sábado, 6 de julho de 2013

As cidades e o poder

Ontem e hoje, em Guimarães, discutimos as cidades. O pretexto é, como não podia deixar de ser, a experiência da Capital Europeia da Cultura.

Dei a minha contribuição com uma memória reflexiva, algo irónica para aligeirar o ar dos tempos, sobre o diferenciado peso das cidades em Portugal. Quem quiser, pode lê-la aqui.

5 comentários:

patricio branco disse...

entre vários criterios, a qualidade de vida duma cidade mede se tambem pela limpeza.
funchal e évora p. ex são modelos de ordenação e higiena, em lisboa é vergonhosa a situação, os plasticos e papeis acumulados nos passeios, zonas arborizadas, etc.
manter os espaços ajardinados em bom e bonito estado é outro criterio.
transito fluido outro.
vida cultural, infelizmente está em dificuldades actualmente.
é curioso que a propaganda eleitoral de rua tambem é um indice. cartazes que ficam expostos não só no dia das eleições e anterior, como durante meses (qual a responsabilidade dos partidos alem das autarquias?)
um ex. na madeira todo o material é limpo por equipas durante a noite de 6a para sábado, na manhã do dia de reflexão já nada se vê, correcto e exemplar, e de acordo com a lei.
mas penso que o post fala de fazer o balanço das cidades como capitais da cultura e tirar daí conclusões e aproveitamentos de vária ordem

Anónimo disse...

O Funchal é realmente um bom exemplo. Mesmo para as iluminações de Natal em Lisboa por ex. deixo a sugestão de que as pessoas responsáveis pelas festas natalícias reunissem com as que no Funchal têm as mesmas funções. Nem seria necessário aumentar as despesas, pois o que é ridículo mesmo é - muitas vezes - o tamanho desproporcionado dos enfeites relativamente às ruas aonde são colocados. Na av. 5 de Outubro é flagrante. Todos os anos reparo que não melhora nada. O intercâmbio cultural das cidades passa pelos conhecimentos próprios de cada uma, como enriquecimento e melhoria de todas.

Portugalredecouvertes disse...



Neste contexto, eu gostaria de mencionar que muitas vezes ouvi dizer que
"mais faz quem quer que quem pode"
à minha volta, na cidade onde moro, o que tem mais "charme" são as construções do tempo de antes da "democracia", (claro sem saudades desse regime!)

Veja-se o que escreve o blog Lisboa S.O.S.

http://lisboasos.blogspot.pt/2013/07/em-defesa-do-hospital-miguel-bombarda.html

assim em "tempos difíceis" aparecem homens extraordinários que lutam pelo bem comum.

margarida disse...

Linda foto.

Isabel Seixas disse...

Ó Margarida achei a foto assim como assim pirosita...Os gostos não se discutem e confesso estou a ficar no meu heterónimos espírito de contradição...