terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Guimarães

Guimarães 2012 - capital europeia da Cultura acabou. E correu muito bem, diria mesmo muito melhor do que alguns esperavam e talvez bastante bem melhor do que outros desejavam.

Ao longo de mais de um ano, como membro do Conselho Geral da Fundação Cidade de Guimarães, tive oportunidade de acompanhar a seriedade com que a equipa chefiada por João Serra levou a cabo a preparação e execução deste trabalho. As condições estiveram longe de ser as ideais, com recuos nos financiamentos públicos que obrigaram a uma ginástica de difícil montagem, "a meio do jogo". 

O mais interessante em todo este processo foi ter tido o ensejo de observar o modo como a cidade de Guimarães se foi "apoderando" do exercício, usando-o com crescente gosto, dele partindo para o usufruto de uma nova maneira de se olhar como centralidade cultural. Guimarães, com esta experiência, reforçou o seu lugar nos roteiros nacionais e europeus, juntando um tom de contemporaneidade à imagem histórica tradicional, para além de ficar dotada de novas e valiosas infraestruturas e renovação urbana, de que o Toural é um excelente exemplo.

Uma palavra final é devida a António Magalhães, presidente da municipalidade de Guimarães, que teve a coragem, no momento certo, de assumir com frontalidade as ruturas que era preciso fazer. A sua aliança operativa com João Serra foi a chave deste sucesso, ao qual não é alheio Jorge Sampaio, na orientação firme do Conselho Geral da Fundação, como tive o ensejo de testemunhar. 

Em Portugal, o que corre mal é quase sempre selecionado como notícia. Com Guimarães 2012, e por uma vez, o jornalismo adversativo está apreensivo. A experiência mostra que não descansará enquanto não inventar alguma coisa, quanto mais não seja ressuscitando, oportunamente, alguns fantasmas. É só aguardar...

10 comentários:

Anónimo disse...

Guimarães, Capital Europeia da Cultura
Uma vez não são vezes. Desta vez sim. Tivemos direito a um direto de qualidade transmitido pela RTPI.
Foi um espectáculo musical de rara qualidade este desfecho das festividades do programa “Guimarães Capital Europeia da Cultura”. Pessoalmente deliciei-me até às duas da madrugada, hora francesa, e deixo aqui a minha mais alta nota positiva para este grandioso Espectáculo que soube receber o apoio e a participação ativa da população onde artistas de grande qualidade, com José Mário Branco, entre outros, e amadores, muitos amadores, misturados numa encenação de qualidade excelente.
“Depois da fé, dizia um ator com a sua poesia, a santa tarefa do futuro”. Este futuro que espera que o povo meta mãos à obra para moldá-lo à sua imagem...
Qual Bugarech qual carapuça! Em Guimarães sim, aqui era bem o fim do mundo.
José Barros.

EGR disse...

Senhor Embaixdor: tive a opurtunidade de assistir, num Pavilhão Mutiusos literalmente cheio,ao concerto da Gala de Natal com a Fundação Orquestra Estúdio,que assinalou oo fecho da Guimarães Capital Europeia da Cultura.
Por certo V. Exa apercebeu-se, na transmissão da televisiva da excelencia do concerto,dos coros e dos artistas convidados.
Foi, de facto, magnifico!
Mas,aproveito, para deixar um reparo: o inicio do concerto estava marcado para as 18 horas,e eis senão quando nos anunciam que, por razões do alinhamento da programação da RTP, o começo seria só as 18 e 3O.
Como não acredito que a RTP não tivesse, há muito,programado a transmissão, só posso concluir que houve pouco respeito por quem compareceu a hora marcada.
Na ocasião lembrei-me das polémicas,do Dr. Jorge Sampaio, de V. Exa.,e do Manuel António Pina, porque aquela assistencia estava a dar uma resposta aos detratores do costume.
Todavia concordo com V. Exa que o jornalismo adversativo não vai tardar.

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador delicio-me sempre com algo que também julgo ter: não esperar pela resposta...
:-))
Como já acabou, talvez não haja muitos comentários. Estes só interessam no "durante"!

patricio branco disse...

será certo que nem o pm nem o pr foram a guimarães capital da cultura como ouvi ou li há dias? quem inaugurou então?

Carlos Fonseca disse...

Caro comentador patrício branco,

O que iriam fazer a Guimarães, quer o pm, quer o pr? Não se esqueça que se tratava de eventos culturais.

Helena Oneto disse...

:):) na mouche! (o comentario de Carlos Fonseca)

Francisco Seixas da Costa disse...

A comentadores desatentos: o chefe de Estado e o primeiro-ministro estiveram presentes na cerimónia de abertura da "capital da Cultura", como na altura foi bem divulgado.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Carlos Fonseca
São, está de ver, homens da política e da cultura!

Nicolau Borges disse...

Teve razão, Sr. Embaixador, mesmo perante a evidência do tremendo êxito da Guimarães Capital Europeia da Cultura, a Imprensa, sobretudo a de Lisboa, teimou em referenciar as questões, laterais, de carácter administrativo.....
O que fica para a História é a exemplaridade da Organização, é a adesão popular ao Evento, e a entrega de todos os intervenientes em todas as fases da sua organização.É caso para dizer "Aqui (re)nasceu Portugal".
NB

Nicolau Borges disse...

Teve razão, Sr. Embaixador, mesmo perante a evidência do tremendo êxito da Guimarães Capital Europeia da Cultura, a Imprensa, sobretudo a de Lisboa, teimou em referenciar as questões, laterais, de carácter administrativo.....
O que fica para a História é a exemplaridade da Organização, é a adesão popular ao Evento, e a entrega de todos os intervenientes em todas as fases da sua organização.É caso para dizer "Aqui (re)nasceu Portugal".
NB