sábado, 19 de outubro de 2013

GOP

Um dos documentos oficiais mais desconhecidos são as "Grandes Opções do Plano", as GOP, para os iniciados, um texto que todos os governos são obrigados, anualmente, a apresentar à Assembleia da República. 

Em tempos passados, coube-me a autoria de algumas páginas desse que sempre foi um dos documentos menos lidos da vida política nacional. Partilhar da produção das GOP é a garantia de se entrar na História pelo mais discreto e menos glorioso dos anonimatos.

Como  gosto de ler textos bizarros, dei ontem uma vista de olhos às GOP para 2014. São só 187 páginas. E, para meu grande descanso e regozijo, verifiquei que nelas o governo prevê, já para 2014, a introdução do Abutre-negro no espaço nacional. 

Finalmente uma boa notícia, caramba!

12 comentários:

Defreitas disse...

Pensei que esse "charognard" estava jà operacional em Portugal, em quantidade exponencial !

Neste momento regalam-se com a quantidade de cadaveres em decomposiçao !

Preto ou branco, o "charognard" tem um grande apetite!

Vale a pena rever o filme "A Valsa dos Abutres" para ver como procedem!

















Anónimo disse...

Nós bem queremos que ele se interesse pelo nosso país mas, pelos vistos, não é esse o seu desejo...

Anónimo disse...

gostaria de ver nas GOP medidas para a proteção dos piscos e pintassilgos que levam tamanha caçada no sul de Portugal!

opjj disse...

De facto, muitos deveriam lê-lo GOP. Estará na Net?
Agradeço que clarifique a expressão Abutre negro.
Cumprimentos

Isabel Seixas disse...


Sr. embaixador no seu melhor...
Não sei que espera o António Costa!!!

Caro de Freitas

Como concordo, veja já agora também o "Voando sobre um ninho de cucos"...

Anónimo disse...

Em 187 páginas descobrir este abutre é "obra"...

Anónimo disse...

Ôba mais abutres ....como já temos poucos...

Defreitas disse...

Ah,Cara Isabel Seixas, como tem razão. Conheço a obra, mas vale sempre a pena repassar por lá. Muito obrigado. Cumprimentos.

Anónimo disse...

Não sei se vale a pena essa nova espécie!.

Já possuímos na nossa fauna bastantes espécies umas importadas á cerca de 40 anos e no séc XXI novas espécies, resultantes de felizes "cruzamentos" entre espécies do sec XIX e séc XX, uma fartura !

Os existentes "speaking deads" protegem muito estes "cruzamentos" !

Alexandre

Anónimo disse...

Abutre.

Nunca este termo teve uma conotação semântica tão prenhe neste país.

Guilherme.

Anónimo disse...

...Mas mais abutres? Com tantos que já temos! Só se será com vista ao que virá por aí, como prevenção...

Anónimo disse...

Pois é, senhor Embaixador, mais uma manifestação de racismo, habitual na diplomacia portuguesa! Se o abutre fosse branco (ou mesmo amarelo, como se dizia antes, quer dizer chinoca) tudo bem, encantados da vida, ó faz favor! Assim, como o abutre é negro, fora com ele! Este seu post vai exigir um pedido de desculpas, em boa e devida forma, pelas vias habituais, digo-lho eu.

a) Feliciano da Mata, anti-racista, anti-colonialista, amigo dos abutres de qualquer cor