segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Paulo Martins (1946-2012)

Há dois dias, escrevi um mail a Paulo Martins, para o qual não tinha ainda obtido resposta. Há minutos, um amigo comum informou-me do seu falecimento.

Paulo Martins era um jornalista português que, desde há anos, residia no Brasil. Em Portugal, tinha trabalhado na rádio, na imprensa escrita e na comunicação institucional. Conhecemo-nos em Fortaleza, creio que em 2006. Deu-me então conta do seu grande interesse na figura de Aristides Souza Mendes e da sua ideia de levar a cabo, no Brasil, iniciativas para promover a divulgação da figura do cônsul perseguido pelo salazarismo. 

Em 2008, convidei-o a deslocar-se a Brasília, onde proferiu uma conferência sobre Souza Mendes, em paralelo com a palestra de um outro especialista sobre a figura de Souza Dantas, um diplomata brasileiro que, aqui em Paris, emitiu também vistos que salvaram a vida a refugiados durante a 2ª guerra mundial. Posteriormente, pediu-me um prefácio para um seu livro sobre exemplos éticos da diplomacia, tema que muito o seduzia, a que deu o título de "Humanistas da Lusofonia", de que só existe uma versão informática. Sei que teve também a intenção de desenvolver o projeto jornalístico "Ceará - Fórum empresarial".

Paulo Martins era um homem entusiasmado com a vida, a qual já lhe havia pregado algumas partidas. Deu-me conta, há tempos, de ter problemas graves de saúde, mas também de novos rumos familiares que muito o entusiasmavam. As coisas, como acabo de saber, ter-lhe-ão corrido menos bem, o que curiosamente nunca transparecia de correspondência que trocámos. Entristece-me a ideia de que não vou voltar a encontrá-lo, precisamente no ano em que é minha intenção aceitar um convite para ir fazer uma conferência a Fortaleza.

Um último abraço, Paulo.

3 comentários:

Mônica disse...

Senhor Francisco
Me comoveu conhecer esta figura um pouco brasileira pois aqui morava deste seu amigo.
Sabe!Quando conta uma noticia que tem algum relacionamento com o Brasil eu fico muito orgulhosa de saber que nos comunicamos .
Eu uma aposentada professora primaria, de pre escola por muitos anos, conseguir ficar sabendo de tantas coisas bacanas da cultura de seu pais e também dos transtornos que lhe foi cometido em 2011. Mas como os dias correm depressa tenho certeza que a crise mundial nao vai alterar o carater do povo portugues de quem aprendi a amar e ate fui lá em 2010
com amizade e carinho de sua amiga Monica
Mais um nome que quero pesquisar.

Anónimo disse...

Não sabia da morte de Paulo Martins.
Que pena.
Lamento.
Carlos Pereira

Clivânia Teixeira disse...

Bela homenagem, post de muita valia, o Jornalista Paulo Martins fez um belo trabalho de divulgação sobre o grande Aristides de Souza Mendes, personagem desconhecido para muitos brasileiro e para muitos esquecido.