sábado, 12 de outubro de 2013

A Turquia em breves conversas

Universitário iraniano, em estágio no país - "Embora se sinta por aqui uma crescente tendência para impor normas de inspiração corânica, nota-se na Turquia um evidente progresso económico e social que faz com que as pessoas sintam que têm um futuro. Ao contrário, no meu país, há uma tristeza muito grande na população, que se sente "raptada" por uma elite política que circula pelos lugares de poder, com uma legitimidade que lhe é dada pela invocação de Deus, por tudo e por nada. Aqui, nota-se um ambiente bastante autoritário, como se viu na repressão às manifestações, mas essa sempre foi a marca do país, desde Ataturk. Há uns anos, o Irão era o país rico e a Turquia o pobre; agora é o contrário. Gostaria de ficar a viver aqui para sempre".

Amigo turco - "Vive-se aqui uma prosperidade económica e uma ambição nacional de grandeza, à escala internacional, que começa a não ser compatível com o retrocesso de costumes que o governo quer impor à sociedade. O "template" autoritário, que continua a ser a marca do país, passou da mão dos militares, que agora são quase humilhados, para um setor da classe política que descobriu uma forma de se prolongar eternamente no poder. Lembras-te de eu te dizer, há mais de dez anos, que a Europa era a nossa esperança? Pretendíamos utilizar a adesão à União Europeia como "escudo" contra o nacionalismo orgulhoso. Com a persistente atitude europeia de rejeição da nossa candidatura - eu sei que Portugal nunca teve essa posição... - as coisas são hoje o que são! Mas as tensões internas vão permanecer muito grandes, podes crer".

Portuguesa residente - "É um pouco inquietante assistir ao surgimento de práticas e leis que revelam a clara intenção de islamizar os costumes. Isso é feito pouco a pouco, às vezes com pretextos de momento, mas pressente-se que há uma estratégia de longo prazo. Há muitos setores na juventude turca que dão sinais de não estarem dispostos a aceitar este retrocesso, que, aliás, acaba por ser contraditório com o prolongamento da divinização de Ataturk, cuja obra foi precisamente na direção oposta. Mas muitos dos meus amigos turcos reconhecem, contudo, o trabalho de Erdogan para melhorar a qualidade de vida e colocar o país no centro da cena internacional. Por isso é que o partido no poder é reeleito".

Governante turco - "Estamos a fazer um esforço de alargamento da nossa presença diplomática à escala global, por forma a colocar a Turquia no patamar de influência à altura daquele que é já hoje o nosso papel no mundo. Temos ações de cooperação para o desenvolvimento em várias áreas do mundo, está em curso uma forte extensão da nossa rede de embaixadas e consulados. Estamos envolvidos em iniciativas para provocar uma nova reflexão sobre o atual injusto equilíbrio de representação no seio das Nações Unidas e noutras instâncias internacionais".

Diplomata turco - "É chocante o modo como a comunidade internacional se comporta no tocante à partilha de responsabilidades no caso dos refugiados sírios. A Turquia assume hoje, sozinha, uma inaceitável parte do peso dessa tragédia, com centena de milhares de refugiados, instalados em dezenas de campos, que se situam, aliás, em áreas menos desenvolvidas do país, que, em alguns casos, duplicaram a respetiva população, suscitando situações sociais da maior gravidade. Temos tido, ao nosso lado, António Guterres, como alto-comissário da ONU para os refugiados, que tem feito um trabalho notável, cuja ação e entusiasmo são hoje muito respeitados, mas que continua a não ter meios para atuar de forma sempre eficaz. A repetição incessantes deste tipo tragédias justifica um esforço internacional concertado".

4 comentários:

Isabel Seixas disse...

Mais uma prova de vida, nos testemunhos. Diversos e diferentes provas de vida...

Anónimo disse...

Parabéns Embaixador porque em duas ou três conversas fez o retrato perfeito do que é a Turquia hoje

Anónimo disse...

ora ai esta um exemplo de bom jornalismo...

pena pena é que nao haja assim tanto jornalista que o faça

bom...


cumprimentos

EGR disse...

Senhor Embaixador : a espaços tenho ouvido referencias a Turquia.
Mas o post de hoje é extraordinário pelos conteúdos e pela diversidade de pontos de vista que projeta.