sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Europas

Hoje, ao estacionar o meu carro na área da rua de S. Caetano reservada a algumas viaturas de quem trabalha no Centro-Norte Sul do Conselho da Europa, que atualmente dirijo, uma senhora parou em frente a mim e disse: "Eu conheço-o de qualquer sítio! É isso, vi-o na televisão! Trabalha 'na Europa', não é?".

Desvanecido com o reconhecimento, porque o nosso ego é afagado com maior facilidade à medida que avançamos (ou recuamos) na vida, disse que sim, e que agora trabalhava ali, numa estrutura do Conselho da Europa, como se podia ler na placa de estacionamento colocada na rua.

Sempre amável, a senhora inquiriu: "Essa coisa do Conselho da Europa é onde trabalha o dr. Durão Barroso, não é?".

Desta vez com uma paciência cuja dimensão a senhora não era obrigada a adivinhar, expliquei-lhe que não, que o dr. Barroso não mandava nada por ali. E, para sua aparente surpresa, disse-lhe que o Conselho da Europa é a mais antiga instituição europeia, criada em 1949, muito antes daquilo a que hoje se chama União Europeia, que é "onde trabalha o dr. Durão Barroso".

A senhora agradeceu e disse que se lembrava de ouvir dizer, há dias, que o primeiro-ministro português estivera no Conselho da Europa.

Aí voltei a esclarecer: o dr. Passos Coelho nunca esteve no Conselho da Europa, que tem sede em Estrasburgo, ao lado do Parlamento Europeu, mas sim no Conselho Europeu, que é a instituição onde se reúnem os chefes de governo da União Europeia, geralmente em Bruxelas.

"Mas o Parlamento Europeu não é em Bruxelas? Tenho uma amiga que trabalha lá".

Aí, críptico, expliquei: "Tem razão, o Parlamento é em Bruxelas mas também é em Estrasburgo. Reune lá uma semana por mês..." 

"Há-de concordar que isto é tudo uma grande confusão!", disse-me a senhora, sorridente.

Aí retorqui: "Ó minha senhora! Concordo em absoluto! Nem a senhora sabe da missa a metade..."

10 comentários:

Anónimo disse...

É isso! O pagode,não sabe a missa a
metade.

Anónimo disse...


O problema nem é não saber da missa a metade .
O problema é não querer nem nunca ter querido saber .

RuiMG

Anónimo disse...

É isso. O pagode nada sabe. Os próprios sabem imensos pormenores relevantíssimos e julgam-se importantíssimos e que por isso salvam o mundo. Mas quando?
João Vieira

Catinga disse...

De que cor lhe pareceu o céu? Vermelho de sangue?

Anónimo disse...

Adivinha-se que a Senhora teve muita paciência para "aguentar" todas as explicações que decerto lhe interessavam menos do que poder matar o seu porquinho, preparar os seus fumeiros, fazer os seus queijinhos sem as proibições de uma qualquer comissão europeia que em paga lhe impinge agora cavalo por vaca ou gato por lebre...
Os nossos fumeiros e equeijos caseiros (e até a aguardente) não haverá indústria europeia que a possa igualar. E vai perder-se com a defesa dos monopólios!
José Barros    

Anónimo disse...

Senhor Embaixador,
Já ouvi muito "boa gente" confundir Conselho da Europa com Conselho Europeu! Até na comunicação social!

Maria Eduarda Boal

Isabel Seixas disse...

Por outro lado a Sra. conseguiu dar azo à comtemplação de alguém famoso em presença física , ao vivo e a cores e ainda permitir replicar o discurso do Santo António aos peixes, ressuscitar uma novena e angariar assunto(e aliciante) para a merenda com as comadres...
Daí que fez a sua boa ação magistral do dia e...
Louvado seja Bento XVI

Quanto ao Dr. Durão Barroso(que a té é primo de uma prima ...que abençoada me sinto)simplesmente está de parabéns consegue alimentar o sonho dos pais portugueses, refletir a importância da habilitação PSD, cativar a atenção da senhora transeunte que o abordou e tem de facto uma mulher com bom gosto faz bons"bons na nomenclatura social" investimentos e gosta de cherne...E não só, sendo o não só que me é caro...

Isabel Seixas disse...

Esqueci-me das Europas, ó teares de métodos complicativos para encenar os desejos prolixos de jogar batalhas navais,era de facto karma e esteve "bem" como atitude empreendedora, agora, para quê tanto disfarce quando já estão prédefinidos os braços de ferro com mais dinheiro nos seus cofres que sempre surgem como caritativos na operacionalização da equidade interdisciplinar.

Agora Bom Bom deve ser ir a Bruxelas ou Estrasburg por inerência de funções num palco com audiência ... Até que a produtividade seja equacionada, de qualquer forma dá gosto ver aqueles olhares atarefados a resolver os problemas do mundo de forma tão célere e eficaz, a passo de tartaruga, que se transcendem e renovam a necessidade de proliferação das instituições de solidariedade social e dos padrinhos das crianças com fome, por um euro...

Anónimo disse...

Um dia Sofia viu o Miguel a estudar ciências naturais num capítulo que explicava que os peixes respiram por guelras.
Muito admirada perguntou? Olha lá! Para quê que queres saber isso?
Tal como Sofia, em muitas situações, só nos interessa a beleza e o sabor das coisas!
A quem não interessa que se saiba “toda a missa” são precisamente os políticos, porque assim é a maneira de nos continuarem a “governar”.

Isabel Seixas disse...

Oh, se bem que o diálogo imprevisto e descontraido é coerente com o jogo da "Macaca" da imagem, bem gira aliás, rememorações só possiveis a quem já viveu bastante.