quinta-feira, 24 de julho de 2014

Hoje, 24 de julho

Nem um milésimo da população de Lisboa deve fazer a menor ideia da razão pela qual a longa avenida que liga o Cais do Sodré à avenida da Índia se chama "24 de julho". E é pena.

Foi no dia 24 de julho de 1833 que o duque da Terceira aportou a Lisboa, à frente das tropas liberais (ser "liberal" era então uma coisa diferente daquilo que é nos nossos dias...), para pôr termo à usurpação política do trono por dom Miguel, que procurava opor-se à ordem constitucional e reinstituir o "antigo regime". E, já agora!, convém lembrar que o nome do largo do Cais do Sodré é "duque da Terceira".

11 comentários:

Anónimo disse...

Senhor Embaixador

Usurpação política de D. Miguel?

D. Pedro ao declarar a independência do Brasil não perdeu a nacionalidade portuguesa e com ela os direitos ao trono?

Do ponto de vista da legitimidade dinástica o herdeiro legítimo era D.Miguel.

Anónimo disse...

A Avenida 24 de Julho na realidade termina no cruzamento da Avenida de Ceuta (?) com a Rua Fradesso da Silveira, termina na linha de comboio que liga a linha do Estoril com a Alcantara Terra.

patricio branco disse...

fico a saber, ligava a avenida a algo mais contemporaneo, a data em que começou a ser planeada ou feita ou inaugurada, p ex.
e pergunto me a propósito se presidentes da cml, costa, soares, tambem saberiam quando assumiram o cargo?
de facto poucos sabem...

Anónimo disse...

Ainda bem que em Portugal o PR só pode sê-lo por dois mandatos. De outra forma, Cavaco seria feito por D. Duarte Duque do Terceiro, a não ser que Eanes, Soares e Sampaio o tivessem sido primeiro. Seríamos em qualquer dos casos mais felizes. Trocadilho idiota mas não resisti.

Anónimo disse...

Patrício Branco: Costa e Soares não saberiam, mas pensará que Abecassis, Carmona e, especialmente, Santana Lopes sabiam?
Aí esse sectarismo...

Anónimo disse...

Houvera um duque da Terceira que aportasse a Lisboa, à frente das tropas para pôr termo à usurpação política que procura opor-se à ordem constitucional e reinstituir o "antigo regime".
E, já agora!, convém lembrar que o nome de um largo e de uma rua, pelo menos de Lisboa, viriam assinalar o feito e o Homem.
Oremus!
E.Dias

Anónimo disse...

Uma curiosidade associada: as forças do duque da Terceira, vindas do Algarve depois de transportadas do Porto para lá de barco, depois da derrota naval Miguelista no cabo de S. Vicente, somariam uns mil e tal soldados. As defensoras, comandadas pelo duque de Cadaval, cerca de doze mil, mas foram estas, já muito desmoralizadas, que saíram em direcção a Santarém.
João Vieira

Anónimo disse...

Nada disso! É em homenagem à data de aniversário do actual Primeiro-ministro de Portugal !

Anónimo disse...

Caro anónimo das 23.24,

Nem mais!

patricio branco disse...

sabiam ou não o mesmo, resolvi por facilitismo citar só os ultimos 2...

Anónimo disse...

O PM recebeu um belo presente pelos seus 50 anos.

Ou terá sido uma prenda?