domingo, 22 de setembro de 2013

Nós e a Alemanha

O porta-voz do PS acaba de considerar que a vitória esmagadora da CDU/CSU é "um mau resultado para a Europa". 

Não sei se é ou não, só sei que Angela Merkel, se os socialistas forem poder em Portugal durante os próximos quatro anos, será a chefe do governo alemão com a qual o primeiro-ministro socialista vai ter de lidar, com a qual vai trocar, na sua primeira deslocação a Berlim, naturalmente ido de Paris, os beijos sorridentes da coreografia diplomática tradicional, com a qual subscreverá, em conferência de imprensa à saída do "diálogo frutuoso e construtivo" que constituiu esse encontro conjunto (que uma fonte anónima de S. Bento deixará cair à comunicação social que durou muito para além da meia-hora programada), a "vontade comum para trabalhar num quadro europeu cada vez mais liberto de tensões, através da construção de uma agenda de governação económica sustentada por respostas credíveis para pôr termo à persistência dos efeitos da crise em vários Estados da União Europeia, cada vez mais necessárias para a preservação da estabilidade do euro e para o desejável aprofundamento do projeto europeu, que Portugal e Alemanha partilham". Ambos vão indicar que, com essa finalidade, manterão "um estreito contacto e um constante diálogo, com vista a garantir um trabalho frutífero comum nas instâncias da União, para enfrentar os grandes desafios com que hoje a Europa se confronta, num clima de confiança e abertura, à altura da excelência das relações de há muito existentes entre os dois países". A chanceler alemã, que o primeiro-ministro convidará a visitar Portugal "numa data futura, a definir através dos canais diplomáticos", expressará "a confiança que tem em que o novo executivo português prossiga as necessárias medidas de consolidação orçamental", deixando "uma palavra de sincera admiração pelos esforços levados a cabo pelo povo português nos últimos anos, que deverão conduzir a uma saída da crise num prazo razoável e à retoma de um processo de desenvolvimento no qual os investimentos alemães em Portugal continuarão a ter uma relevância muito importante". Pegando na palavra da chanceler, o primeiro-ministro português aproveitará o ensejo "para saudar as empresas alemãs que estão presentes na economia portuguesa, estimulando outros investidores alemães a apostarem no mercado português, no qual poderão encontrar excelentes oportunidades e um grande abertura". 

Alguma imprensa notará, contudo, que, após a conferência de imprensa, a chanceler não acompanhará o primeiro-ministro português até ao carro, no termo da longa passadeira vermelha onde o havia recebido no início do encontro, ocasião em que ambos, entre sorrisos, haviam apontado para o céu, referindo-se seguramente ao tempo que fazia em Berlim. 

25 comentários:

Isabel Seixas disse...

Só nos faltava continuar a versão dos beijos da Mulher aranha...
Um azar nunca vem só.

Anónimo disse...

Mau resultado? Tomara um cego vê-lo...
António pa

Um Jeito Manso disse...

Gostei do que escreveu. Há jogos que devem ser jogados por quem os sabe jogar. De igual para igual, apesar das diferenças.

Mas há quem não perceba isso, há as concierges, os palermas, os meninos armados em valentes.

Tem que fazer coaching junto aí de uns quantos aprendizes, Embaixador...

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Eine große Scheiße!

Auf Wiedersehen

(tradução ilegível)

Anónimo disse...

Eu acho que os alemães votaram em quem quiseram, como os portugueses votaram em 2011. Felizmente, são ambos povos adultos e responsáveis que vivem em democracia, como se verá (o mais tardar porque não acredito que estes aguentem tanto tempo) em 2015, quando os portugueses justamente correrem com quem os enganou em 2011, e ainda em 2016, quando correrem com quem os anda a enganar desde 2006, o grande (ir)responsável desta tragédia.

Anónimo disse...

Que delícia! Vai ser isso mesmo! Só não se sabe quem será o tal Primeiro Ministro. Seguro ou Costa? Mas gostei, caro Embaixador, gostei mesmo. Você sabe-a toda

patricio branco disse...

uma declaração de mau gosto, politivamente imcorrecta, revelando falta de visão, de acomodação, etc.
e qual seria o bom resultado para portugal, o sr seguro devia dizê lo...

Anónimo disse...

Há uma coisa que, em politica, deve ser muito dificil. Mas muito dificil mesmo!
Esta por exemplo: para um politico que pretenda governar, ainda que a vitória da Merkel não lhe agrade, não o pode dizer! E mais: para os hábitos portugueses as dificuldades são acrescidas porque o politico português tem de beijar a senhora e cingi-la com aqueles amplexos e palmadinhas nas costas!
Safa! Como deve ser dificil!
Mas percebo, agora, o porquê de as pessoas no Facebook serem todas amigas...
José Barros

domingos disse...

Que texto notável! Para quem não se tenha apercebido da ironia, um ramalhete de lugares comuns tão característicos da vulgar retórica diplomática. Quanto à questão de fundo,haja mais calma. Os alemães nunca foram muito difíceis de "levar". Haja artistas à altura!

Anónimo disse...

Os Portugueses (e mais alguns) são como as criancinhas: Abominam os pais quando são obrigados a lavar as mãos, dormir a sesta, etc…
Eine verdammt große Kontrapunkt zu der großen Party!
Auf Wiedersehen
(tradução disponivel no google)
António pa

Defreitas disse...

Falta de realismo dos socialistas portuguêses, que deviam antes preparar os bons argumentos para colaborar na procura de uma nova politica mais solidària na Europa,sobretudo se os socialistas alemaes (SPD) voltarem ao governo.

Certas reformas que os liberais bloquearam até agora, vao poder ser de novo apresentadas.

Marchando de maos dadas com Holande e o SPD, eles podem levar Merkel a adoptar uma politica mais produtiva para a Europa, na qual os excessos do liberalismo seriam combatidos.

Sem esquecer que o perigo do populismo neo fascista que mostra o nariz em França e noutros paises, alimentado pelas desilusoes da incapacidade dos partidos de direita e de esquerda a debelar a crise,pode dar um golpe fatal no prejecto europeu.

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro Francisco, post delicioso, pré monitório e fazendo-me lembrar o melhor Eça.
A reforma da carreira deu-lhe asas, meu amigo!

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

BRILHANTE Senhor Embaixador, muito bem visto

Anónimo disse...

Simplesmente genial!

Anónimo disse...

Onde é que eu já vi isto?

Subtraindo o último parágrafo, tudo soa a déjà vu.

Resultados práticos é que não existem, a menos que consideremos exactamente o dito último parágrafo...

Anónimo disse...

Nós, tradutores de português da Senhora Merkel, agradecemos muito o texto do Senhor Embaixador, que nos facilitará muito o trabalho durante este próximo mandato, podendo servir-nos, na vossa interessante expressão, de "chapa" para todas as visitas oficiais do vosso país. Com a maior consideração

a) Sabine Schadenfreude
Serviços de tradução da Chancelaria Federal
Berlim

PS - Apresente os meus amistosos cumprimentos a Herr Damatta, burgomestre do Golungo!

Anónimo disse...


A 'velha senhora' desespera - e rimalha, rimalha:

que patego nulo é esse?
porra! grã cavalgadura!
e o (in)seguro do ps
não desmente, antes segura,
porta-voz de que até gosta
pra fazer o ninho ao costa
quando ao leme este estiver
e for ver a chanceler!

ter seguro - este - em pm?
pior fazer nem sequer pode:
passos portas são 'quand mêmme'
com cavaco quem nos… lixa.
este gangue nada teme,
vê que o povo não explode
e enche a pança das finanças
mai-las suas grandes panças.

ai de nós, quem nos (s)acode?
venha alguém que o povo acorde,
por favor, quem se incomode,
seja lady, seja lord,
com bigode ou sem bigode!…

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor astuta, ao género germânico, Frau Sabine!

Anónimo disse...

Ainda a "procissão" portuguesa não saiu do adro...e também os aventais dos maçons não foram ainda "limpos" !!!!!!!

Alexandre

Alain Demoustier disse...

Caro Francisco, gostei muito !

Anónimo disse...

Muito bom retrato da política e das relações internacionais ao mais alto nível.
Ainda assim, há casos de verdadeira amizade entre políticos de facções diferentes.
Mas é preciso que os mesmos, para além de políticos, sejam grandes homens e mulheres.
Posso pedir coisas?
Gostava muito de ler um texto escrito por si sobre estas amizades de alto nível (de preferência, com exemplos).

Anónimo disse...

Caso tenha interesse. ler no Blog "Portugal Profundo" : mémoire de Sócrates


Alexandre

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Patrício Branco

Que comentário mais chocho. Apesar de ser fraquinho, o sr. Seguro (/como dizes) não podia fazer pior do que "estes"

Anónimo disse...

quem nao quiser o jugo alemao, ou outro qualquer,
que nao se comporte como boi..

e pelo que se ve nao ha cangas nem albardas que bastem


va-la, temos a sua agudeza de espirito



Anónimo disse...

Notável!
Será que o Sr. AJS lê o blog?
Caso leia, duvido que lhe sirva para alguma coisa? Daquele mato não sai coelho... mesmo!

JR