terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Remédio santo!

Era demais! Aquele embaixador português, conhecido notívago, abusava dos telefonemas tardios para os seus colaboradores, que assim viam o seu descanso interrompido, com as famílias já a protestar. Ninguém sabia bem o que fazer. Afrontar o chefe era uma opção arriscada, principalmente no caso dos conselheiros técnicos em serviço na embaixada, cuja renovação da comissão muito poderia depender do seu parecer. 

Um desses diplomatas, casado com uma americana, era a vítima mais regular das chamadas do embaixador. A sua mulher teve então uma ideia. Uma noite  o telefone tocou. A voz do embaixador surgiu do outro lado. O diplomata respondeu com um ar ensonado. E, ao lado, ouviu-se o arfar crescente da sua mulher, repetindo: "yes! Yes! YES!". O embaixador pediu desculpa e desligou. Foi remédio santo!

17 comentários:

Luis Moreira disse...

O embaixador era um homem digno :)

Anónimo disse...

Excelente! Para quando um livrinho com estas estórias todas, caro Embaixador ?

Anónimo disse...

Pois é, o sexo comanda a vida!...
Já não bastava o sedutor Francês e o Sr. Embaixador aparece agora com esta...

Anónimo disse...

Pois, com telefonemas a essas horas, nem... nem saía de cima.

Cromos...

Silva.

opjj disse...

V.Exª fez-me lembrar um caso verdadeiro. Quando estudava na Universidade estava lá um contínuo que me facilitava estudar abrindo-me salas. Muito gentil. Um dia diz-me que lhe arranjaram o casamento na sua aldeia. Na noite de núpcias no meio do suspiro a mulher chamou-lhe outro nome.Teve 3 filhos, todos tiraram cursos superiores. Porfim não aguentando aquela continuada ensombração, divorciou-se.
Os filhos só o conheciam quando era para lhe pedir dinheiro.
Falo disto com tristeza porque foi meu amigo e decerto não está cá já.
Cumprimentos

São disse...

rrrsss rrss

A senhora merece parabéns , realmente!

Esperemos que o remédio tivesse sido de efeito geral!

Bom serão

Anónimo disse...

Sofria as chamadas tardias, mas recebeu a paga! Foi protegido pelo dito embaixador e por isso chegou por sua vez a embaixador antes de muitos colegas! Por vezes vale a pena ser incomodado...

Anónimo disse...

Penso que ainda é possível ter uma "caixa de voz" que guarda as mensagens a responder nas horas de expediente...

Isabel Seixas disse...

Ai diplomacia a quanto obrigas...

Credo, chamar-se-ia a isso estar ininterruptamente de prevenção ou chamada...

Custa-me a crer que mesmo o inconveniente embaixador tenha acreditado,ó...
Convenhamos;
Só um diplomata severamente diplomático se lembraria de atender o telefone numa hora dessas...

Anónimo disse...

Sendo a senhora americana, não terá sido “YEAH”?
“YES” parece ser um “anglicismo” utilizado aí por Lisboa…
antonio pa

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro opjj: este é um caso verdadeiro, com todos os personagens felizmente vivos

Anónimo disse...

Engraçado, também conheci um chefe de missão que tinha esse hábito, não telefonava para nenhum dos seu pares, telefonava sim, de noite, para os telemóveis das funcionárias dizendo que as queria fotografar em poses escolhidas por ele. Ainda bem que nem todos os VEXAs não são assim.

Anónimo disse...

Caro anónimo das 09:06, o seu comentário fez-me sorrir. Falta de experiência?; A uma senhora americana a coisa sai mesmo como Yes, ou Yessss, nunca Yeah, que é totalmente a despropósito no momento. Mesmo não podendo testar, talvez se pensar um bocado no assunto chegue lá. (ou ver um filme)

Anónimo disse...

Senhor Embaixador concordo com o anónimo de dia 14 de Janeiro às 19h25.

Tem de publicar um livro com alguns episódios da Vida Diplomática.

LBA

Anónimo disse...

Caro anónimo de 15 de Janeiro de 2014 às 10:22: tomei nota da elevada experiência, não sei se apenas fílmica, de V. Exa, auscultando os ruídos lascivos das senhoras da terra do tio Sam. Interessantíssimo o propósito e o despropósito de uns e de outros…
antonio pa

Anónimo disse...

Isto também é "Remédio Santo" para os contribuintes da TV privada "entregarem" dinheiro ao Estado para a produção de filmes que ninguém vê:

"Filomena Serras Pereira diz que operadores de TV por subscrição já "estão a pagar" a taxa anual que permite abrir concursos de apoio à produção."

Alexandre

patricio branco disse...

possivelmente deixou esse em paz mas continuou a chatear os outros colaboradores...