sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Madeira

Não deve haver português com internet que, nestes últimos dias, não tenha recebido uma anedota, um poster ou outra graça alusiva à Madeira e à respetiva gestão financeira.

Às vezes pergunto-me como é que os estrangeiros olham para esta nossa propensão para aliviar as dores pelo humor. Uma coisa me parece bem clara: não convirá que a "troika" se convença de que, lá porque afivelamos um sorriso amarelo, andamos felizes...

11 comentários:

Fernando Correia de Oliveira disse...

O poster "Eu conto com o Continente" foi até agora a mais conseguida, daquelas que me chegaram, claro.

Helena Sacadura Cabral disse...

A quem o diz, Senhor Embaixador!
Mas se não forem aqueles que, através da palavra, podem, de quando em vez, ajudar a sorrir, o que é que nos vai acontecer?!
Já vejo muito pouca televisão nacional. Mas, por motivos profissionais, andei uma semana a consumi-la. E garanto-lhe que mesmo uma pessoa sem disposição genética para a depressão, como julgo ser o meu caso, tem que fazer malabarismos para se não deitar angustiado, com o espírito dos telejornais que, agora, passadas as eleições, resolveram manter os debates políticos. Na maioria dos casos, sem qualquer interesse cultural ou formativo. Impressionante!

Alturense disse...

Tem toda a razão.

E o "Inimigo Público", publicação semanal de que o jornal "Público" é suplemento diário, dedica o seu número de hoje ao arquipélago de Jardim.

Imperdível.

Mas uma das melhore que recebi é que nos informa sobre a actualização horária das estações de rádio, a saber:

"São nove horas em Portugal Continental, menos uma hora nos Açores, e menos vinte milhões na Madeira".


Carlos Fonseca

EGR disse...

Devo dizer,Senhor Embaixador, que quanto a Madeira tendo mais para a indignação do que para o sorriso.Talvez esteja com défice de sentido de humor mas,francamentee,é isso que sinto.Quanto aos telejornais, e não só,desta vez concordo com Helena Sacadura Cabral.
Além do que ela refere sucede que os ditos comentadores circulam-ou saltitam- de canal em canal num autentico cicuito fechado.
Num se ouve um unica voz que possa trazer alguma lufada de ar fresco.
Que cansaço,Senhor Embaixador,que cansaço!
EGR

Anónimo disse...

A do "Passos, estou sem saldo, Kolmi!" e toda a envolvência também está muito bem conseguida!

Lá diz a expressão popular antiga "Pobretes, mas alegretes" :)

Isabel BP

Isabel Seixas disse...

Pois eu vou aspirar a beleza da imagem, Madeira não é só João felizmente...

È uma gente simpatiquissima e empenhada,é uma paisagem idiosincrática e é vontade de ir lá e ver ver e auferir de um segmento de universo lindo e peculiar.

Bem senhor Embaixador a imagem apetece.

Anónimo disse...

Há tempos que não lia o blogue à minha velha senhora, com receio do mau humor em que a vejo mergulhada. Li-lho hoje et voilà (q. e. d.):

a quem o diz senhor embaixador
senhor embaixador não sei se o maço
devo dizer senhor embaixador
senhor embaixador mas que cansaço.

patricio branco disse...

lá fora, creio que não se faz distinção entre madeira e continente, tudo é portugal, não interessa se lisboa, algarve, madeira ou centro. Não se parcializa geograficamente o problema português.
Aqui sim, muitos sectores aproveitam o buraco da ilha para querer fazer acreditar que temos uma parte que se porta bem e outra mal (madeira).
Que se verifique tudo bem e se apure o mecanismo da "ocultação" ou sobregasto na madeira e se situe tudo no contexto.
Para a alemanha, luxemburgo ou finlandia, portugal e grecia não têm zonas boas ou mal comportadas, é a totalidade dos 2 paises que é julgada por eles.
Quanto a graças, as melhores sao as do próprio a j j, o unico politico português que as diz com total à vontade, umas mais fortes, outras mais suaves, fugindo à regra do sorumbatismo que caracteriza todos os outros quando falam ou aparecem, que não utilizam os musculos do riso.
Responder a perguntas de jornalistas em fato de banho, na praia, misturado com os outros banhistas,pois é tambem um deles, até tem graça e define um politico que convive diariamente com o povo da sua região há 3 décadas.
Vê lo sair a pé da quinta da vigia (aberta ao publico que pode frequentar os jardins) e ir sózinho à beerhouse ou a outro sitio tomar um café a meio da manhã tambem tem graça e é simpatico.
Dizer "onde está esse sacana? é tão pequenino que ninguém o vê" referindo se a um conhecido comentador de tv dum partido, tem muita graça.
Lançar inesperadamente no meio duma conversa, como se fosse um lapsus linguae que a divida da madeira é + ou - igual ao pasivo do metro do porto,tambem tem graça.
e sobre o PGR ir investigar, disse, e tem tambem graça: "esses são os meus amigos do peito, aparecem sempre no meio do filme".

Enfim, estou curioso de ver os resultados das eleições do dia 9, embora pense que a j j já não se deveria ter recandidatado desta vez. Há meses que deveria ter anunciado a sua não postulação.
De qualquer modo ficou claro que se não tiver maioria absoluta se retira e não governaria.

Anónimo disse...

Eu penso que os portugueses ligaram mais ao empate do Benfica com o Porto do que ao défice da Madeira. Quanto às anedotas, até o Jota-Jota deve ter gostado. E a austeridades e os défices em geral, acham que os portugueses ligam muito a isso? Compare-se com os movimentos sociais em todo o lado - Grécia, Espanha, Itália, GB, . Em Portugal, nada - nada=zero, claro ... mas o estádio estava cheio! Os portugueses z os europeus devem estar indignados, como dizem três velhotes giros europeus - dois franceses e um português? Qual quê?
Vai mais um frango de churrasco ao fim de semana, vinho a 3 euros euros os cinco litros (clandestino) e uma jogatina da Liga! que país! - Desculpe, senhor embaixador, mas sinceramente acho que não se deve elogiar o facto de os portugueses continuarem neste estado... é que, na minha opinião, a continuar assim, sem sobressaltos nas ruas, Portugal vai acabar mesmo!

Anónimo disse...

Senhor Embaixador, um post sobre Portugal, na minha humilde opinião era verdadeiramente mais abrangente, isto porque e sem sabermos ainda da contabilidade certa, podemos para já contar com:
- Açores: 3,5 a 4 mil milhões de euros, mas como dizia há dias Braga de Macedo na SIC, a ver vamos;
- Espatifados no BPN: 6 mil milhões
- Empresas públicas: buraco de cerca de 50 mil milhões de euros
- Dívida pública do estado português: quase 200 mil milhões de euros;
- Buracos das SCUTs nos próximos anos: 25 mil milhões de euros;
- Buraco das PPP nos próximos anos: 45 mil milhões de euros;
- Dívida da Madeira: 5,8 mil milhões de euros (valor admitido por Jardim mas não confirmado ainda por Lisboa)

Helena Oneto disse...

Nem amarelo consigo rir. Pobre Madeira, governada por um fora-da-lei que invade os écrans com enxurradas de palavrões e o pais com enxurradas de dividas, ainda vai, se calhar, levar com ele outra vez. Destino ou fatalidade?