segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Greenwich

A imprensa francesa refere que o governo britânico está a pensar introduzir, em 2012, um alinhamento com a hora do centro da Europa, abandonando a referência ao (seu) meridiano de Greenwich. Já nada é o que era, nem mesmo na velha Inglaterra...

Recordo que uma discussão similar teve lugar, um dia, no seio do governo português, nos idos de 1996. E que, contra algumas opiniões, prevaleceu a tese de que deveríamos manter a atual diferença face ao centro do continente. Se Londres deixar de servir de referência, será que, em Portugal, o tema vai também, de novo, ser repensado?

12 comentários:

Santiago Macias disse...

Tudo muda. Longe vão os tempos em que o "Times" tinha como manchete, e a propósito de uma tempestade, "o continente está isolado".

patricio branco disse...

sem duvida que devido à nossa posição mais a ocidente, não fará sentido ter um dia a mesma hora que a alemanha ou a dinamarca.
A russia aboliu o atraso horario agora. Outros paises inventam horas nacionalistas, para se diferenciarem dos paises a que se opoem. Onde vamos chegar, se algo como a longitude, os meridianos, deixam de ser um marco?
argumentos economicistas, ambientais, de vida pratica diaria, servem para todos os lados.
Onde está o bom senso e o correcto?
Vamos ter outra desregulação?

Anónimo disse...

Sinceramente espero que não. O fuso horário é uma realidade física e não algo que deve ser decretado pelos governos.

Veja-se o que se passou na Rússia quando Putin tentou reduzir o número de fusos horários e as pessoas vieram à rua protestar.

Começar o dia de noite não tem graça!

Catinga disse...

Lembro-me de que, há muitos anos, houve uma tentativa dos Ingleses para "estabelecer" uma hora universal, em colaboração com a Swatch

http://en.wikipedia.org/wiki/Swatch_Internet_Time

Era uma ideia gira. Em vez de fusos horários, havia ".beats" diferentes.

Em vez de estarmos a fazer contas, bastava-nos saber os ".beats" a que algo acontecia num determinado sítio.

Num mundo obcecado pela globalização, talvez fosse uma ideia a retomar (com um nome diferente, claro)

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Se, ao que se diz, até poderemos pagar uma multa por não pedir factura (ai Singapura, Singapura...) também teremos de andar direitos com um fuso?

João Diniz Almeida "mega" disse...

Embora a decisão seja politica a questão, na sua base é geográfica. Por muito que Londres ou Lisboa queira legislar em sentido contrário, o sol vai continuar a nascer mais cedo a leste do que a oeste.

No mesmo tópico, a Rússia juntou-se à Islândia como os únicos países da Europa que não mudam a sua hora no Inverno.

Anónimo disse...

fazemos um fuso horario por pessoa
assim passamos a chegar a horas a tudo
pelo menos 'as nossas horas...
bem,
talvez...!

:)

Julia Macias-Valet disse...

Até estou a estranhar que Fernando Correia de Oliveira ainda nao tenha comentado este post sobre ""grèn'itch" ; )

...provavelmente (ainda) estará acertando os ponteiros dos seus relógios ! : ))

Anónimo disse...

Passei por aqui por exigência da 'minha' velha senhora, que se diz com saudades das suas amigas do bloque:
"fada isabel helena todo um ror
de gente linda aí fui encontrar".
Apreciou o post como sempre, ignorou um dos comentadores (a senhora não perdoa) e apeteceu-lhe rimalhar para os outros:

longitude oeste boa
que é de nove vírgula oito
tem lisboa onde pessoa
cuidou coitado sem coito

mais porém tem finisterra
nove vírgula desasseis
se a geografia não erra
os fusos não refuseis

cabo da roca ressoa
bem sei mais a ocidente
ai um fuso por pessoa
isso é que era inteligente.

Fernando Correia de Oliveira disse...

Cara Julia Macias-Valet
Só hoje comento com gosto o tema porque, nem de propósito, andei nos últimos dois dias às voltas com a minha guerra pessoal de fusos horários - regressei de Las Vegas, numa viagem atribulada com escala em Newark...
Quanto à possibilidade de Portugal vir a adoptar o chamado Tempo da Europa Central, isso tem sido recorrentemente debatido. Acho que as vantagens económicas que traria seriam menores às desvantagens brutais em termos de desvio face à hora solar, aquela que rege os nossos ritmos biológicos.
Portugal aderiu ao sistema de fusos horários, vai fazer precisamente um século, a 1 de Janeiro de 1912. E tomou Greenwich como meridiano de referência. Essa foi a grande transformação super-estrutural que o regime republicano trouxe ao Tempo português.
Sobre fusos horários e GMT (ou UTC, o conceito actual, que veio substitui-lo), pode ler em http://estacaochronographica.blogspot.com/2010/01/memoria-gmt-e-utc.html
ou em http://estacaochronographica.blogspot.com/2009/10/125-anos-de-meridiano-zero-de-greenwich.html
ou ainda em http://estacaochronographica.blogspot.com/2009/10/meridiano-de-greenwich-faz-125-anos.html

Catinga disse...

Aconteça o que acontecer,uma coisa é certa: Greenwich será sempre um local lindo. Então ao por do sol quando o céu de Londres parece pegar fogo...

Fábio Paulos disse...

se a Inglaterra mudar lá teremos que ir atrás dela, mas depois como ficariam os Açores!? duas horas de diferença!? acho um pouco exagerado