quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Eça, agora!


Como diria enfaticamente José Hermano Saraiva, "foi aqui", no nº 5 da rue Crevaux, que liga a avenue Foch à avenue Bugeaud, que José Maria Eça de Queiroz, recém nomeado Cônsul de Portugal em Paris, alugou a sua primeira habitação, das três que viria a ocupar durante a sua estada na capital francesa, onde morreu em 1900. 

Eça viveu na rue Crevaux entre 1889 e 1891 e, por alguma razão, esta sua morada não estava assinalada com uma placa. Decidi tomar a iniciativa de colmatar esta lacuna e, passados meses de autorizações e procedimentos administrativos, vai ser agora possível descerrar essa memória.

Assim, no domingo, dia 25 de novembro, às 12.00 horas, celebrando nesse dia a data do nascimento de Eça de Queiroz, será feito o descerramento formal da placa. De seguida, quem estiver presente ao ato é convidado a beber uma taça de champanhe na Embaixada de Portugal, que fica relativamente perto. Apenas se pede que as pessoas que se queiram associar se inscrevam pelo mail portugal.paris@gmail.com.

17 comentários:

mCr disse...

E eu à espera que fosse o 212 dos Champs Elysées...

Anónimo disse...

Por que se esteve a incomodar, meu bom Amigo? Eu sou apenas um pobre homem da Póvoa de Varzim!

a) Eça de Queiroz

PS - Dê lembranças minhas à Senhora Viscondessa de Faria...

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

"quem estiver presente ao ato"

Senhor Embaixador,

"ato" é porque vai lá "atar" uma placa?

Helena Oneto disse...

O Eça vai suplantar a popularidade que gozam em França o Figo, o Pauleta e Ronaldo juntos:)!

Helena Sacadura Cabral disse...

Homem de delicioso humor esse da Póvoa de Varzim...

margarida disse...

'muda e sem préstimo' vírgula, porque para muito boa gente, 'fala bem e faz falta'.

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Margarida: seja muito bem aparecida! Não há como estas pequenas provocações para fazer emergir as gentes.

Anónimo disse...

Caro Senhor Embaixador espero que não crie o movimento de abolição da oitava letra do alfabeto (H), tantas e tantas vezes, "inútil consoante muda e sem préstimo".

Em relação ao Eça, sei que enquanto funcionário do Estado Português está apenas a fazer o seu trabalho, sei também que por ética se obrigou a fazer o seu melhor, sei tudo isso mas, enquanto português, não posso deixar em branco...

MUITO OBRIGADO !!!

Nuno 361111

margarida disse...

Pois, lá escorreguei na sua provocaçãozinha, não é?
Mas eu percebi; já todos(re)conhecemos a sua cândida 'técnica'.
E eu estou como o(s) outro(s)senhor(es): vou andando por aqui...
Assim que o golpe é certeiro, me voilá!

Fada do bosque disse...

Sempre actual esse nosso Eça. Foi um visionário.

“…Nós estamos num estado comparável sómente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento de caracteres, mesma decadência de espírito.
Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva, poderá …vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se a par, a Grécia e Portugal..”

Emerson Novais Lopes disse...

Justa homenagem ao grande homem de letras e diplomata português! Parabéns pela iniciativa e por seu êxito, Embaixador!

Catinga disse...

Champanhe?! Ofereça antes um bom espumante nacional e mata, assim, dois coelhos de uma só cajadada (agrada aos convivas e promove o que é nosso).

Fada do Bosque: essa queirosiana apreciação foi o mote para uma "conversa" de primeira água com o Pacheco Pereira, no D. Maria II. Devia de ter sido transmitida na RTP, em horário nobre!

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Catinga: o champanhe é "De Sousa"...

patricio branco disse...

não há 2 sem três, estão portanto todas assinaladas agora. valioso e patriotico serviço, o do embaixador de portugal tudo ter feito por assinalar as residencias de eça em paris.

patricio branco disse...

uma fotografia com a placa já colocada e inaugurada ficaria bem aqui.
gostaria que esta placa dissesse algo mais como escritor e diplomata português.
em que andar do edificio teria ele habitado?

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Patrício Branco: só será possível fotografar a placa no local... quando ela lá estiver colocada, como compreenderá.
Os dizeres, serão: Eça de Queiroz / Ecrivain et diplomate portugais / a vécu dans cette maison / 1889-1891.
Quanto ao andar, a "doutrina" divide-se, embora o 3º seja aquele que parece mais provável.
E, noto, isto não é nada uma coisa patriótica, é apenas uma incontrolável e muito oportunista deriva queirosiana do embaixador de turno.

Anónimo disse...

Sr. Embaixador,

Desculpe mas arrendou a casa...