quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Conversas

Há dias, "O Sol", numa nota anónima que traz a assinatura virtual de Pedro d'Anunciação, inseria uma hiper-exagerada mas divertida nota segundo a qual raro era o dia em que eu não andasse a palestrar em ocasiões públicas, por esse mundo fora. Embora as coisas estejam muito longe de ser como o jornal as pinta, a verdade é que, neste quase um ano que decorreu desde o meu regresso a Portugal, participei num número significativo de debates, às vezes sozinho, outras vezes em painéis, quase sempre em Portugal, mas também várias vezes no estrangeiro, além ter feito a apresentação de alguns livros. Em mais do que uma ocasião, tive de fazer uma grande e cansativa "ginástica" para poder aceitar esses convites, mas, com toda a sinceridade, nunca me arrependi dessa minha disponibilidade para partilhar e discutir ideias.

Até ao Natal, vou ter ainda duas ocasiões dessas. Hoje à noite, em Lisboa, falarei das relações Norte-Sul para pessoas com formação em matéria de segurança e defesa. Amanhã, em Vila Real, num painel com Luís Nazaré e Rui Moreira (esse mesmo, o presidente da Câmara do Porto), abordarei o tema da internacionalização das nossas economia. Depois, "sopas e descanso". Até ao ano.

2 comentários:

Anónimo disse...

Lá diz o velho ditado:

"Quem não aparece esquece"


Alexandre

Anónimo disse...

Não me parece nada que aquela nota tenha sido hiper-exagerada.
O Senhor Embaixador está ou é tão hiper-activo que nem dá por isso!