quarta-feira, 23 de outubro de 2013

10 brevíssimas

1. Catherine Deneuve fez 70 anos. Isto começa a ser preocupante...
2. Moçambique em pé de guerra. É o que dá um país começar a ter dinheiro.
3. Bela passagem de gerência na Câmara do Porto. Agora, a ver vamos...
4. Não é saudável o degradar da linguagem no discurso político interno.
5. Terroristas espanhóis libertados por erros da Justiça. Estas coisas pagam-se.
6. Jean-Claude Juncker ganha de novo no Luxemburgo. É um grande amigo de Portugal.
7. Tenho pena pela quebra do FC do Porto no plano europeu. Sem ele, goste-se ou não, Portugal não tem futuro no futebol internacional a nível de clubes.
8. Discretamente, saiu da cena da vida o general Belchior Vieira. Era um senhor das nossas Forças Armadas.
9. Continuam as dissonâncias no executivo. Agora é o "programa cautelar". Caramba: não conseguem combinar nada? Ou falar menos?
10. A entrevista televisiva do embaixador angolano em Lisboa foi modelar. Defendendo, com elegância diplomática, os interesses que o seu país entende dever defender.

17 comentários:

jmramalho disse...

Diplomaticamente, "..os interesses que o seu país entende dever defender." Claro que os interesses subjetivos defendidos não se confundem com os interesses objetivos do Estado Angolano, mas não cabe ao embaixador definir esses interesses. Estarei certo?

Anónimo disse...

Se me permite embaixador eu incluiria mais uma.

Sabe quantos países com governo socialista restam agora em toda a União Europeia?

Apenas 3:

1. Grécia 2. Portugal 3. Espanha.

Os 3 estão endividados até o pescoço.

Por que será, hein?

A esquerda não diz que o socialismo é a solução para o mundo?

Como bem disse Margaret Thatcher, quando 1ª Ministra da Grã-Bretanha:

"O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros."

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade.

Anónimo disse...

É extraordinário concordar com todos os pontos! Em especial no ponto 1 (como vai longe a "Belle de jour") e no ponto 10 (um Senhor Embaixador).
antonio pa

Alcipe disse...

O comentador acha que Rajoy, Samaras e Passos Coelho sao socialistas dos quatro costados ou acha que so estes três países, Espanha, Grécia e Portugal, que tiveram governos socialistas no passado, sofrem a crise, enquanto todos os outros, que escaparam sempre a peste socialista, nadam no leite e no mel? A ficção política tem futuro em Portugal!

João Ventura disse...

O anónimo das 13:09 não estará desfasado no tempo? E por algumas dezenas de meses...

Anónimo disse...

Sr. Embaixador

Quanto ao ponto 2: a pior desgraça que pode acontecer a um país africano é tornar-se rico. É a maldição da abundância!!!

Vivi lá até há pouco tempo e tenho muita pena da população indefesa.

Mariana Madeira

Defreitas disse...

O Anonimo das 13:09

Hoje, a direita e a esquerda tentam de manter a diferença entre os dois artificialmente, vivendo graças a uma verdadeira manipulação eleitoral. A lei eleitoral e não a democracia, impõe um "campo" de direita e um "campo" de esquerda para ganhar os grandes escrutínios. O monopólio dos partidos políticos sobre a representação transformou-se num verdadeiro flagelo, uma ameaça para a democracia. Os partidos políticos representam , em teoria, as ideias. Um pais não sendo composto que de ideias, mas também de pessoas reais, é preciso ultrapassar esta clivagem.

Ao centrar o debate publico sobre uma clivagem que não diz respeito realmente à sociedade mas somente a uma lógica interna do jogo politico, renunciamos progressivamente à democracia. O coração da democracia é a representação dos cidadãos.

Ao ver o trânsito dos trânsfugas dum partido para outro, por vezes de "côr" radicalmente oposta, e a invasão dos independentes, só a lógica do jogo politico o pode explicar

Espera-se do politico como primeira qualidade a capacidade de jogar um papel mediático; noutras palavras a capacidade de fazer teatro. Assistimos a uma confiscação politica da representação.
Vejamos em que abismo os actores de teatro que temos lançaram a Europa e o nosso pais. Esta situação é a consequência da existência artificial da clivagem direita/esquerda. Porque são obrigados a gerir a mesma miséria, eles só são diferentes na dose e no tempo da austeridade que aplicam. O árbitro é a finança internacional e os conglomerados, as grandes empresas. Estes é que decidem.

Nos Estados Unidos pode-se escolher entre um liberal de direita e um liberal de esquerda, sempre no mesmo sistema. Na URSS dos anos 8O tanbém era possível escolher entre um comunista de direita (extrema esquerda) e um comunista progressista (centro esquerda). Sempre no mesmo sistema.

Em França, em Portugal, na Espanha, e noutros países, pode-se escolher entreum socialista democrata e um social democrata ! Mas em tempos de crise, quando o dinheiro não chega para tudo, porque se produz menos, e se consome menos, o socialista democrata vira socialista liberal democrata, e deve gerir como o social democrata que já era liberal.

"Dura lex, sed lex" : Uns e outros, nos tempos que correm, obedecem à mesma lei : a do mercado e a da finança. :

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Anónimo das 20.22: o que transcreveu não tem nada a ver com este post

Anónimo disse...

Caro Francisco, concordo bastante, se bem que para um mouro, como você e eu somos em termos clubisticos, o ponto sobre o F.C.Porto me pareça algo excessivo...Por outro lado, o Embaixador de Angola acaba de ser desmentido pelo seu MNE. Um abraço. JPGarcia

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro JPGarcia:
Quanto ao Porto, olhemos os últimos 30 e tal anos.
Quanto a Angola, esse é o risco que correm todos os embaixadores: tentarem interpretar os interesses do país...

Anónimo disse...

Sr. Embaixador, não vi o mínimo de contradição entre os responsáveis angolanos! Os discursos têm tons diferentes de acordo com a função institucional, como é claro e deve ser! Aliás até me parece admirável a consonância dos dirigentes angolanos, a lidar nos respetivos postos na forma correspondente e adequada, num assunto tão delicado. Compare-se com o nosso caso, o do programa cautelar e outros: Autênticos elefantes em lojas de porcelana. Não percebo a cedência do Sr. à observação do caro JPGarcia.
(Quanto ao Porto, mesmo com 10, se ganhasse, era um resultado perfeitamente justo - também foi justo perdendo. E, como diz, se não for o Porto (e/ou o seu Presidente!), sei onde irá acabar o futebol Português. Mas também não tenho isto como qualquer prioridade “existencial”, obviamente!)
antonio pa

Anónimo disse...

Caro Embaixador,

Ponto 1. Preocupante e mas algumas "idosas" continuam belas.

Julie Christie, 72 anos de idade, nascida em Assa na India. Sera que o cha a mantem em forma e faz bem a pele?

No proximo dia 28 de Outubro em King's Place, Londres vai participar njuma homenagem a Pablo Neruda.O programa e apresentado por Adam Feinstein (biografo de Neruda). Julie Christie le os seus poemas favoritos em ingles e a actriz Rosana Manso os dela, em espanhol. Cancoes compostas e cantadas por Silvia Balducci. Ana Maria Pacheco mostra oito pinturas que acompanham o livro a ser lancado e Nova York e Dezembro.

Ja temos aqui 4 mulheres bonitas dos 20 aos 70! Todas alinhadas a esquerda.

Creio que ainda ha bilhetes...

Ainda ha "cheiros" de socialismo por aqui.

Saudades de Londres.

F. Crabtree

Jorge Dias disse...

Sr Embaixador,

Ponto 7:
Jogos europeus nos últimos dez anos (Fonte UEFA):
SLB - 119 (1.º europeu);
SCP - 99;
...FCP - 94.
Conforme pode observar, as aparências enganam muito. Embora seja incontestável o "leadership" nacional do FCP (no relvado e fora dele), até o moribundo SCP consegue mais jogos europeus nos últimos dez anos. Quanto ao SLB, alvo de todos os ódios azuis e verdes, fica-se pelo 1.º, sim 1.º, lugar europeu em termos de jogos; e para ter tantos...deve ter ganho alguns.
Como vê e sabe, tal como no mundo da diplomacia, as aparências muitas vezes enganam; não deveria custar reconhecer, sobretudo no seio das nossas hostes, ao glorioso SLB o titulo de expoente máximo nacional na cena futebolística europeia dos últimos dez anos.

Anónimo disse...

Juncker ganhou mas uma coligaçao negativa po-lo fora arredando-o assim a sua candidatura à Comissao. Delors lança Lamy a ver se pega umfrancês. Lagarde de fora enquanto perduram processos em Tribunal.

Anónimo disse...

Concordo com Jorge Dias, claro.Viva o Benfica! JPGarcia

Francisco Seixas da Costa disse...

Aos benfiquistas: deixem-se de ilusões e olhem para os últimos 30 anos.

a) um Sportinguista

Anónimo disse...

Ha uma ma gestao por parte do governo das relações com Angola que é um Estado soberano e tem plenissimo director de "olhar para outros horizontes", coisa que Portugal também o faz. faltam-nos aqui politicos desassombrados e com autoconfiança necessaria para por as coisas no seu Lugar. nem Portugal deve dar demasiada importancia a afirmações de que a relação connosco não é "prioritária", o que é obviate the um sound bite Mais destination a consume politico interno Angolano. lidar com a falta de destreza de Machete já é outros assunto.Portas de quem não gosto, não terai feito o memo error. É um verdadeiro politicão.