quarta-feira, 11 de julho de 2012

A crise

Comentário de um taxista lisboeta, esta manhã, notando que o trânsito está mais fácil:

"Os que não sentem a crise estão de férias e, por isso, não andam de carro na cidade. Os que estão em crise também deixaram de andar de carro e nem têm dinheiro para fazer férias".

É capaz de ter razão...

5 comentários:

Catinga disse...

Não esqueçamos todos aqueles que não podem andar de carro porque o têm na oficina a recuperar dos buracos da capital...

Isabel Seixas disse...

Daí que... As pessoas como Vossa Excelência que ainda andam de taxi pertencem a que clusters?...

Talvez os clusters que operacionalizam esta hipótese:

Andam de Taxi têm dinheiro "também" para mais que estar de férias, ir(de férias , claro), e sentem ou não a crise...!?

Agora...Fico com a ideia peregrina que O taxista, ou na universidade da vida,ou numa católica (Pouco provável que as propinas estão pela hora da morte do orçamento familiar) ou numa pública idem o conteúdo do parentesis, tem frequência de unidades curriculares de investigação equiparadas a 3º ciclo/doutoramento.

Iiiiiiiiii, "alonguei-me" outra vez.

Anónimo disse...

Não tarda as gasolineiras,aumentarem
o preço,para justificar a quebra de vendas.

Helena Sacadura Cabral disse...

Tem toda a razão Catinga.
Lisboa tem mais buracos do que as meias rotas de um pobre...
Na zona onde vivo, nem a pé se pode andar, a menos que se deseje ficar coxo.
Onde será que a CML enfia o dinheiro destinado à recuperação urbana?!

patricio branco disse...

os taxistas são como um barometro analisando o trafego e as razões porque há mais ou menos carros a circular. Mas sem duvida que há menos carroa nas ruas desde há alguns meses e isso deve se à situação económica de parte dos proprietários. Mau sinal, mas menos poluição e engarrafamentos. há sempre as 2 faces.