terça-feira, 30 de setembro de 2014

Salário mínimo

A Comissão Europeia está desagradada com o novo salário mínimo em Portugal. Acha demais!
 
Talvez alguém devesse inquirir qual é o salário mínimo pago pela Comissão aos seus funcionários. E, de caminho, qual é o salário mais elevado que paga, esclarecendo os benefícios complementares de que usufruem os funcionários das instituições europeias.
 
Não se trata de suscitar nenhuma "inveja" particular sobre os rendimentos de quem, honradamente, cumpre as suas funções nas instituições de Bruxelas. Trata-se apenas de realçar esta espantosa insensibilidade de instituições cujo pessoal não é atingido pelo desemprego, pela pobreza, pelos cortes nos apoios de saúde e educação e que - vale a pena sublinhar - também são pagas pelo nosso orçamento nacional.

11 comentários:

Alcipe disse...

Apoiado!

a) Alcipe

Anónimo disse...

Subscrevo!
P.

patricio branco disse...

presumo que é uma simples questão tecnica, de controle de rotina, o que a com. eur. vai avaliar, o impacto desse aumento de 20€ no orçamento, contas e divida portuguesas, creio que não estão contra, pelo menos por enquanto.
vamos a ver, era o que faltava.
mas país que está sob total comando externo, está desgraçado. há por aqui menos autonomia que a de catalunha em relação a madrid...

Anónimo disse...

falta saber quem comentou.Foi Junker?

Anónimo disse...

Comparar os salários minimos portugueses com os salários máximos dos Senhores da Europa também é por demais vertiginoso. Mas pelo menos que se comparem com os salários minimos do Luxemburgo que é um país pequeno como Portugal e tem lá muitos portugueses a trabalhar! Calculou-se que os portugueses representam mais de 50% da população estrangeira naquele país. Estão, de facto, ali, muitos portugueses a trabalhar. O Salário minimo no Luxemburgo é três vezes maior que o português ? Quatro vezes ?
Em francês há uma giria que afeiçoo: "De qui se moque-t-on?"
José Barros

Anónimo disse...

Obrigado, Senhor Embaixador!

Anónimo disse...

É verdade isso que diz Senhor Embaixador, mas é também uma forma ardilosa de "atirar areia para os olhos" dos ignorantes das lides comunitárias. Que são muitos.
Mas o Senhor Embaixador não faz parte dessa maioria esmagadora, o ilustre Emabaixador conhece bem os meandros da COM e com que a COM se cose, o seu funcionamento e estrutura.
É óbvio que quem se pronuncia sobre o salário mínimo em PT o faz com base em análises, certamente da DG ECFIN, a DG competente para avaliar, monitorizar o impacto no cumprimento das metas estabelecidas por Bruxelas para PT de um aumento de salário mínimo, aqui, neste cantinho da Europa.
Nós não temos ainda autonomia para decidir GASTAR, porque sim, se isso implicar incumprir regras a que nos obrigámos ( "com as calças na mão", é certo, mas ainda assim compromissos estabelecidos pelo Estado português ). Foi também ao abrigo dessas regras que eles nos emprestaram dinheiro.
O alerta da COM é perfeitamente normal e enquadra-se nas suas competências: é para isso que pagamos aos funcionários da COM, ( e tanto é funcionário da COM um
AD 5 como o Senhor JCJuncker ), a todos eles. Para que façam o seu trabalho.
E eles fazem-no bem feito habitualmente, muito bem mesmo.

Anónimo disse...

Diz-me a 'velha senhora' que, por uma vez, apoia sem restrições a douta opinião do nosso caríssimo Autor:

apoiado! diz alcipe,
apoiado! também digo:
deixe que eu lhe participe
desta vez, jovem amigo,
quão de acordo estou consigo!

chega a ser indigno e obsceno
que gente ache ser demais
um salário tão pequeno:
não é gente, são chacais
mafiosos, vis, boçais!

(dezassete e vinte e cinco:
este anónimo de agora,
a insultar com tanto afinco
quem tão pouco ganha à hora,
com certeza muito aforra!)

Anónimo disse...

Anónimo das 15,48
Pode consultar o salário mínimo em todos os países da zona euro (não só o Luxemburgo) nos mapas da Pordata (os que dizem «salário mínimo mensalizado», porque em alguns países ele se refere a 12 meses e o nosso a 14)

Wordix disse...

Se fossemos uns portugueses decentes não consentíamos humilhações, quase diárias, originadas pelas opiniões dessa gente da CE. Podemos agradecer, também, á CE a situação em que nos encontramos, como nação, ao nível social e económico. Somos tratados como delinquentes e corruptos. Interessa estar na UE, nestes termos? Acho que não!

Anónimo disse...

Não só contribuímos para o orçamento como lhes mandamos moedas
Fernando Neves