quinta-feira, 21 de agosto de 2014

"So sorry!"

Ao final desta noite chuvosa na Holanda, depois de um jantar de trabalho, não resisto a reproduzir um episódio que um amigo britânico, chegado diretamente do "Fringe" festival das artes de Edimburgo, nos contou ao café. 

Foi ontem, durante uma atuação de "stand-up comedy". O ator, de nacionalidade alemã, relatou ao público que uma jovem americana que tinha conhecido (ele disse que era loira, mas eu evito referir isso aqui) lhe havia comentado que gostava muito da Europa, mas que achava triste que por aqui se falassem tantas línguas. O alemão, irónico, deixou cair: "Sabe por que é que não se fala uma só língua em toda a Europa: porque nós perdemos a guerra...". A jovem quis ser simpática e logo retorquiu: "Oh! Was that so? I'm so sorry for you!"...

10 comentários:

Anónimo disse...

O Alemão é loiro!
antónio pa

patricio branco disse...

piada de muito mau gosto, espero que se tenha ao menos envergonhado do comentário...

manuel pereira disse...

Não deve ser a única norte-americana(o) a lamentar o que sucedeu na II Guerra Mundial. Maldito Estaline!

Defreitas disse...

O mundo que resultou da guerra talvez não seja exactamente aquele que se esperava. Nas guerras como nas revoluções, há duas espécies de indivíduos : aqueles que as fazem e aqueles que beneficiam. E ao ver o estado lastimoso da sociedade actual, a revolta é grande de ver os oportunistas triunfar sem combate.

Anónimo disse...

Há quem não tenha humor e há quem não perceba que a rapariga era... estúpida!

Defreitas disse...

Só depois de ter postado o meu comentário é que li o comentário do Senhor Manuel Pereira: " Maldito Estaline" !

Seria a primeira vez que leio neste blogue que foi a União Soviética que ganhou a guerra! Induzi que é isso o que o comentador quer dizer, porque foi a União Soviética que impediu Hitler de ganhar a guerra, graças ao sacrifício imenso do povo Russo e do Exército Vermelho.

Assim, se não tivemos a Pax Germânica, escapamos à Pax Soviética, porque no fim da guerra , mesmo se Estaline sonhou de a estabelecer na Europa, faltava-lhe o que existia de sobra nos EUA, que era o dinheiro para a financiar.

E os EUA foram a única potência no mundo que saiu mais rica do conflito. Os outros contendores estavam exaustos, destruídos até às fundações.

Há quem lamente que não fosse a Pax Germânica que tivesse ganho. Sabíamos o que os Germânicos fizeram durante a ocupação da Europa: Genocídios, depurações étnicas, povos escravizados, tentativas de extinção de culturas milenárias, ideologia baseada na supremacia racial , eugenismo, etc,etc,etc.

Não saberemos nunca o que teriam feito às línguas milenárias europeias. A língua de Goethe não é particularmente mais acessível que o Inglês.

Finalmente, os EUA foram a única potência no mundo que saiu mais rica do conflito. Os outros contendores estavam exaustos, destruídos até às fundações.

E assim tivemos a Pax Americana. Com os resultados que cada um pode analisar à sua maneira , mas com uma certeza : A Pax Americana designa uma hegemonia mundial , "envers et contre tous" , que significa uma dominação económica e militar dos USA, sem aval das Nações Unidas, numa posição moderna da Pax Romana.

A grande diferença entre a Pax Romana e a Pax Americana, é que os Romanos nunca procuraram controlar a Terra de "cima" nem de militarizar o espaço.

E os Romanos nunca invadiram nem bombardearam tantos povos:

• Chine : 1945-46
• Corée : 1950-53
• Chine : 1950-53
• Guatemala : 1954
• Indonésie : 1958
• Cuba : 1959-60
• Guatemala : 1960
• Congo : 1964
• Pérou : 1965
• Laos : 1964-73
• Vietnam : 1961-73
• Cambodge : 1969-70
• Guatemala : 1967-69
• Grenade : 1983
• Libye : 1986
• El Salvador : 1980s
• Nicaragua : 1980s
• Panama : 1989
• Irak : 1991-99
• Soudan : 1998
• Afghanistan : 1998
• Yougoslavie : 1999
• Afghanistan : 2001
• Irak : 2003
• Libye : 2011

Propositadamente sem humor !

Anónimo disse...

Defreitas, chato como quase sempre.

Anónimo disse...

Talvez fosse interessante analisar a forma como os Russos "ganharam" a guerra, fazendo dos seus soldados carne para canhão, com total desrespeito pelas populações de onde passavam (as ocupações russas foram particularmente negras), valendo-se quase sempre da força bruta permitida pelos números... ´

Aliás, o talento russo para a guerra não é muito, se analisarmos as suas performances:


- contra o Japão: derrota
- contra a Alemanha (1GR): desistência
- contra a Alemanha (2GR): vitória sofrida permitida pelo apoio material americano
- contra o Afeganistão: derrota

Anónimo disse...

Sobre os Russos:

Diga-se que também venceram o Napoleão com a mesma "tática" com que venceram o Hitler: carne para canhão, terra queimada e... Inverno

Anónimo disse...

Chego à conclusão que há aqui quem leia, digamos , muito depressa : não leram "o alemão, irónico" e não perceberam que a rapariga era ignorante e profundamente buuuurra...