sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Politicamente correto

Ontem falou-se aqui de um neologismo do politicamente correto. Hoje conto duas histórias que andam por lá perto.

Há muitos anos, na embaixada em Luanda, confrontei-me com um funcionário que se recusava a fazer entrega de documentos entre os gabinetes, porque tinha deixado de ser "contínuo" e fora reclassificado como "operador de reprografia de 2ª classe". Perguntei-lhe então o que é que ele achava que deveria ser a sua atividade: "tirar fotocópias", respondeu-me. Não me contive: "Eu, se precisar de fotocópias, nunca lhe pediria a si. É que se é de 2ª classe, só deve tirar más fotocópias. Se tirasse boas fotocópias, era de 1ª classe...". 

Um dia, nos Estados Unidos, deixei dois americanos, brancos, um tanto chocados. A propósito de um empregado negro que passava, um deles utilizou, para o designar, o tradicional termo "afro-american". Não resisti e perguntei-lhes: "Digam-me um coisa: como é que eu os designo a vocês? Julgo que o termo WASP (white anglo-saxon protestant) é inconveniente. Posso chamar-lhes "euro-americans"? Não sei porquê, mas fiquei com a sensação de que não apreciaram... 

18 comentários:

gherkin disse...

Muito boa e bem aplicada!

Catinga disse...

Ora, aí está algo que eu também já disse. E a coisa ainda se pode complicar mais se o branco tiver origem, por exemplo, no Iraque.

É asian-american, euro-american, ou eurasian-american? Branco é, quase de certeza!

Maurício Barra disse...

Essa do euro-americanos é fenomenal, Sr. Embaixador.

Anónimo disse...

Ah ah ah ah!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fada do bosque disse...

ahahahahah!!! Bem dito! Foi a matar! :))

Catinga... apaixonou-se? :))

Catinga disse...

Cara Fada,

Tenho andado a beber as prendas de Natal. Um dia destes passa...

Anónimo disse...

A velha senhora diz que dedica as 'quadrilhinhas' á suas 'jovens amigas Fada do bosque e Julia Macias-Valet':

sim, ó fada, apaixonou-se
o seu amigo catin-
ga. e, rei dos cons que não fosse,
apaixonou-se por mim...

'algo que eu também já disse'
diz-nos sua majestade.
'o embaixador faz copiice'
é que nos diz na verdade.

Anónimo disse...

O 1º caso não está contado até ao fim, Sr. Embaixador. Continuou o continuo a tirar fotocópias (black and white), continuou a ser continuo ou…?

No 2º caso, o Sr. Embaixador concluiu pelo incómodo dos yankees mas, parece-me, que as conclusões são interessantes para o "politicamente correto" em ambos.

Nuno Guedes disse...

Aqui há uns anos perguntaram a um famoso (muito famoso) jogador internacional de futebol português qual era a sua profissão antes de ser futebolista.
- Estofador de 2ª - respondeu
- e então, se não fosse futebolista que gostaria de ter sido?
- Estofador de 1ª - respondeu o jogador

Claro, tem que se começar por algum lado!

Fada do bosque disse...

Caro Catinga,

Quando acabar com as prendas e a ressaca tiver passado, espero que o seu avatar volte áquela doninha impertigada de nariz no ar! já disse e volto a dizer que está espectacular... e depois como o Catinga é um contestatário... não lhe podia ficar melhor a expressão desafiadora! :))

Realmente esse, só pode ser consequência dos presentes... :)

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Contaram-me já há uns bons anos que o famoso Ray Charles quando se preparava para actuar num determinado teatro ouviu alguém comentar... coitadinho, felizmente não se pode ver ao espelho; além de cego é... preto.

Ele, orientando-se pela voz, voltou-se para o autor do comentário: God bless you.

Anónimo disse...

Senhor Embaixador, não faça pouco das profissões subalternas. Não fica bem a uma sensibilidade democrática como a de Vossa Excelência. Cada fotocópia custa o suor, o sangue e as lágrimas de um pobre operador de reprografia, debruçado horas sem fim sobre a máquina infernal que lhe consome a saúde e a vida.

Respeitosamente

a) Feliciano da Mata

Anónimo disse...

Senhor Embaixador, não faça pouco das profissões subalternas. Não fica bem a uma sensibilidade democrática como a de Vossa Excelência. Cada fotocópia custa o suor, o sangue e as lágrimas de um pobre operador de reprografia, debruçado horas sem fim sobre a máquina infernal que lhe consome a saúde e a vida.

Respeitosamente

a) Feliciano da Mata

Anónimo disse...

C'est cochon comme tout, la réprogaphie!

a) Dodo la Saumure

Anónimo disse...

Há também aquela de um nosso comum e querido amigo e colega, que, aquando da promoção de conselheiro a ministro, recebeu os parabéns calorosos de alguém que o julgou futuro membro do governo e quis saber:
- Ministro de quê?
- De segunda, meu caro, de segunda! - respondeu ele, com uma gargalhada.

Um grande abraço e votos de pronto restabelecimento.
FG

EGR disse...

Senhor Embaixador:nestes tempos cinzentos é bom ler histórias bem humoradas.
Sempre nos dá uma ajuda.

Julia Macias-Valet disse...

Carissima Velha Senhora...

Agradeço a sua amabilidade em me dedicar as suas 'quadrilhinhas' mas desta vez a minha boca nao se abriu !

Anónimo disse...

Esta faz-me lembrar a das "pessoas de cor". como se os brancos não tivessem cor, fossem assim como que transparentes....