sábado, 18 de outubro de 2014

Gabriel Espírito Santo (1936-2014)

Perdi mais um amigo: o general Gabriel Espírito Santo. Com uma brilhante carreira militar, que o levou ao posto mais elevado da hierarquia - chefe do Estado-maior General das Forças Armadas -, cruzei-o pela primeira vez em outubro de 1974, quando servi sob a suas ordens na 2ª Divisão do EMGFA, instalada então no Palácio da Ajuda. 

Eram tempos político-militares complexos e para sempre recordarei a sua ousadia de levar o Aspirante a Oficial miliciano que eu então era à primeira reunião da Assembleia do MFA, numa apresentação (polémica) sobre a situação partidária da época. Ficámos amigos desde então.

Ainda tenho alguns dos cartões, com letra muito bem desenhada, sempre com uma palavra amiga e personalizada, com que me mandava, com regularidade, a "Revista Militar", que dirigiu por muitos anos. Nela me convenceu a publicar um dia um artigo.

Voltei a encontrar o general Espírito Santo no Conselho Geral da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, que ambos integrámos em 2008. Quando passei a presidir àquele Conselho, meses mais tarde, disse-me com simpatia: "Invertemos posições. Agora, você passa a ser "meu chefe"..."

Era um transmontano sereno, que apreciava e praticava o humor, que olhava o país com grande dedicação patriótica, um democrata, um militar culto. Uma pessoa de bem.

Deixo aqui uma saudação sentida e de grande respeito ao "meu general" e amigo.

7 comentários:

zpf disse...

Alguém de quem nunca esquecerei um telefonema tão surpreendente como amigo - mesmo sem nunca nos termos conhecido pessoalmente…

Zé Paulo Fafe

Franco Caruso disse...

Devo-lhe especialmente ter-me dado seu apoio em duas ocaaiões muito importantes para mim. E recordo a cordialidade no trato e a inteligência dos seus comentários. Não o esqueço.

Anónimo disse...

Jornal do Eexército, e não revista.

Publicação com 54 anos.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caro Francisco

(Uma vez mais o blogger pregou-me uma partida: apagou tudo o que tinha escrito; mas o gajo não me vencerá! Aqui vai de novo)

A) Não conheci o nosso general, mas dizem-me os que o conheceram que era um homem bué fixe. Por isso me inclino em sua memória.

B) Mas hoje o nosso Sporting foi ao Dragom meter três batatas e podiam ter sido mais. Bibó Purto e bibó Lá te guie ou lá o que é. Biba!!!!

Ninguém nos agarraaa!!!!!!!


Abç

Anónimo disse...

Também o General Costa Gomes e outros grandes oficiais do Exército Português eram de Trás-os-Montes! Paz às suas almas!

Acácio Conde disse...

Desapareceu sem poder ter-lhe dado um sempre adiado abraço de amizade. Por ele tinha uma admiração pessoal incondicional e sem limites, pela sua postura, inteligência e verticalidade. Com ele convivi intensa e estreitamente o quotidiano sob o mesmo tecto, no Leste de Angola, durante muitos meses nos já distantes anos setenta. Sei que perdi também um amigo sincero de quem continuarei para sempre a guardar gratas recordações . Deixo aqui o preito do muito respeito pessoal pela sua memória que bem merecia e que sei também era partilhado! Aos seus familiares apresento as minhas mais sentidas condolências.

Vasco Valente disse...

Um militar prestigioso, com uma carreira distinta, que só não foi o primeiro Presidente do Comité Militar da União Europeia porque, na votação final, e na sua imensa presciência - que talvez explique o estado a que UE chegou também nesse domínio - os nossos parceiros optaram por escassa maioria por um finlandês...