quinta-feira, 20 de junho de 2013

Osvaldo de Castro (1947-2013)

Osvaldo de Castro foi uma figura relevante dessa Coimbra mítica da crise académica de 1969. Nesse tempo, só lhe conhecia o nome. Depois, em algumas fotografia históricas da época, vim a identificá-lo com uma gabardine branca, "à Vittorio Gassman". Noutras, como a que surge em cima, aparece a falar "às massas", como vice-presidente da Associação Académica de Coimbra, durante esse belo movimento que contribuiu para desmascarar a farsa marcelista.

O Osvaldo morreu hoje. Só me recordo de o ter conhecido pessoalmente na aventura política em que ambos tivemos o privilégio de participar, a partir de 1995. Cruzei-me então, numa empatia geracional que logo nos uniu, com o humor e a ironia deste homem de fortes princípios, cuja evolução cívica se fez com serenidade mas também com forte convicção. Ele soube correr os riscos de quem colocou a sua própria liberdade em causa, em favor das ideias que defendia, mas, igualmente, foi capaz de assumir, com frontalidade e face a não poucas incompreensões, a necessidade de concluir que, para novos problemas e num tempo diferente, as respostas tinham de ser diversas.

Guardo, muito em particular, recordação dos turbulentos dias que ambos passámos em Seattle, representando Portugal na frustrada reunião da Organização Mundial de Comércio, em 1999. Rimos então da caricata situação de nos vermos protegidos pela polícia, em face dos manifestantes, muitos deles bem violentos, que identificavam os delegados à conferência como o "devil" a combater. É que, décadas antes, não nos passava pela cabeça que viesse a ser esse o nosso lado da rua...

Aqui fica um forte abraço ao Osvaldo e o meu respeito à sua Família.

4 comentários:

São disse...

Triste notícia.

Não o conhecia pessoalmente, mas frequentava-lhe o blogue e estranhei que nunca mais escrevesse nada lá.

Que esteja em paz!

Pêsames a quem o estimava, especialmente à família.

Teo Dias disse...

mais um que se foi.
ficam recordações.
momentos alegres de juventude despreocupada.
também só tardiamente soube que ele em Coimbra pertencia também ao movimento associativo.

Ana Paula Fitas disse...

Um grande abraço, grato e amigo...

Ana Paula Fitas disse...

... fiz link, meu amigo... Um grande abraço.