sábado, 5 de outubro de 2013

Viva a República!

25 comentários:

Isabel Seixas disse...

Viva.

Anónimo disse...

Sr. Embaixador,

Permita-me discordar de V. Ex.ª. A República, instaurada dois anos após o homicídio de S.M. El Rei Dom Carlos, marcou o início de um período de perseguições ao Clero, censura e desordem política. Aventuro-me a dizer que nunca nenhum Presidente serviu Portugal de forma tão altruísta e empenhada como os Reis de Portugal.
Mesmo assim, faço votos de que o Senhor Embaixador tenha um feliz 5 de Outubro. Pela minha parte, lembrarei o de 1143, a meu ver muito mais simbólico que o de 1910.

Com os melhores cumprimentos,

Henrique Souza de Azevedo

Joaquim De Freitas disse...

VIVA !!!

Isabel Santos disse...

Viva!

Anónimo disse...

O Senhor Embaixador tem tantos méritos e tantas qualidades. Só é pena que seja tão jacobino, coisa já um pouco em desuso.

Anónimo disse...

Quando admiro uma mulher bonita, e ainda mais quando ela é jovem e muito bonita, aquela admiração atira-me com uma carga emocional muito forte onde se mistura uma saudade alegre e triste!
Alegre porque sempre manifestei e manifesto alegria perante a beleza e, a beleza feminina, sempre me fascinou;
triste porque...
Oh, não digo porquê. Antes quero guardar as boas recordações!
Mas já tenho visto mulheres mais vigorosas a empunharem a bandeira da República Portuguesa que parece darem-lhe mais vigor!
Viva uma República vigorosa!
José Barros

Defreitas disse...

O Senhor Henrique Souza de Azevedo, esquece o estado em que a monarquia deixou Portugal, e "debita" à Républica a cobardia da capitulaçao da monarquia perante Lord Salisbury,obrigando Serpa Pinto a retirar as tropas portuguesas duma parte do territorio português na Africa,humilaçao suprema infligida às elites e ao povo português, que tanto afectou os interesses nacionais e destruiu a imagem do rei D. Carlos.Serpa Pinto, muito mais patriota, suicidou-se pelo Fogo para protestar contra o acto infame do Rei.

Esquece que foi um principe real que "arrancou" o Brasil à coroa portuguesa o que nao evitou o "grito do Ipiranga".

Esquece que a consequência foi a crise financeira de 1890/1891 provocada pela queda brutal -80%-das "remessas" dos emigrantes do Brasil,

O Senhor Azevedo fala de ordem !O 3& de Janeiro de 1891 no Porto,nao foi sob a Republica. Nao foi a Republica que proibiu " A Portguesa" e exilou os revoltosos para o degredo em Africa.

O 31 de Janeiro pre-anunciava o que vinte anos mais tarde deveria acontecer.

Foi neste contexto que a
Republica sucedeu à Monarquia. O regime estava gasto até à corda,e a melhor prova disso é ainda hoje o estado da massa do povo trabalhador, a educaçao politica e mesmo a educaçao "tout court" , e o descalabro das elites.

A ditadura de Salazar nao foi mais que o resultado duma sociedade onde os extremos de msiséria e de corrupçao das elites impuseram aos que possuem a riqueza do pais a protegê-la de todas as maneiras, incluindo com a policia politica .

As familias que possuem hoje Portugal sao descendentes dessas mesmas elites que a monarquia sempre teve ao seu lado, incluindo a Igreja. Nao é de admirar que os mesmos maus hàbitos permaneçam e que o povo português continue na indigência e à bota do estrangeiro, que ele se chame "Troika" ou outro.



A sociedade portuguesa

Anónimo disse...

Como nunca fui politizado não posso fazer comentários. Mas reconheço que é uma data que satisfaz uns e arrepia outros.

Anónimo disse...

O problema da nossa desgraça não é a Monarquia ou a Republica. Os males são outros...

Anónimo disse...

Embora me identifique mais com a República do que a Monarquia, a nossa foi instaurada de uma forma "cobardolas" - o homicídio do Rei D. Carlos e do filho era completamente desnecessário para esses casos é que existe o exílio quando não se consegue uma coabitação democrática.

Presentemente, os moldes na nossa República necessitam de ser repensados e domocratizados.

Isabel BP

Anónimo disse...

Todos de acordo: os "reis" de Lisboa continuam a "mandar" neste país como sempre fizeram...
Antônio pa

Anónimo disse...

entre a republica e a monarquia, nao sei bem qual hei de escolher... geralmente sao sempre uma moças bastante jeitosas...
depende do artista
mas em principio fico com as duas

cumprimentos

patricio branco disse...

a bandeira teria sido alçada ou içada direita ou de pernas para o ar? perguntei e disseram-me que treinaram várias vezes antes, mas não sabiam ainda se tinha saído na orientação correcta

Anónimo disse...

Estaremos no mesmo ponto em que estava a monárquia em 1910???

Portugalredecouvertes disse...



a história é o que foi, nem vale a pena perder tempo com opiniões se seria melhor isto ou aquilo
bastaria analisar e/ou descrever para que não seja esquecida

Catinga disse...

Hoje, a República é rainha!

Anónimo disse...

"5 de Outubro de 1143-5 de Outubro de 2013 " Se estivesse vivo faria 870 anos "- Tratado de Zamora, lido no blog "Estado Sentido".


Alexandre

manuel.m disse...

Porquê ?

Anónimo disse...

"Estaremos no mesmo ponto em que estava a monárquia em 1910???"

Não: hoje estamos sem acento.

Anónimo disse...

Sr. Manuel m:

Leia a História de Portugal, 5 de Outubro de 1143, Reconhecimento de Portugal como Nação Soberana ! o resto é só reflectir um pouco !



Alexandre

Defreitas disse...

A comemoração da data identitária do regime em que vivemos tem uma dupla função, a de render homenagem aos seus heróis e a de execrar os que a traíram. Não se pode estar com a República para a presidir e desprezá-la com o consentimento ao ultraje dos que a apagaram do número de datas festivas.

Há 113 anos a bandeira da República foi hasteada na varanda da Câmara de Lisboa e o povo que a aplaudiu ficou ali a celebrar a vitória de quem, dos vassalos, fez cidadãos, de quem legou um regime que aboliu o carácter hereditário e vitalício das instituições para entregar ao povo o seu próprio destino, de quem aboliu de vez os títulos nobiliárquicos e o carácter confessional de uma monarquia onde as taras de uma família se transmitiam como vírus sem vacina.

Esta é a verdadeira Historia de Portugal

Isabel Seixas disse...

Gosto mesmo desta imagem é tão encorajadora e emana uma força...

Um senhor meu amigo (ávido por manter sempre o protagonismo do poder dos privilégios adquiridos por inerência, nem sempre sustentados em valores, da diferença/neste contexto desigualdade de género diria:

Ah , aí está uma mulher que quase parece um homem...

Anónimo disse...

Ao estado que Portugal chegou hoje... viva o 05 de Outubro, mas de 1143.

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Não Apoiado. Viva o Rei

Anónimo disse...

Para quando um referendo senhor embaixador?

Eu ainda quero acreditar que Portugal é uma democracia e que o povo é soberano!

Por que motivo o Parlamento tem tanto medo de referendar o regime? Por que será?

Por mim... Viva o Rei!