segunda-feira, 13 de outubro de 2014

"Mind your business!"

Um dia, noutro espaço, denunciei com frontalidade uma aberta ingerência de uma amiga minha, deputada europeia portuguesa, que se arrogava a ter um "droit de regard" sobre umas eleições em Timor-Leste, tomando partido por um dos candidatos. Agora observo outro grupo de portugueses a "mandar bitaites" e a proceder de forma idêmtica sobre o curso eleitoral em S. Tomé e Príncipe. Arriscam-se a que alguém diga que as saudades do império parece continuarem...

Com os diabos! Essas pessoas não perceberão que as nossas antigas colónias são hoje Estados independentes, que já há muito abandonaram a tutela lusitana, que passam bem sem a opinião do antigo colono sobre a sua vida política e que a sua despropositada intervenção pode legitimamente ser interpretada como uma tentativa de tutela de matiz neocolonial? Não entenderão que, ao procederem dessa forma, estão a afetar a dignidade das instituições próprias desses países, que têm o pleno direito de se sentirem ofendidas por essa atitude e a legitimidade de reagirem em consonância? S. Tomé não é um Estado pária, sob o olhar negativo da comunidade internacional, como foi o caso da Guiné-Bissau depois da quartelada de há poucos anos. Não entenderão esses políticos, de vários quadrantes partidários, que é detrimental para a imagem futura de Portugal naquele país que possamos vir a ser acusados de aproveitar a sua eventual fragilidade para nos acharmos no direito de nos imiscuir na sua vida política interna? Porque não tentam isso com Angola ou Moçambique? "É o tentas!"

Apetece dizer a esses políticos portugueses, entre os quais conto alguns amigos, a expressão clássica: "mind your business"!

9 comentários:

Anónimo disse...

Plenamente de acordo. Colocam-nos num sentimento de vergonha. Que figurinhas! Eu teria outra expressão bem Lusa (a transmontana não é publicável): Obviamente demitam-se (de qualquer cargo ou função pública)!...
antonio pa

Joaquim De Freitas disse...



Realmente é terrível de ver regressar com cores do futuro tudo o que era detestado no passado. Só homens sem memoria são capazes do feito.

Anónimo disse...

Olhe que na Casa também quem "meta a pata na poça" http://ma-schamba.com/eleicoes-em-mocambique-1824970

Anónimo disse...

Mas isso não acontece com outros países? Não nos fartamos de ver deputados (e não só) a tomar partido em eleições no Brasil, na Ucrânia, na Venezuela?
E também sobre Moçambique e Angola e Cabo Verde.

Unknown disse...

Sou santomense e muito obrigado pelo post. Infelizmente a memória é curta e o saber estar,o ser sensato deixou de existir.Alguns desses senhores julgam-se os senhores da opinião e do saber que desconhecem...

Antonio Cristovao disse...

Com amigos destes, provavelmente já não precisa de inimigos.

Anónimo disse...

Sr. Embaixador: alguns dos seus "amigos" gostam muito do direito de pernada, sempre em relação aos mais fracos. E algumas das suas "amigas" também. Tantos princípios, tantos princípios... e tanto ridículo!!!!!

Anónimo disse...

o pessoal nao resolve o own business, por tanto tem que ir dar licoes de moral para outro lado..

aprendam oh povos incultos do mundo, olhem para nos, este pais importante de gente sagaz...

(ché pa os tugas nao tem dinheiro nenhum, ehehehe!)


Anónimo disse...

Senhor Embaixador,

Nao poderia concordar mais!

E' exactamente isso que os portugueses tem que dizer aos politicos europeus sempre que vem ca' mandar bitates quando nos temos eleicoes! Vao para a vossa terra!

Cumprimentos