segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Desagravo


Neste Natal, uma palavra de desagravo é devida a um homem que dá pelo nome de Artur Baptista da Silva, nas últimas horas alvo de uma violenta campanha de difamação mediática. 

Com uma imperdoável precipitação, a nossa comunicação social colocou em dúvida as suas credenciais como importante responsável técnico dentro das Nações Unidas. Pelo que me toca, devo dizer que enquanto não ouvir uma atestação pessoal de Ban Ki Moon, a palavra de Artur Baptista da Silva é-me pelo menos tão válida quanto a dos seus detratores. E o facto das estruturas principais das organizações internacionais estarem, nesta época, em período de férias torna difícil credibilizar, com segurança, qualquer contestação que delas eventualmente possa emergir, quiçá infirmando as relevantes responsabilidades que o Professor Baptista da Silva afirma exercer dentro da ONU.

Uma meridiana prudência aconselha, assim, a que se tente ir um pouco além de meros pormenores de natureza adjetiva, como seja essa sempre despicienda questão dos cursos ou títulos académicos, bem como das instituições universitárias que os emitiram. A experiência dos jornalistas portugueses já os deveria ter ensinado a não seguirem por esse tipo de caminho. E talvez seja muito mais prudente e avisado começar a julgar a idoneidade do Professor Doutor Baptista da Silva em função da real substância daquilo que ele próprio tem vindo a dizer sobre a nossa situação económica, a exemplo do que lhe ouvi, sob o olhar grave e perscrutante do participantes, no recente "Expresso da Meia Noite" da SIC.

A minha pergunta é muito simples: como é possível alguém ter o topete de qualificar o Professor Baptista da Silva como um "impostor" quando, nos últimos meses - eu diria mesmo, nos últimos anos! - muitos dos economistas portugueses, seus eventuais colegas, nos encheram os ouvidos e os dias com coisas bem menos bem articuladas? Não me venham dizer que esses economistas são todos uns impostores! Acredito mais rapidamente no Pai Natal do que nisso, desculpem lá! 

Não conheço pessoalmente Baptista da Silva. A sua cara, porém, diz-me qualquer coisa, não me é estranha, embora não possa garantir, a 100%, tê-la avistado algum dia no "Indonesian lounge" ou na "cafeteria" do palácio de vidro, em Nova Iorque. Graça teria se tivesse sido nos corredores da OMPI...

(Em tempo e para os leitores mais ingénuos: com este post, divulgado numa altura em que a patranha já era evidente, quis apenas significar que Portugal se está a transformar num país de Baptistas da Silva... Os portugueses mereceram bem, neste Natal, esta divertida e ubuesca história, onde a realidade de cruzou com a ficção, num registo a que não faltou um discurso a armar ao técnico especializado, o qual, só pelo facto de tratar de coisas sérias, foi logo tomado a sério! E toda a comunicação social portuguesa, que foi alegremente na onda, vinga-se agora com o desmascarar deste editorialista económico do "Borda d'Água". Com Baptista da Silva nas televisões e o regresso de Vale e Azevedo fica constituído um belo dueto dos especialistas do "faz-de-conta", digno do crédulo país do absurdo em que, afinal, parece que nos estamos a converter. Uma boa consoada para todos!)

42 comentários:

Anónimo disse...

O Senhor Embaixador tem toda a razão. Não importa muito saber onde Baptista da Silva tirou o curso, mas a quem o tirou.

Anónimo disse...

Quem não te conhecer que te compre. ó Seixas! Grande postada

Anónimo disse...

Em defesa de um burlão? Ora bem!

Anónimo disse...

O meu amigo viu-o mas foi nalgum bordel ou presídio. Piroso.

gherkin disse...

Plenamente de acordo. Também não conheço o visado, mas quando, esta manhã, li tão violenta denúncia na imprensa portuguesa, tive semelhante reação e que este seu blogue tão bem traduz. Mais uma vez parabens por tão oportuno reparo! Gilberto
RENOVADOS VOTOS DE BOM NATAL, acompnhados do habitual e forte abraço!

Anónimo disse...

Pois é.... Isto pode ser aterrador. A rádio até diz que esteve preso. A que grupo de influência pertencerá este senhor?? Eu não sei

ARD disse...

Devo dizer que me assaltam dúvidas da mesma natureza - embora diferentes - das que V. Exa. enumera. Interrogo-me, p.e., se será concebível que pessoas com a tonelagem intelectual dos jornalistas portugueses e dos ecónomo-comentadores que com ele mercadejaram pérolas de sabedoria, tenham sido, por assim dizer, toureados!
Seja como for - e é-o sem dúvida - a serem falsas as credenciais académicas e profissionais de que se fantasiou,
O Dr. Baptista da Silva demonstrou uma genuína genialidade e tornou-se autor e actor de uma peça que poderia chamar-se "Os próceres da economia vão nus".
E, não sei de onde, mas conheço aquela cara...

São disse...

Eu ouvi o programa e aquilo que o senhor disse não faz menos sentido , talvez até faça mais, do que tenho ouvido aos economistas com lugar cativo nos meios da comunicação social.

A SIC veio informar agora que , afinal, Silva é um impostor.

E aqui começa a minha perplexidade.

Porque , para mim, os participantes de programas são convidados - pelo que parto do princípio de que quem os convida os conhece.

Face a este caso, começo a ter dúvidas: será que qualquer pessoa se propõe para particiapr num programa e é aceite sem mais nem menos e , só depois, é que se comprova a sua identidade e habilitações?

Mesmo que as não tenha, não é caso para grande escândalo se nos lembrarmos das equivalências dadas ao ministro Miguel Relvas.

Bom Natal e feliz 2013.

patricio branco disse...

mas quem é realmente o sr?

Um Jeito Manso disse...

Caro Embaixador,

Improvável tema para o dia de hoje. Inesperado também encontrar estas palavras aqui.

No entanto, estando eu ainda perplexa relativamente às dúvidas propaladas por toda a Comunicação Social e tendo eu gostado de ouvir a frontalidade e simplicidade com que o senhor explicava tudo, de forma tão clara e compreensível, gosto de ler o que aqui nos escreve.

Haja o que houver relativamente ao curriculum de Artur Batista da Silva o que aqui diz é a análise mais correcta de se fazer com os dados de que, agora, se dispõe.

O que ele disse não foi desmentido e teve o mérito de falar de uma forma que mil outros papagaios de serviço não souberam fazer e esse mérito já ninguém lho tira.

Coragem e frontalidade também a sua, Embaixador, por ter escrito isto. Muito bem.

E, de novo, um bom Natal.

Anónimo disse...

Moral da História: somos um país profundamente provinciano e engolimos com reverência tudo o que é importado do estrangeiro. Só isso explica o afã com que as lusas açafatas elusos mandaretes se procuram mostrar vistosamente na televisão ao acompanharem até às salas de audiência no Parlamento Abebe Selassié e congéneres eurocratas. É de facto um sintoma de nanismo a atenção que damos a estes funcionários de quinta categoria que vêm da "metrópole" até cá dar palpites ...

Anónimo disse...

O humor subtil do nosso Embaixador não foi compreendido pelos leitores. Claro que os economistas são todos uns impostores, foi o que ele quis dizer. Bom Natal para o Embaixador Seixas da Costa

patricio branco disse...

apenas o pires de lima argumentava um pouco, os outros ouviam respeitosamente, o p de l até disse "e as redomas (ou rotundas?)foi o que nós fizémos, não a industrialização que devíamos", e a autoridade lá ia continuando a dizer: nós em nova iorque pensamos...e dissémos-lhes lá em bruxelas...e perguntámos-lhes...e a alemanha com o hypo bank...
bem, estamos habituados a falsos sacerdotes e médicos, quanto a este sim há que ver bem quem é realmente o senhor e a que título fala...

Anónimo disse...

Se os comentsdores soubessem o que é a OMPI (Organização Mumdial da Propriedade Intelectual) talvez percebessem melhor a subtileza deste divertido texto.

jmc disse...

O homem sabe-a toda. Só lhe faltam as equivalências...

Anónimo disse...

Eu também nao percebi a ironia, senhor embaixador, sou uma alma simples
a) Feliciano da Mata

Anónimo disse...


Um belíssimo texto de enorme subtileza e que , pelos vistos , nem todos compreenderam apesar do prudente aviso final .
Mas isso tem decerto uma razão simples .

É sintomático que tantos por aí vão buscar comparações a despropósito com A , B ou C que não dizem ou fazem nada de interessante para no fundo se (auto)justificarem de terem achado tudo lindo pela simples razão do referido senhor ter dito aquilo que eles queriam ouvir .
Isto de enfiar um grande barrete e no fim nos rirmos de nós próprios não é para muitos ...

A questão de fundo não é o senhor ter dito umas banalidades com ar pomposo - e uma série de pessoas que pouco estudam terem achado muito profundas - porque nada daquilo era "de facto" mentira .
Daí a ser "de facto" verdade vai uma certa distância , a que medeia entre conhecer os assuntos o suficiente para se ter uma opinião e não apenas para se mandar um palpite .

Até teve graça e tiro-lhe o chapéu, para mais porque não era um desconhecido absoluto e sabia que iría ser fácilmente detectado .

O que está em causa é este provincianismo sem fim que nos ataca a quase todos e a toda a hora , esta permanente preocupação aí na rua de "o que é que vão pensar os estrangeiros" porque foram mal atendidos no restaurante ou nos MCS de "o que é que se pensa lá fora de nós" porque o Ronaldo falhou um penalti e vão entrevistar pessoas em todo o mundo.

A falta de profissionalismo e de zelo com que tanta gente tratou este assunto é assustadora porque , como bem diz , o país se está a tornar ubuesco e Alfred Jarry não tinha visto ainda nada .
É esta a única questão que aqui interessa porque ficámos todos a saber (incluíndo os que tinham dúvidas) quão maravilhosamente isto funciona .
Um belo serviço prestado à causa .


Mas o amadorismo vencerá , como sempre venceu , é cultural e como tal transversal a toda a sociedade.
E não vai ter cura .

RMG

P.S. - já tínhamos tido as doutas palavras do conceituado professor de Estrasburgo de seu nome Jaques Amaury (assim mesmo , sem o "C").
Mas como essas só invadiam as caixas de e-mail não tiveram tanta graça -

Anónimo disse...

Isto até parece a história dos árabes do Tavares, lembra-se, Senhor Embaixador?

a) Henrique de Menezes Vasconcellos (Vinhais)

Anónimo disse...

É evidente que a cara dele não lhe é estranha. Além do mais é um grande vulto da lusofonia.

São disse...

Correndo o risco de parecer tonta , ficaria imensamente grata a quem me explicasse o que realmente aconteceu, porque cada vez percebo menos !!

Boa consoada.

AL disse...

Muito bem Senhor Embaixador, muito bem, Só tenho pena que os jornalistas da TSF, do Expresso do Público, não assumam as suas responsabilidades demitindo-se. Ouvi ontem com gosto na SIC um franciscano de nome Frei Ventura, dizendo que quer os actuais governantes quer os antigos - chamou-lhes virgens ofendidas - estão a mais no Portugal do futuro. Não é que a jornalista/locutora Ana Lourenço não percebeu o que ele dizia? Uma lástima este jornalismo feito por jornalistas políticos.

Anónimo disse...

É que a ironia é também uma forma de impostura, de travestimento do sério...

Anónimo disse...

Nunca pensei que o Sr. Embaixador acreditasse tanto no Pai Natal!

É isto que nós, os portuguesitos, temos de suportar quase hora a hora.

Anónimo disse...

O fulano enganou sucessivamente, por esta ordem, a presidente do American Club, sra. Anne Taylor, o Grémio Literário, Nicolau Santos, a TSF, o DN, os secretários-gerais da CGTP e da UGT, a Reuters e o Chicago Tribune. Fora os trocos.

Quando um pobre diabo rouba 50€, é ladrão e vai dentro; quando ricos diabos roubam 3.500.000.000€, como os sociais-democratas do BPN/SLN, chama-se-lhes banqueiros ou investidores e podem vir a ser arguidos, mas o mais certo é não o serem. Com os aldrabões devia passar-se o mesmo: quando tanta gente é enganada - inclusive eu, quando o ouvi -, já não se trata de um impostor, deve considerar-se um político.

Então este governo não enganou muito mais gente do que o sr. Baptista da Silva? E em matéria de habilitações académicas falsas, o ministro Relvas é mais honesto do que ele?

Um abraço
ZB

Anónimo disse...

Carlos Fonseca disse...

O homem depois de incensado por muitos, de ser citado pela Reuters, e por um jornal norte-americano, além de ter feito afirmações suficientemente relevantes para ter sido entrevistado pelo Expresso e convidado para o Expresso da Meia Noite pela SIC, é afinal um impostor.

E que nome se dá a outro homem que exerce um dos mais altos cargos públicos, e que, depois de confrontado por uma deputada pelas afirmações que fez em Janeiro deste ano, que se revelaram completamente falhadas, lhe responde acusando-a de estar a proferir falsidades (seria mentirosa, portanto) porque ele nunca teria feito tais afirmações, quando realmente as fez, como a RTP recordou no Telejornal dessa noite?

Talvez não seja um impostor - embora eu penso que também é -, mas aldrabão ninguém pode ter dúvidas de que é.

E, o que é pior, está a conduzir-nos para o abismo.

Pelo menos o Baptista, sendo impostor, só se está a prejudicar a ele próprio (bem como a algumas pessoas cujo profissionalismo pode agora ser posto em causa, porque foram atrás de um fogo fátuo).

Anónimo disse...

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Meu estimado Embaixador
Se eu já me tinha rido com o seu post, agora com o PS(post scriptum, entenda-se), não resisti em rir mesmo...
Acertou na mouche meu amigo. De facto eu própria já começo a duvidar que seja economista, uma vez que o ISCEF já foi ISE e agora é ISEG.
Enfim, ainda conseguimos rir, sem imposto ordinário!

Anónimo disse...

Êste cavalheiro mais parece um BOM POLÍTICO0! Atenção Senhores secretários-gerais ("caça cabeças"), dos nossos principais partidos, não percam a excelente oportunidade...

Alain Demoustier disse...

obrigado por esta novela que veio alegrar um triste Natal, adorei !
Alain Demoustier

domingos disse...

Com ou sem razão, o tal Batista limitou-se a dizer aquilo que muita gente gosta de ouvir. Como tantos outros, aliás, fazem. Creio que vai ter uma brilhante carreira no mundo político.

Anónimo disse...

Pois é..... isto está a saque. Nem sei onde vamos parar. É a todos os níveis. Enfim..... mas eu nao sei

Anónimo disse...

O homme foi dirigente do Sporting. Esta tudo dito.

a) Restaurante O Barbas, Costa da Caparica

Anónimo disse...

Ainda não foi condenado como o pó dos pneus nem o careca dos vales azedos.

Barbas e Máximos.

É a Etar no seu melhor.

Anónimo disse...

Eu vi ontem claramente visto D. Sebastião emergindo das águas do Tejo. E o meu filho Gabriel ofereceu-me ontem um e-book em francês com as trovas do Bandarra...

Helena Oneto disse...

Esta impostura (que nos faz lembrar, a mim e ao meu compadre Henrique de Menezes Vasconcellos, outra bem mais inofensiva) veio "animar" a minha consoada! Os galos, esta noite, vão cantar fininho...

O que nos vale, é haver ainda quem saiba rir ou fazer rir, duas grandes (e cada vez mais raras)qualidades do autor deste deste excelente "desagravo"!

Avec et malgré tout, je vous souhaite, mon très cher Ambassadeur, um bon Noël!

Isabel Seixas disse...

Sem dúvida que os Modelos de alternância de humor são uma boa opção para um espirito de Natal sóbrio e sensato, passando pela ironia que nos leva a ter os pés na terra.

Além de que é tempo de oferecer Luvas!!!, cachecois, pijamas, robes e chinelos de quarto.

Além das meias, já referidas(aliás prenda unisexo)e livros, muitos de preferência.(Há homens que já são)

Anónimo disse...

Ó Senhor Embaixador, há aqui uma malta fixe no Golungo Alto que queria propor o Sr. Baptista da Silva como candidato às próximas eleições presidenciais em Portugal. A Senhora Engenheira torceu o nariz, disse que esse homem era um aldrabão e ainda por cima do Sporting, mas a gente vai convencê-la, dando-lhe o seu post a ler. Agora temos só que contactar o candidato. Ah, a Senhora Engenheira veio-nos dizer que o post de Vossa Excelência é irónico. Percebeu-o melhor do que eu. Mas isso não faz mal, eu acho que temos homem. O Senhor Embaixador arranja-me a morada dele?

a) Feliciano da Mata, aspirante a político português

Anónimo disse...

Fosse o Nicolau, Bandarra e tinha a certeza de ter encontrado, na área das ciências económicas, o D. Sebastião ... enfim ...

Grécia, Roma, Cristandade,
Europa – os quatro se vão
Para onde vai toda idade.
Quem vem viver a verdade
Que morreu D. Sebastião?

N371111

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Feliciano da Mata
Consta que há mais países interessados no candidato.
A Senhor Engenheira que se precate com essas afirmações...

Anónimo disse...

"Pelos vistos houve um tipo que burlou o Expresso e a SIC, fazendo-se passar por aquilo que não é. São coisas que acontecem e, bem vistas as coisas, não foi grave.
Primeiro, porque do que li e ouvi, não disse mais nem menos asneiras do que muitos que por andam nos jornais e nas televisões.
Segundo, porque a burla cometida teve efeitos limitados, dado que o burlão em causa não pertence à troika nem exerce funções governativas. Esses sim, andam a burlar o país inteiro, com graves consequências, e não são postos a andar. Até ver ..." António Filipe, deputado do PCP, no facebook

menvp disse...

MEGA-BURLÕES:
- mega-burlões que controlam a comunicação social... procuram 'mil' vozes... com o objectivo de repetir mil vezes uma mentira... até ela se tornar uma "verdade".
[nota: mega-burlões descuidaram-se: uma das suas mil vozes foi apanhada - o burlão Artur Baptista da Silva]
.
.
.
Anexo:
PRECISAMOS DE TODOS
-> Não precisamos de lamentações sistemáticas... precisamos é de bons mecanismos de controlo... e precisamos que todos os contribuintes estejam atentos.
.
Explicando melhor:
- Anda por aí muita CONVERSA DE CONTRIBUINTE PAROLO que ainda não aprendeu com séculos e séculos de história: o conceito de «político governante» pressupõe um sistema muito permeável a lobbys... e aquilo que importa mesmo... é um sistema menos permeável a lobbys...
.
-> Por um sistema menos permeável a lobbys... temos de pensar, não em «políticos governantes»... mas sim... em «políticos gestores públicos» que fazem uma gestão transparente para/perante cidadãos atentos... leia-se, temos de pensar em bons mecanismos de controlo... um exemplo: blog "fim-da-cidadania-infantil".
.
Uma Obs:
-> Montes de estudos sobre 'maravilhosas' privatizações de empresas estratégicas (ex: GALP... resultado: consumidor a ser roubado a torto e a direito)... montes de estudos sobre o BPN, SCUTs, OTAs, TGVs e afins... tudo com o mesmo objectivo: SACAR DINHEIRO AO CONTRIBUINTE!

Anónimo disse...

Que se denunciem também outros burlões: muitos daqueles que se apresentam a comentar a politica, a economia, as artes e o que quer que seja, na nossa comunicação social. São apresentados como: o doutor fulano de tal, especialista de renome, com uma enorme experiencia nisto e naquilo. O diabo é que o cartão de apresentação fica por aí. Esquecem-se as ligações partidárias, as ligações profissionais, passadas e atuais, ascendencias sociais, familiares, enfim aquelas coisas sem importância nenhuma mas que nos dizem mais sobre essas pessoas que aquilo que debitam da boca para fora. Com esse conhecimento entenderiamos muito melhor aquilo que doutamente apregoam. Esses que nos tentam iludir passando por aquilo que não são: independentes, esses são também burlões. Ou não?

Anónimo disse...

Este burlão, ao contrário dos burlões e mentirosos que nos governam, não nos roubou nem subsídio de férias, nem de natal, nem nos aumentou o IRS, nem nos vai taxar com mais a CES.
Conclusão não fez grande mal aos portugueses.

Bom Ano Sr. Embaixador