domingo, 29 de abril de 2012

Nóbrega (1942-2012)

Acabo de ler, num jornal, que morreu o Nóbrega, com 70 anos. Na minha juventude vila-realense, o Nóbrega era um ídolo da cidade, em particular depois de ter saído do nosso Sport Clube, onde o vi jogar por várias vezes. Um dia, um qualquer "olheiro" assinalou-o ao FC do Porto, onde viria a ganhar o lugar de "ponta esquerda". Por lá ficou uma dúzia de anos, nas décadas de 60 e 70, seguindo depois a habitual peregrinação que o destino aponta aos ex-jogadores, como treinador de pequenos clubes de província.

O Nóbrega era um futebolista muito rápido, com um excelente pé esquerdo, na época em que os "pontas" ("esquerda" ou "direita") corriam colados à linha, avançando, tão longe quanto possível, para centrarem "adiantados", evitando os fora-de-jogo (habituei-me, com o meu pai, até hoje, a dizer "off-side"), com cruzamentos sobre a área, onde os "pontas de lança" aproveitavam as suas jogadas. Julgo que o Nóbrega ganhou as suas quatro internacionalizações, de que a cidade muito se orgulhava, tirando o lugar ao Fernando Peres ou ao Oliveira Baptista, já não sei bem. Sei apenas que ambos eram do meu Sporting...

Lembro-me muito bem do pai do Nóbrega, o sr. Nóbrega, homem grande e com forte vozeirão, morador na Fontinha (ruela em que eu seguia para a minha primária "escola do trem"), logo à saída do "cabo da bila" (é assim, com "b"), famoso columbófilo e com fama de homem de esquerda, que tinha como profissão o ser artesão de pintura (ainda me recordo de ver, lá por casa, um tabuleiro metálico, com as armas da cidade, pintado pelo sr. Nóbrega, objeto de beleza mais do que discutível).

Quando o Nóbrega, o jogador, ao tempo em que era vedeta, se passeava pela cidade, esta olhava-o com evidente admiração. (Vila Real nunca teve muitos futebolístas conhecidos: com algum destaque, apenas o meu amigo Amaral e o Fraguito, ambos idos do Sport Clube... para o Sporting*). Recordo-me muito bem de ver o Nóbrega, de visita à cidade, um pouco curvado para a frente (ou talvez seja sugestão minha, pela forma como me habituei a vê-lo jogar), caminhando pela rua Direita (a maioria dos leitores não conhecerá a rua Direita, mas basta que saibam que é o "eixo" essencial da cidade), com o fácies grave e fechado que muitos adultos de Vila Real sempre exibem, creio que como forma de serem levados a sério. Nesses regressos, o Nóbrega, acolitado por alguns orgulhosos amigos locais, saudava, generoso, os conhecidos com quem se cruzava, que logo ficavam reconhecidos pela confiança recebida de um personagem famoso.

Era assim a minha cidade, a cidade do Nóbrega.

*(E Simão Sabrosa, que desconheço se jogou no SCVR e que foi... para o Sporting. E Paulo Alves, que, esse sim!, jogou no SCVR e teve êxito... no Sporting. E, claro!, o Costa, que foi para o FC do Porto, onde jogou vários anos).

19 comentários:

Julia Macias-Valet disse...

Caro escriba, vamos la fazer a revisão do texto... ; )

1 - Ou o jornal que leu tem 10 anos ou esqueceu-se de juntar uma década na data do titulo ;

2 - Compreendo a emoção e a rapidez com que nos quis dar esta noticia um pouco ao estilo futebolístico de Nobrega...so que acaba de cometer um "off-side" : "Vila Real nunca teve muitos futebolistas conhecidos: ..." ou "Vila Real nunca teve muitas estrelas futebolisticas conhecidas: ..." ?

3 - Ok para o "b" esta desculpado : )))

Bom domingo apesar de ter recebido a triste noticia da perda de um idolo natal logo pela manha.

Magnólia disse...

Nota-se que a àrea forte da Isabel, não é, de todo, a àrea do futebol. Sabe, futebolista não tem género: nós, os futeboleiros, mesmo os que temos a pretensão de sermos mais ou menos eruditos, usamos esta palavra para quaisquer machos, com toda a propriedade: mesmo o Hulk, que tem 2 filhos, 2 metros de largura de ombros e pesa mais de 2 toneladas, é um futebolista... E até acho que ficava pouco lisonjeado se lhe chamassem estrela futebolística. A sério...

E a data, parece-me correcta. O Nóbrega, que jogava no meu Porto, carago! estava nos vintes, quando eu era pequenina, e lia livros de príncipes encantados. E lembro-me que o achava muito giro e imaginava aquela cara talhada, a dar imagem a um príncipe que poderia ser o dos meus sonhos... RIP Nóbrega!

By the way, Senhor Embaixador, para a semana, aqui no magnifico Estádio do Dragão (que, apesar de bonito, não me faz esquecer o velhinho Estádio das Antas, aonde pequenina, ia todos os domingos com o meu saudoso pai, nos tempos em que achava giro o Nóbrega, o Américo de olhos azuis e o Cubillas, tão fofinho), vamos ter os futebolistas dos nossos 2 clubes, para darem uma lição de futebol e de fairplay, aos outros da capital, que metem os adversários em gaiolas, não vamos?

Tita

Belenenses Ilustrado - disse...

Sr. Embaixador, permita-me que o cumprimente pela ilustração. O falecido, também faz parte das minhas memórias infanto-juvenis.

Julia Macias-Valet disse...

E Magnolia...para uma flor entra um bocadinho a matar, nao ?

Nao me chamo Isabel, mas Julia ! E depois joguei nos Juvenis Femininos do Moura Atlético Clube. Posiçao ? Como o Nobrega : Ponta esquerda : )

A data parece-lhe correcta ? Claro que sim, agora.
Chama-se a isto...o tempo que passa... : ))) Ele nao é o mesmo às 10h da manha ou às 15h ; )
Sera por isso que se diz que o Mundo pertence aos que se levantam cedo ?

Saudaçoes futebolistico-blogueiras : )

ié-ié disse...

Não é este o post certo para se deixar este pseudo-comentário, mas aqui vai a informação: faz hoje 19 anos, caro embaixador, estivémos juntos no jantar que Mário Soares ofereceu à Rainha Isabel II em Londres, na embaixada portuguesa, no que parece ter sido o último acto oficial de Carlos e Diana como casal real.

LPA

ié-ié disse...

Para ilustrar o que digo no post anterior:

http://guedelhudos.blogspot.pt/2012/04/carlos-e-diana.html

http://guedelhudos.blogspot.pt/2012/04/carlos-e-diana-02.html

Cumps

LPA

Anónimo disse...

E o Simão Sabrosa?

Anónimo disse...

E o Simão Sabrosa?

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro LPA: É verdade. Já lá vão 19 anos. Não me ocupei da constituição da mesa (como diabo obteve você o plano de mesa?), mas, olhando para ela (com "olhos" de MNE), fica claro que a colocação "back to back" de Diana e Carlos foi uma mera consequência da aplicação automática das regras protocolares. No jantar de retribuição, em Buckingham Palace, as coisas foram algo diferentes, neste caso pela lógica do protocolo britânico. Tenho algumas curiosas histórias desse jantar, por ora impublicáveis. E nem sei o que comemos: nunca guardo "memorabilia".

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Entre o futebol e a diplomacia vou ser muito pouco diplomático: prefiro o futebol. Ainda que um tio, director no MNE em 1959 me tivesse querido empurrar para a carreira, como se diz nas Necessidades. Não fui. Perdeu-se um terceiro secretário (máximo a que poderia chegar), ganhou-se um malandro encartado.

O Nóbrega era bom - mas não foi para o nosso Sporting, foi para o FêCêPê, carago. Vidas...

Magnólia disse...

Júlia,

Peço imensa desculpa por lhe ter trocado o nome. Fico contente por saber que jogou futebol: afinal, errei no diagnóstico, quanto aos seus conhecimentos futeboleiros. Sorry!

E por falar em futebol... o F. C. Porto é campeão!  Uma vez mais. Tantos títulos em 30 anos. Nacionais e internacionais. Apitos dourados? Se calhar... Mas também 'golden whistles' e 'sifflets d'or', compra de 'fruta' para árbitros estrangeiros, que intervieram nas Champions, nas Ligas Europa, na super Taça Europeia e nas Taças Intercontinentais que o FCP ganhou.

Nós, cá no Porto, em contraste com os outros ditos grandes, somos assim: não conseguimos ganhar nada, com honestidade. E até já estamos a contar que venham a descobrir os novos métodos marotos do FêCêPê: os depósitos de verbas que os nossos directores  mandam fazer para incriminar Juízes de linha. Não percam a esperança os adeptos dos clubes honestos, puros e transparentes, que se há-de descobrir que os 2000 euritos para o juiz Cardinal, não foram depositados sob instruções do PC, mas sim por ordem do suspeito do costume.

Tem razão Júlia, para flor entro forte: sou mais do tipo Magnólia grandiflora, aquelas árvores muito grandes e fortes... mas com flores azuis e brancas, na circunstância.

E sabe, tenho alguma pena de, neste blog que tanto aprecio, sentir um silêncio muito grande, sobre o Sporting, desde o dia em que o draft de um leão cheio de força internacional, aqui apareceu e que todos apoiámos, por ser, então, a marca do nosso país. Todos sabemos que algo digno de comentário aconteceu entretanto. Does it mean that 'Saying nothing... sometimes says the most...???'

Anyway, Senhor Embaixador, obrigada pelo seu blog!

ié-ié disse...

Privilégio de jornalista, caro Embaixador.

LPA

Anónimo disse...

O Simão Sabrosa nunca jogou no SCVR .Temos também Paulo Alves actual treinador do Gil Vicente,os dois sobejamente conhecidos,naturais cá da urbe.

Fernando B. disse...

Duas pequenas notas:
O Pai do Nobrega, era mesmo comunista... pelo menos desde o fim dos anos 50...Homem Corajoso, tal qual o seu porte!
O Simão Sabrosa, jogou no Diogo Cão, pequeno Clube da nossa Bila, só com futebol jovem! Indicado ao seu SCP, por um olheiro(talvez o Amaral?), e não acompanhado pelo meu FCP, a quem indiquei bem antes, em conversa com o Prof. Vitor Frade, que na altura já desempenhava funções no Campeão(desculpa lá esta...)

Julia Macias-Valet disse...

Resultado do jogo amigável :

Magnolia 1 - Julia 1

: )

Isabel Seixas disse...

Oh Júlia que revelação...
Quando fizermos o nosso encontro Aquele?!::: Com folar pasteis e outras iguarias que não nos tirem o protagonismo obviamente, faremos uma equipa consigo , também quero ver as Helenas e a Margarida a jogar já eu fique descansada se me deixar fico na baliza...

Anónimo disse...

Merece tanbém referência o Costa, JOSÉ ALBERTO COSTA, meu colega de Liceu, que jogou no SCVR, em finais dos anos 60, princípios de 70 e que passou por vários clubes da 1ª Divisão, nomeadamente o FCP, onde jogou várias épocas, tendo seguido mais tarde a carreira de treinador.

Mais informação:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Alberto_Costa

João Queiroga

Julia Macias-Valet disse...

Cara Isabel,

33 anos depois !???...so matraquilhos ! : )))

Bom, às vezes, ao domingo à tarde ainda faço uns remates à baliza : )))

E se nao houver nem folares, nem pastéis, uns tremoços e uma imperial também serve.

zelp! disse...

Senhor Embaixador

Só hoje tive oportunidade de passar por aqui e deparei com esta homenagem a Nóbrega, ídolo da minha juventude (como portista, note-se). Quero apenas dizer-lhe que o nome Nóbrega continua na sua cidade, nuns restos de pombal, madeira velha mas pelos vistos boa, que vai resistindo precisamente no sítio que refere.
E, já que aqui estou, deixe acrescentar que é sempre um prazer lê-lo.Cumprimentos