quarta-feira, 23 de julho de 2014

Céu de brigadeiro

Ontem, numa das suas imperdíveis crónicas no DN, Ferreira Fernandes elaborava sobre os "brigadeiros", o doce brasileiro que um cozinheiro internacional desprezou e de cuja simplicidade um escriba culpava a colonização portuguesa. Recomendo a leitura aqui.

Hoje falo do conceito de "céu de brigadeiro", uma expressão também brasileira que significa céu muito limpo e sem a menor ventania. 

A expressão "céu de brigadeiro" prende-se com o facto de brigadeiro ser, naquele país, o posto mais elevado da hierarquia da Força Aérea. Ora o chefe da Aeronáutica, por definição, só voa com um tempo ideal, com um "céu de brigadeiro". A expressão vem dos anos 50 e é corrente numa conversa brasileira.

Porque me lembrei dela? Porque é isso mesmo que estou a "sofrer". Sem voar.

6 comentários:

patricio branco disse...

brigadeiro doce colonial portanto...
é um facto que certa doçaria nossa de que nós tanto gostamos, ultra-concentrados de gemas de ovos e açucar, trouxas, abades e companhia, são insuportaveis para gente de fora, alemães, franceses, mesmo doutros continentes, não gostam deles e não os percebem, dizem ou pensarão porcaria como o chefe oliver.
na verdade, tambem acho que uma tarte de fruta, maçãs, peras, morangos, amoras, é bem mais saudavel e agradavel que umas trouxas, embora não recuse comer 1ou 2 trouxas por ano.
mas a melhor sobremesa é a fruta fresca, é, é...

Anónimo disse...

Em Dili, a CPLP também esteve aparentemente reunida sob um céu de brigadeiro, apesar de algumas nuvens artificiais, e sem a presença brasileira.

Portugalredecouvertes disse...

alguém disse que o Brasil e Angola deram muito a apoio à entrada desse novo pais na CPLP
mas não sei se é verdade, só ouvi dizer

também penso que não é bom deixar os países isolados, quero dizer que pode vir a ser bom para o povo desse país participar na comunidade

Anónimo disse...

A democracia na GE é como a de Angola onde há um PR no poder há 35 anos. Em vez de um filho a quem atribuiu benesses e poder há uma filha. Angola só deveria fazer parte da CPLP quando fosse uma democracia a sério.

Anónimo disse...

Não gosto de brigadeiros, mas gostei muito de saber a sua história. Quanto ao comentário do Jamie Oliver, só posso descreve-lo como ...uma "cretinice".(desculpe o termo).
Achei graça ao seu ultimo parágrafo, pela sua subtileza, mas sabe que pode emagrecer sem "sofrimento" e sem deixar de voar (para usar a sua expressão)? :-)
Bjnhs,
CL ou VW

Anónimo disse...

Cada país tem suas idiossincrasias, suas bombas calóricas culinárias, suas próprias comidas esquisitas ao paladar de estrangeiros. Na França, país que se destaca por sua excelência culinária, a comida geralmente é pesada, usa-se muita manteiga. Na Inglaterra, existe aquela mania de comer bacon. A comida mexicana abusa da pimenta. E assim por aí vai. Vamos deixar em paz os docinhos brasileiros, herança ou não de Portugal? Até porque são quitutes comidos muito de vez em quando, em festinhas de aniversários.