quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Pela calçada


Os ambientes já andavam serenos demais.

O ping-pong cautelar/saída limpa não tem um "appeal" suficiente. Isaltino afinal (ainda) não saiu do xilindró. O Dux (ainda) não entrou para lá. Os Mirós (ainda) não foram vendidos. Que fazer?

Pronto! Está resolvido o problema! A Assembleia Municipal de Lisboa decidiu o fim da calçada portuguesa, em determinados locais, para facilitar a mobilidade. Ora aí está o tema para o "Prós e Contras"!

Estava a ver que não aparecia um novo polarizador de emoções! Este país de conversas de café necessita deles como de pão para a boca...

15 comentários:

Anónimo disse...

Aleluia!!! A "calçada portuguesa" é uma porcaria. Degrada-se facilmente, exige muita manutenção (que acaba por não haver), é terrível quando chove e nos faz patinar e, do ponto de vista ambiental, deve ter sido responsável pelo desaparecimento de muita paisagem.

Anónimo disse...

Portugal é um país fantástico, só é pena ter portugueses.....

Cristina

São disse...

Sem capacidade de comentar!

Anónimo disse...

Pelo andar da "carruagem portuguesa" é melhor retirá-la toda.

Alexandre

Portugalredecouvertes disse...

Eu penso que haverá por aí muitos negócios com pavimentos quadrados 40x40 por exemplo, lisos e impermeáveis para substituir a calçada portuguesa, tentativas não terão faltado
então porque não fazer calçada portuguesa moderna, mais confortável e as reparações necessárias?
é que os turistas até já sabem ao que vêm, e informados pelos guias turísticos, trazem sandálias confortáveis e não sapatos de salto alto!

Alcipe disse...

OS TRÊS RAMOS

Eu preciso de calçadas
prás paradas
militares

Eu prefiro às paradas
as regatas
singulares

Eu sou da aviação
e já me pus a voar

Guerra disse...

Viva Sr. Embaixador.

Não será com receio de que as pedras da calçada venham a ter utilidade diferente daquela. É de desconfiar, porque essa gente não dá ponto sem nó.

Saudações cá da Bila.

Anónimo disse...

Se a calçada for substituida por cimento armado, a segurança já é outra.

As armas e as balas são muito caras para quem tem necessidade de lutar.

Silva.

Anónimo disse...

"Um polarizador de emoções":

"O Estado paga os gabinetes de trabalho mas não as casas particulares, que devem ser pagas por cada um dos ministros. Por isso, avança a "Spiegel", há muitos a dormir no local de trabalho."

E esta?
Em Portugal são muito melhor tratados !


Alexandre

Anónimo disse...

Somos simplesmente pobrezinhos e pirosos!

Isabel BP

Isabel Seixas disse...

Não nos faltará onde tropeçar...

Anónimo disse...

O que é que isto tem a ver com "Portugal"? Tanto quanto tem a opção portuense de não usar a "calçada à portuguesa".

Mania que esta gente tem de que Portugal é Lisboa

patricio branco disse...

optimo, boa noticia, finalmente vamos ter pisos de passeios, praças, etc, como em madrid, paria, londres, etc, a calçada é cada vez mais mal feita, infelizmente, guardem-na para certos espaços emblematicos mas colocada na perfeição...

Portugalredecouvertes disse...



Acho que é muito importante que se salve esse património que se identifica com a nação portuguesa e que é de grande arte, uma vez que andamos sobre pavimentos floridos
vejam como estão bonitas as praças de Macau!
então haverá que estudar diversas soluções para o preservar
antes de destruir o que de bonito e diferenciado se faz por cá

Anónimo disse...

É de louvar esta preocupação com a mobilidade, em especial, dos mais idosos.

Nos tempos que "correm" deve ser mesmo a prioridade, assim conseguirão chegar mais facilmente
aos hospitais, onde serão atendidos...deixo à vossa imaginação!

E temos assunto para muito...

É só calhaus! Ainda se fossem corais...