quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Neologismos

Hoje, passou-me pela mão um documento oficial em que se fala de "aprendentes" de cursos. 

Será que já faz parte do politicamente correto ter medo de dizer "alunos"?

20 comentários:

AL disse...

Vejo que vai melhorzinho da sua doença.Ainda bem. A UNESCO precisa de um embaixador sadio e pujante.

Isabel Seixas disse...

Acho que tem razão, não diria medo mas pudor, a terminologia mais usada, em detrimento de aluno configurado como sujeito passivo, agora é estudante e aprendente sujeitos ativos, no intuito de dinamizar e potenciar a auto responsabilização na aprendizagem fomentando a iniciativa para o estudo e a pesquisa.

Preciosismos de linguagem...

Francisco Seixas da Costa disse...

Ó Isabel Seixas, por favor!"...dinamizar e potenciar a auto responsabilização na aprendizagem fomentando a iniciativa para o estudo e a pesquisa". Mas, afinal, o que é que esta malta anda a fazer que eu não tenha feito na escola? Será que com tanto palavreado sabem mais, é isso? Só a brincar...

Fada do bosque disse...

Eu também acho muita piada a "comentaristas" e outras coisas do género... há que tirar pelo sentido... :)) Salve-se quem puder.

Anónimo disse...

A senhora Seixas é professora ? Não tem vergonha do que escreveu ? Acredita mesmo naquele palavreado vazio ? Já se perdeu o sentido do ridículo ? É com gente desta que o ensino em Portugal chegou onde chegou. A antiga colega do senhor Embaixador Ana Benavente é a grande culpada desta imensa fraude. Pudor ? Tenham juízo !

Isabel Seixas disse...

" Enquanto o conceito aluno aponta para a dependência e passividade; o conceito de estudante sinaliza autonomia e atividade."


Aluno (do latim alumnus, alumnié) é o indivíduo que recebe formação e instrução de um ou vários professores ou mestres para adquirir ou ampliar seus conhecimentos,[1] geralmente nas áreas intelectuais.

"A palavra estudante (do verbo estudar) designa o indivíduo que se empenha em algum tipo de estudo, que busca o alimento intelectual por conta própria, sem necessidade de ser "alimentado" na boca, podendo fazer isto de maneira individual ou sem recurso a professores."
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Catinga disse...

Há uns bons anos, foi nomeada uma comissão qualquer para estudar a projeção da nossa língua e delinear estratégias, etc., blá, blá, blá.

A primeira decisão foi que as palavras "esdrúxulas" passariam a chamar-se "proparoxítonas"...

Catinga disse...

Já alguém ouviu falar no dia da "Implementação da República"?

Anónimo disse...

O comentário de Isabel Seixas é tão ridículo que nem merece nota.

Anónimo disse...

Eu Aluno protesto pela desqualificação para "aprendentes"!
Aprendiz de Feiticeiro

Anónimo disse...

Quero saber o IP da Isabel Seixas para lhe poder aplicar umas bengaladas!


Ass.:

João Teodósio da Nóbrega Passos-Bragança

OCTÁVIO DOS SANTOS disse...

O Senhor Embaixador só pode estar a brincar... porque não se pode levar a sério alguém que protesta por outros escreverem «aprendentes» em vez de «alunos» mas que, ao mesmo tempo, respeita o «aborto ortográfico» que faz de várias palavras autênticas aberrações!

É o «politicamente correto» que também faz com que você, FSC, tenha medo de escrever «correCto», «faCtura» ou «peremPtório»...

Pergunta o senhor «o que é que esta malta anda a fazer que eu não tenha feito na escola?» Olhe, anda a aprender «português (cada vez mais) adulterado». Por isso, de que se queixa? Não é tão empolgante a modernidade?

Alturense disse...

Caro comentador Octávio dos Santos:

Li, ressentemente, uma intrevixta de um asserrimo defençor do "Novo Acôrdo", que dis que exte é tãben um cõtributo para fassilitar a aprendisagem aos mais jovems.

Pode cer que ceja acim, mas eu na acredito.

Carlos Fonseca

Isabel Seixas disse...

Sr. Embaixador, se me permite
Congratulo-me com o cariz pedagógico deste post em termos conceptuais.
Queria agradecer também a
João Teodósio da Nóbrega Passos-Bragança pelo interesse manifesto no meu "humilde"IP, desde que seja mesmo para os fins que referiu, disponha.
Com muito gosto
Isabel Seixas

Anónimo disse...

Ai é assim? Armando-se em engraçada? Pois agora escusa de me revelar o seu IP que já não lhe dou as bengaladas!

Há gente sem qualquer categoria!


Ass.:

João Teodósio da Nóbrega Passos-Bragança

IP 192.168.0.1

Anónimo disse...

Cara Isabel Seixas, caro embaixador
Dois-sonetilhos-dois e um deles com cinco-variantes-cinco! A velha senhora endoidou e não se cala:

1.
calha-me bem 'aprendente'
estudante dia a dia
pra curar gente doente
que inda hoje em mim confia.

consigo estou isabel,
velha que sou, pouco valho,
às amigas sou fiel
e amo, se o tenho, o trabalho.

pró trabalho amo mandar
quem o trabalho não ama,
pra quem rimalho no ar,
quem co'o trabalho se trama.

consigo isabel sou mel,
pra quem a insulte sou fel.

2.
ó meu jovem embaixador,
sabeis vós bem que sabem mais
os jovens de agora, a quem dais,
e eu também, todo o valor.

o tom porém que aqui usais
provoca mais fúria e o rancor
do tal sector conservador
catinga con outros que tais.

'não se pode levar a sério'
de vós dizem. e a isabel
'não tem vergonha' nem critério
é 'sem qualquer categoria'
e 'bengaladas' merecia…

porra bordel distilam fel!

fel a granel de cascavel!
são belzebú no seu quartel!
um belzebú que é belzebel!
cartel infiel em argel!
tudo ruim que rime em el!...

Anónimo disse...

Este Catinga é um fenómeno: não só tem duas groupies como também tem um tarado obcecado com ele.

Não é um comentador, é uma estrela rock!

Anónimo disse...

Genial comentário do anónimo das 16:17 de 7 de janeiro! :)))))))

Anónimo disse...

Caros anónimos das 16:17 e das 04:36:
Acreditem ou não, pouco tenho a ver com a velha senhora: limito-me, quando por aqui passo e dado que ela não sabe nem quer lidar com a internet, a ler-lhe posts e comentários, e a enviar algumas das suas versalhadas, omitindo ou eufemisando os palavrões.
Ela fala por si:

ó anónimo, anónima amada,
tão sem razão geniais,
eu sou pla coisa obcecada,
por alguém não o sou mais.

sou tarada é pró trabalho.
se da coisa não gostais,
pró trabalho ide. eu rimalho
trabalho com cê ademais.

eu brinco às palavras
que, mesmo se bravas,
não são pra ofender,

que em anonimato
ninguém eu maltrato.
brincar é prazer.

Anónimo disse...

Isto é abuso e não interessa nada. Fosse eu o autor do blogue, não publicava. Ontem a velha senhora, que estava com os copos - e eu com sono -, cometeu erros na métrica, que, maníaca, quer corrigir:

anónimos amado e amada,
com não-razão, sois não-geniais:
pla coisa, sim, sou obcecada,
por gente, não, não o sou mais,

tarada, sim, mas pró trabalho.
se vós da coisa não gostais,
pró trabalho ide, que eu o esgalho
com cê e sem erre, ademais.

eu brinco às palavras
que, mesmo se bravas,
não são pra ofender,

que em anonimato
ninguém eu maltrato.
brinco é por prazer.

/só encho o lazer.