quarta-feira, 16 de julho de 2014

Jacinto Nunes

E se, como homenagem a Jacinto Nunes, lessem estas suas discretas memórias, publicadas em 2009, de que muito pouca gente falou, mesmo por ocasião da sua morte?

6 comentários:

Anónimo disse...

Não falou, muito provavelmente, porque à semelhança de outras figuras com carreiras formidáveis e muito para contar, estas memórias são uma espécie de currículo e são, foram, pelo menos para mim, uma grande desilusão.
João Vieira

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro João Vieira: estou de acordo, mas é o que há

Eduardo Saraiva disse...

Vou "roubar"

Helena Sacadura Cabral disse...

O comentador João Vieira tem toda a a razão. Como em muitos outros casos Jacinto Nunes era um profissional excelente, um professor que muitos de nós não esqueceram - como se pôde ontem ver na Igreja da Estrela -, mas não era um narrador.

ECD disse...

Muito pouco de facto se falou de Jacinto Nunes, sobretudo da sua dimensão académica. "Cosmopolita" , com muitas e muitas leituras e actualizadissimo, Jacinto Nunes foi, com Armando de Castro, nos ultimos 50 anos uma das poucas "torres" da reflexao epistemologica e metodologica da economia. E muito para além da nossa paroquial acedemia.
Deixo, como amuse-bouche, um link para a sua lição de jubilação sua lição dejublição.

http://www.adelinotorres.com/metodologia/JACINTO%20NUNES_Epistemologia%20e%20Metodologia%20na%20Economia%20Contemporanea.pdf

Anónimo disse...

Não terá sido Jacinto Nunes quem ensinou (na Universidade, no Governo e na banca) os génios que deram cabo do nosso sistema financeiro e da nossa economia?