sábado, 1 de junho de 2013

Chuva

Com um calor "de rachar" em Portugal, será que há alguma coisa mais chata do que um dia frescote de chuva, com trovoada à mistura, como aquele que tenho aqui por Podgorica? Deve haver, mas é preciso procurar muito. 

Talvez só um dia molhado, na pasmaceira novecentista de Oliveira de Azeméis, com o Artur Corvelo e o Rabecaz a remoerem a nostalgia, feita de saudades definitivas da Lola, da Concha e de Lisboa, depois de uma bilharada melancólica na Couvada. Há sempre um Eça para tudo, felizmente.

A propósito, deixo este clássico de B.J. Thomas.

8 comentários:

Portugalredecouvertes disse...

posso confirmar que pelo menos no sul do país não chove!
e não se vislumbram trovoadas!
às vezes o Eça também é um chato

Julia Macias-Valet disse...

Pois aqui por Paris qualquer dia temos ursos no Sena :(

Helena Sacadura Cabral disse...

Mas uma tarde de sol abrasador, na Feira do Livro, também não é pera doce...

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Helena: quem corre por gosto... No meu caso é mais por "vício" profissional.

Anónimo disse...

Pois aqui por Vila Real tivemos o PM para “arrefecer” as “coisas”… (o “esplendor” na relva da alameda e a cálida reunião das “esquerdas unidas contra os lacaios do capital”, com o apadrinhamento do “grande timoneiro” MS, acolitado pelo товарищ PP).
…Dizem para aí, que não vamos ter verão quente…É um PM muito “cold”…

Isabel Seixas disse...

Estou em crer que essa chuva é perseguição por ordem da troika ao abrigo da austeridade, não vão as pessoas meter-se em funduras...

Já a trovoada é um prelúdio do bradar aos céus, dos nossos permanentes logo crónicos suspiros de enfado...

Helena Sacadura Cabral disse...

Ah! meu caro Francisco, entre o gosto e o vício...não sei quem leva a melhor!

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Anónimo das 23:42
Verão quente?!
Até já isso se foi. Dois dias de "brasa" e vêm logo outros de frio. Nem no clima nos definimos...