quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Palma

Para compensar o post anterior, anuncia-se, para nossa alegria, um novo Jorge Palma, o seu novo álbum "Com todo respeito".

12 comentários:

Julia Macias-Valet disse...

Com todo o respeito...mas nunca consegui "accrocher" : )...acho que o senhor fala mais do o que canta ! : (

Anónimo disse...

Caro Embaixador, muito obrigado pelo Post sobre o JP.
A propósito, deixe-me confessar-lhe que não é sem estranheza que constato, desde há dias a esta parte, não ter encontrado aqui no blog um post sobre Sérgio Godinho. Álbum novo…
Será que posso concluir por alguma desilusão do autor?
Não é que eu tenha saudades ou que me faça alguma falta. rsrrsrs

Para a Júlia, permito-me dizer que Jorge Palma é como a cerveja: é preciso aprender a gostar. No primeiro trago, geralmente não gostamos.

JR

Julia Macias-Valet disse...

Caro JR,
...nao é o do "Dallas", pois nao ?

Olhe que sempre gostei de cerveja (entao a do Zé Lebrinha, em Serpa, nem lhe conto : ))

Mas o Jorge Palma !? Uhmm; Prefiro os tremoços ; )) "Deixa-me rir, la, la, la" : )))))

Anónimo disse...

ERA UMA VEZ

Querido Jorge
Gosto de ti desde sempre quando muitos ainda se riam desconfiados do teu "deixa-me rir"...

Por favor Jorge," viola" todas as folhas em branco e não deixes de escrever.

Já somos demasiado POBRES!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Canção de Lisboa:

"Os serões habituais
as conversas sempre iguais
(...)
Há quem diga que nunca foi boa
a Canção de Lisboa"

Jorge Palma é Grande
Viva o Bairro do Amor!

Palmaníaco

catinga disse...

O Jorge Palma e a sua música (sobretudo as "baladas") são Património nacional, tão ou mais do que qualquer monumento em pedra.

Mesmo o lado decadente da personagem acaba por servir para nos sentirmos ainda mais próximos dele.

Nunca me esquecerei de quando lhe fui pedir um autógrafo após um pequeno espetáculo na FNAC do Colombo: ele, completamente alterado, "refugiado" numa minúscula salinha e eu ali, com o caderninho do CD "Só" na mão. Ele pega no dito e apenas se lembra de escrever "Catinga, bem-vindo!". Ao assinar, fez um pequeno furo com a caneta e disse... "Eeeh. Desculpa lá, furei-te isto...". Eu agradeço, ele vira-se para mim, dá-me uma palmada no braço e exclama com uma voz arrastada "Caaatinga, tchaaaaaaaaau!". Um momento único :)

Isabel Seixas disse...

Gostei.

Anónimo disse...

Catinga , mereceu a palmada (amiga) no braço.... O Só é, simplesmente, na minha opinião, uma das mais belas coisas de sempre do Palma e de todos nós que gostamos de música e de grandes textos. A JM-V deveria ouvir, precisamente, o tema "Só...(por existir)".

Anónimo disse...

Cara Júlia,

Do Dallas!? Nem pense!
Eu sou mais, ou melhor, sou todo aí da região do Zé Lebrinha. E dessa zona, aos tremoços prefiro o queijito. Que ao som de "Dá-me lume" ou "Frágil", entre tantas outras, ainda alegra mais o palato. rsrsrsr
JR

Helena Sacadura Cabral disse...

Num país em que muito se palma, deste outro eu gosto seriamente. Mesmo percebendo que há quem julgue, ache, que ele apenas fala.
Cohen também fala e é fabuloso!

Gil disse...

Mudam-se os tempos, mudam-se as ambições...
Já eu gostava era de ser gestor.

Anónimo disse...

ERA UMA VEZ

Que bom ouvir e dialogar aqui sobre dois nomes maiores da nossa música.

Gosto muito de ambos...
Namorei muito em noites de Verão com
"a noite passada"...e quantas vezes já me senti "frágil"...

Dois grandes talentos! Para mim a diferença entre ambos é que Sérgio é um escritor de canções e Palma escreve poemas que nem precisam de música para ser poemas.