sou - mas creio que não é nada comigo...

Abç

iseixas disse...

Hum a nostalgia, para remissão dos pecados de omissão ou abandono, quem não a sente, quem não a provoca a quem não merece?
É a vida
É Natal
Boas festas para Si e os seus.

O texto é lindo e passível de personalizar.

Portugalredecouvertes disse...


Feliz Natal Sr. Embaixador
para si e para os muitos visitantes do seu blogue!

Anónimo disse...

O ditado é bem conhecido: "Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje". Quando as "coisas" são do teor da sua postagem, aí é mesmo para não deixar para amanhã. É que o "amanhã" pode nunca mais acontecer...