segunda-feira, 30 de junho de 2014

Depósito

Numa fila de um banco, na tarde de hoje, perdi quase meia hora para depositar um cheque. Somada outra meia hora nos correios (e começo a encanitar que por lá me tentem impingir coisas que nunca pensei nem penso comprar), bem como o calor da tarde, fiquei num estado de pré-fúria. 

Ao assinar a papelada, quando chegou o almejado momento do depósito, lembrei-me dos tempos longínquos em que fui funcionário da Caixa Geral de Depósitos e da regra que então ouvi de um colega mais velho:

- Ó Seixas, aprenda-me bem isto: para depositar, aceita-se em papel de cartucho. Para levantar paínço, isso já fia mais fino!

11 comentários:

jj.amarante disse...

Sem pretender ser indiscreto, porque não usou a Caixautomática para depositar o cheque? Era normalmente o que eu fazia quando recebia cheques. Agora acho que até se pode usar o Multibanco para essa função.

Anónimo disse...

Pois é, meu caro Francisco, o serviço ao cliente em Portugal deixa, cada vez mais, muito a desejar, em vários sectores. Nos correios as coisas são especialmente lamentáveis e em certos bancos também. Suspeito que a culpa não é dos funcionários/empregados mas sim da desmotivação generalizada, da falta de formação e da "chico-espertice". Nos restaurantes a questão é especialmente chocante. Se não formos estrangeiros ou conhecidos ficamos para trás e esperamos horas. Tive contudo uma experiência recente muito gratificante no Hospital de Santa Maria em que os funcionários das urgências foram extraordinários, apesar das condições em que trabalham. Um abraço. JPGarcia

patricio branco disse...

mas os bancos e os correios até são serviços que funcionam bem, eficientes, atenciosos. verdade que nos correios oferecem algo por vezes, não quer uma lotaria? mas sem insistir, com um sorriso.
mais perigoso é quando nos bancos querem oferecer algo do intersse deles, uma aplicação financeira...
quanto aos cheques está tudo muito facilitado, já não há que preencher um impresso, o funcionario da cixa faz tudo no sistema e até há maquinas que ios recebem à noite, com ou sem papel de cartucho.
cuidado com as comissões das diversas operações, há sempre uma forma mais barata de fazer a mesma operação...

Carlos Fonseca disse...

O gerente do meu balcão (no tempo em que ainda não tínhamos gestores de conta, que às vezes parecem empregados dos CTT a quererem vender os seus produtos, que, no caso do banco, até já incluiram faqueiros e similares) dizia-me que se eu não tivesse cheques disponíveis, qualquer papel onde manifestasse a vontade de levantar dinheiro - ainda não havia a SIBS - servia.

Outros tempos, não necessariamente melhores. Com o Multibanco e a Internet, não entro num banco há mais de três anos.

Anónimo disse...

Realmente, com os depósitos a poderem ser feitos em qualquer caixa Multibanco...

Francisco Seixas da Costa disse...

Era um cheque especial. Não dava para ser nao Multibanco... acho eu!

Anónimo disse...

"Tu acreditas nisso? Eu não! só deposito ao balcão!"
Alguém bem conhecido na urbe interpelou-me desta maneira quando eu fazia um depósito na caixa multibanco.
antónio pa

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caro Francisco

Como dizia um jornalista veterano quando eu dava os primeiros passos na profissão no "Diário Ilustrado" (deve lembrar-se, com certeza): De cheques o que mais receio é o cheque mate.

E vá lá dizer-lhe que esse era com um x. Caía o Carmo e a Trindade...

Abç

Anónimo disse...

certa vez estava eu em Guimarães numa 6ª feira e necessitava trocar alguns dólares para passar o fim de semana. Entrei no banco fui a seção de câmbio, a funcionaria - o que posso ajudar. - quero trocar alguns dólares. - pois não. entreguei os dólares a ela, ela olhou, analisou verificou, foi falar com um outro funcionário, voltou jogou os dólares no balcão e disse: - não nos interessa tocar, virou as costas e se foi!

Fernando Frazão disse...

Há vários bancos que permitem o depósito de cheques nas suas Caixas Automáticas(ATM) com toda a segurança sendo que, para gáudio do Sr Embaixador, o pioneiro neste tipo de serviço foi a CGD e, já agora, fui eu o líder do projecto.
No Multibanco não é possível por questões técnicas que têm a ver com a compensação entre os bancos.
Há no entanto excepções (poucas) em que o documento tem que ser depositado ao balcão.Por exemplo os "cheques" passados pelo Euromilhões ou emitidos pelas Finanças porque, na verdade, não são, tecnicamente, verdadeiros cheques (não são emitidos por uma entidade bancária.
Quanto aos CTT o maior anacronismo é que a instituição com a maior rede de balcões do país e movimentando importâncias elevadas não tem disponível pagadores automáticos(POS) que qualquer tasca da esquina disponibiliza.
Ou tem "cash" ou nada feito.

Anónimo disse...

A vida real tem destas coisas...